Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Governance

por Trinco, em 27.06.18

Governance.png

 

 

Governance, termo inglês sem tradução suficientemente precisa para português, quando aplicado a uma organização, é o quadro estruturante de pressupostos, regras e práticas pelos quais os seus quadros de direcção se obrigam a reger, assegurando responsabilização, coerência, imparcialidade, justeza e transparência nas relações com todas as partes interessadas. Sejam elas investidores, parceiros, colaboradores ou comunidade.

 

Um plano de Governance serve para estabelecer práticas, pressupostos e políticas bem como formas de monitorização continua da sua implementação pelos membros da organização, incluindo mecanismos de equilíbrio de poderes dos seus membros, com a respectiva responsabilização e definição do seu papel dentro da organização e na sua valorização, com o objectivo de aumentar a sua a viabilidade.

 

Um plano de Governance é assim um contrato implícito e explicito entre a organização e os diferentes intervenientes na vida da mesma, para distribuição de responsabilidades, direitos, deveres e recompensas, onde se definem procedimentos de reconciliação de conflitos de acordo com as suas obrigações, privilégios e papéis e pressupostos de supervisão, controle e fluxo de informação que sirvam de sistema-guia de funcionamento, aferição e valoração da organização.

 

Mais que um programa, importa que os candidatos futuros tenham (e apresentem, mesmo que sumariamente) um plano ou modelo de Governance que evite o desnorte vivido nos últimos anos em que ninguém era responsável (ou responsabilizado), em que não haviam mecanismos reais de verificação da implementação das linhas programáticas, onde o parecer bastava e sobrepunha-se ao ser e onde tudo girava apoiado no pivot das vontades, muitas vezes derivadas da necessidade estratégicas pessoais, de apenas um.

 

P.S. Conscientemente abstive-me de comentar ou elaborar sobre os terríveis dias vividos, por entender que já existia ebulição a mais. Estive sempre certo das minhas convicções formais e subjectivas, como estive do que se ia passar (resultado do escrutínio à parte, como é óbvio). O passado recente, seguramente atormentar-nos-á durante bastante tempo, mas, não recusando voltar a ele caso veja necessidade, prefiro focar-me no futuro próximo.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:16


Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D