Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



balls.jpg

 

 

““Meus senhores, como todos sabem, há diversas modalidades de Estado. Os estados sociais, os corporativos e o estado a que chegámos.”"

 

Salgueiro Maia saiu de Santarém e chegou a Lisboa para acabar com o desnorte. Em resumo, e sem pretensões de historiador, foi isso que aconteceu na madrugada de 24 para 25 de abril de 1974.

Portugal saia de um regime que nunca foi o que lhe apelidaram e começou um novo ciclo político, virado para o progresso, onde o contrato social ganhava mais significado para todos.

Hoje somos, sem banais generalidades, um país contemporâneo, com qualidade de vida e que, com as dificuldades que conhecemos, perspetivas e oportunidades de futuro à disponibilidade de todos.

Mas voltemos à frase de Salgueiro Maia: “o estado a que chegámos”. O Sporting vive atualmente um dos mais negros momentos da sua história.

Um Presidente, com a ajuda de um exército de menores e outros iletrados, que tenta impor um regime, uma refundação, um novo Clube.

Em cinco anos de regime, muitos são os episódios que nos envergonham, que são motivo de chacota para com os nossos amigos e com o Sporting além fronteiras.

Bruno de Carvalho não percebe nem quer perceber. Os autistas têm este comportamento. Não são uma tábua rasa à espera de ser esculpida e evoluir com o conhecimento que se adquire diariamente. Bruno é obtuso. E quando assim é, não é de estranhar estes comportamentos que são notícia de forma periódica.

Não gosto de ver estas fugas de SMS´s nas capas de jornais, não gosto de ver contadores em programas de televisão a contar os dias para a saída do Presidente, não me cria qualquer vaidade ou gozo assistir a comentadores que destratam e até ofendem o atual Presidente, recorrentemente, vinte e quatro horas, nos mais diversos meios de comunicação.

Mas como todos sabemos, comportamento gera comportamento, e depois de se lançarem intifadas contra a comunicação social, magistrados, políticos, agentes desportivos e outros profissionais, o mais evidente seria estar à espera da reação.

Ontem, um página na rede social Facebook, usurpou o nome de um movimento, Rapaziada, e começou a publicar excertos de conversas entre jogadores e o Presidente e as fotos de jogadores. A verdadeira “Rapaziada” já se colocou à margem de tal comportamento, e como é óbvio, é mais que evidente que tal página, mais uma, é da mesma linha e dos mesmos criadores da Sporting Fans, Pasquim do Ti Tonho, Cigano de Alvalade, Chamuças da curva sul, e os Blogs Mister do Café. Tudo trabalha no mesmo piso, a toque de caixa e com as ordens dos mesmos peixes comensais que todos conhecemos já há vários anos. Digamos que há uma network de anormais que se alaparam no Clube, que são pagos pelo Sporting e que não o defendem, mas que trabalham, única e exclusivamente para a imagem de uma pessoa, o Presidente Bruno de Carvalho.

Posto isto, e depois de mais uma anedota escrita de Nuno Saraiva onde identificava Bruno de Carvalho como o Messias, o Sebastião do Futebol Português, o Homem que poderia fazer o 25 de abril do nosso desporto rei, parece evidente que com todos estes episódios, é tempo de perceber que necessitamos é de um Salgueiro Maia e de mais uns Capitães para acabar de vez com este estado de sitio.

O Sporting vive vergado em vergonhas sucessivas. Entregue a um desequilibrado que  não mede as consequências e que só conta com a sua (pouca) inteligência.

Quando se queimam e desvalorizam ativos como os jogadores nos meios de comunicação social, quando tudo se faz para retirar dignidade a atletas com décadas de Sporting, como Rui Patrício, William Carvalho e Gelson Martins. Quando os Sócios que criticam são “indignos e ingratos”. Meus caros é tempo de agitar e acabar com este desnorte.

O estado a que chegámos, como o nosso país em 74 é da nossa total responsabilidade. Nós Sócios, os que permitiram serão os que vão acabar com este vergonhoso circo que diariamente nos diminui, retira o foco dos problemas dos rivais e nos ridiculariza no mundo do desporto.

O Sporting é hoje uma instituição em total processo de lampionização em curso.
Os que querem continuar o PLEC, respeito, mas acredito que seremos muitos mais os que querem o verdadeiro Sporting de volta.

O tempo é mestre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:19



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D