Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Decisões

por O 6º Violino, em 10.05.19

24282939-750x501-lt.jpg

Depois da vitória europeia do nosso futsal, o Sporting discute este fim-de-semana em sua casa o titulo europeu de hóquei em patins, não partindo, em minha opinião, como favorito, tal como não o era na Final Four de futsal. Um bom prenuncio e para mim, uma vantagem, apesar da pressão acrescida de jogar em casa, neste caso.

Lá estarão mais de 2000 leões a levarem a equipa ao colo.

Daqui a menos de duas semanas estaremos a disputar a possibilidade de conquistar um segundo troféu no futebol sénior masculino, algo impensável há poucos meses atrás.

O futsal faz o seu percurso normal no campeonato, até ao que se espera, uma final renhida com o eterno rival.

O voleibol depois de uma bela campanha europeia, e de ter perdido a oportunidade de vencer um dos jogos na Luz na negra, não teve forças física e anímicas para derrotar o rival. 

O andebol, depois da melhor representação europeia de sempre, dificilmente renovará o titulo.

Ambas as formações devem ser rejuvenescidas, tendo por base um projecto a médio prazo e não vitórias no imediato. Com provas europeias e sobrecarga de jogos, os resultados estão à vista. Aproveito também para chamar a atenção para alguma veterania na formação de hóquei.

O Sporting não para, é isto, luta, dedicação e vontade de superação.

Nota 1 : Dia 14 começa a audição do caso mais triste da história do Clube. Que se castiguem apenas os verdadeiros culpados e cúmplices.

Nota 2 : Ao contrário do que prometi, não vou dar espaço à verborreia, má educação, palavras reles que classificam apenas quem as escreve, neste espaço. Apaguei dezenas de comentários insultuosos para com pessoas, símbolos do Clube e acima de tudo contra o Clube, escritos por dois ou três doentes mentais, que vêm no espaço virtual escapatória para as suas frustrações pessoais. 

SL

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:13

Da auditoria ao circo

por O 6º Violino, em 11.04.19

rico pobre 002(1).jpg

Foram ontem conhecidos pormenores relativos à auditoria forense mandada fazer pela Comissão de Gestão, e que segundo o ex-responsável das finanças, Carlos Vieira, também já estaria pensada (não concretizada) pela anterior e destituída direcção.

Considero que os dados de uma auditoria serem dados a conhecer (independentemente de não saber a fonte) pela comunicação social não me agradam pessoalmente, da mesma forma que a anterior direcção fez em 2015 com o beneplácito do jornal Expresso, quiçá através do antigo colaborador Bruno Roseiro.

O destituido presidente fez da auditoria de gestão às anteriores direcções uma bandeira eleitoral. Da mesma resultaram expulsões de sócios sem passarem por Assembleia Geral, e zero condenações judiciais. Em frente.

Vejo muita indignação pela forma como veio a público a auditoria. A mesma que vi nos adeptos benfiquistas relativamente à divulgação de mails privados. Nada de novo em relação aos pesos e medidas, mas isso será do foro da consciência individual de cada um. Dos poucos que têm.

Defendem que a auditoria deveria ser apresentada em Assembleia Geral. São os que vão fazer espectáculo circense às mesmas, os que fazem twits ao segundo sobre o que se passa nas A.G.'s, os que nunca vão, ou os que nem sócios são? Ou são só parvos?

Sobre o conteúdo geral da auditoria, poucas novidades em relação ao que já aqui escrevemos há alguns anos. No fundo é apenas a confirmação do deslumbramento de alguém que nunca foi nada na vida e que se viu rodeado de dinheiro por todos os lados, qual ilha. Ando há anos a pedir a publicação de declarações de IRS do destituído de 2011,2012...quem não deve...

Entregue à Policia Judiciária, caberá a esta verificar da existência ou não de matéria criminal.

Como sócio do Clube aguardo, mas as conclusões que tiro são relativas à gestão. Indecorosa, irresponsável, "criminosa". 

Carlos Vieira, também responsável pela barbaridade da gestão carvalhista, fala numa gestão que deu lucros. Facto. Como facto é que a mesma sempre foi desequilibrada entre receitas e despesas e que foram sustentadas por vendas de activos (receitas extraordinárias), os quais não eram orçamentados. Uma receita já utilizada pelas gerências anteriores, nada de novo, para quem falava em "gestão de excelência". Dos activos vendidos então, apenas Slimani foi aquisição da anterior direcção. 

Caro Carlos Vieira, não digo que enriqueceu com o Clube, porque casou-se bem, mas escusa de com o seu ar arrogante meter tanta palha à frente dos Sportinguistas. Não seja sonso.

Mas a reacão de Carlos Vieira foi apenas uma das patéticas destes dois dias, senão vejamos:

A reacão da YoungNetwork foi ao estilo do destituído, brejeira e trauliteira, tentando esconder a sua também e maioritariamente responsabilidade na criação de perfis falsos nas redes sociais, que culminaram com ataques pessoais e exposição de dados pessoais de sócios. Por falar nisso, o João Capitão ainda é funcionário dessa empresa? João Duarte, qual Pilatos, tenta descredibilizar a auditoria por causa de um tal Paulo André ter feito parte de um Conselho Fiscal da SAD do tempo de Godinho Lopes...lapso, ou não, não é o mesmo que fazia parte das Listas do destituído como candidato a vice do também Conselho Fiscal (Clube), então com o nº de sócio 58938? E não foi o João alertado para isso, quando em 2013 trabalhou a campanha do destituído para receber pela mesma mais tarde?

Caro João Duarte, mais tino, menos desatino...

José Ribeiro, ex-jornalista do Record, ex-funcionário do Sporting, lamentavelmente ainda sem trabalho conhecido, continua a cavalgar nas ondas do Carvalho, fazendo a defesa acérrima do ex-patrão. 

Zé, dali não vais comer mais nada...

Carlos Padrão, nunca foi Sportinguista, nunca jogou pelo Sporting, nunca foi sócio, apenas amigo de Jorge Jesus (será que também lhe tocava algum tacho?), apenas se sabe que por Angola as coisas não lhe correram bem. Mas que grande azia que o homem tem. Tão bom como homem como foi como guarda-redes.

Carlitos, fala com o JJ para ires para um qualquer país árabe...

Os ex-novos ricos viram já duas vezes os sócios do Sporting rejeitarem a sua vida faustosa. Lamentavelmente terão de se fazer à vida e procurar uma nova fonte de rendimento. A fonte secou, rapazes! Procurem um novo Batuque (estes não se queixaram de nenhum calote, curiosamente).

P.S. : Podem novamente encher a caixa de correio com insultos. Não vos responderei a perguntar pela saúde das vossas mães.

Um dia destes publicamos os vossos miminhos.

SL

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 13:26

Ressacar de Sporting

por Lizardo, em 04.04.19

5970bd1634756232824f68fe3b6bb725-783x450.jpg

 

 

Que saudades. Que saudades do Sporting. Daquele Sporting que unido dá espetáculo na bancada, que puxa pelos jogadores. Aquele Sporting que dá tudo para vencer os que consecutivamente nos têm vencido nos últimos anos. Aquele Sporting que vence, aquele Sporting que depois de vencer dá o palco aos atletas, treinadores, Sócios e Adeptos.

Estava a ressacar de Sporting. E que bom foi ontem estar em Alvalade. Uma curva sul cheia, unida, a puxar pelos nossos, bancadas centrais de pé a saltar e uma norte cada vez mais ativa e mais emotiva.

Que bom que foi ontem estar em Alvalade. Que bom que foi ver Bruno Fernandes, que bom que foi ver um Gudelj a limpar tudo, que bom que foi ver a explosão de raiva positiva aquando do magnifico e histórico golo de um dos melhores jogadores de que alguma vez já vestiram de verde e branco.

Ontem foi a prova que unidos venceremos. Este eterno cliché que tanto se usa e abusa em tantas disciplinas, da família à política, das empresas ao desporto, mas é a mais pura das verdades.

Ontem não se falou do passado, ontem tudo foi presente para melhorar o futuro. Ontem não se vislumbraram manifestações e nem um vídeo estupido foi feito dentro de um qualquer carro a ofender e difamar Sócios, Atletas e membros da Direção. Ontem fomos todos Sporting.

E quando somos todos Sporting o caminho torna-se mais fácil. A recompensa é sempre melhor. Mostramos a nossa real força, somos educados, somos melhores, somos mais fortes, somos um exemplo. E ser um exemplo foi sempre o que me orgulhou ser do Sporting.

Ser um exemplo é ser do Sporting exemplar. Ridicularize-se os que continuam a provocar ruído, inconsequente mas cansativo. Ridículos, ignorantes, sem passado no Clube e sem futuro.

Sem futuro porque ontem ficou claro que o Sporting está de volta. O Sporting, aquele, o exemplar.

Ontem matei a ressaca, que grande Sporting, que grandes Sócios e Adeptos, que grande entrega dos Jogadores, que grande leitura dos Treinadores e que grande reflexo do trabalho dos que trabalham e querem voltar a erguer este nosso amor.

Ontem matei a ressaca, mas hoje já estou a ressacar para mais um fim-de-semana de grandes emoções em Alvalade e no João Rocha. Que seja melhor, sempre melhor, porque os grandes são sempre os que crescem.

Ontem morreu o passado recente de vez. É tempo de exigir futuro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:58

Dia do Pai

por Lizardo, em 19.03.19

José_de_alvalade.jpg


Hoje celebra-se o dia do pai. E o nosso pai, o pai de todos os Sócios e Adeptos muito deve chorar de frustração. José Alvalade assiste do alto da sua grandeza celeste ao desnorte que o seu Clube, o Sporting que fundou, vive momentos de vergonha, de guerrilha interna, de fracasso presente e ausência de perspetivas de futuro.

José de Alvalade fundou um Clube que durante décadas foi um exemplo de ética e moral. Um Clube que formou Homens e Mulheres, que criou campeões, foi a génese de novas famílias, de estar na vida e de fazer vida com saúde e bem-estar.

Hoje vivemos o oposto. Tudo é dúbio. Tudo se corrói lentamente, sem valores, sem visões, com ataques baixos num Clube dividido internamente, desde as suas elites, as claques e os seus Sócios e Adeptos. O Futuro não é certamente brilhante.

Desde o 25 de abril de 1974 o Sporting foi campeão uma mão cheia de vezes. Muito pouco para uma Instituição com dimensão mundial. Durante a década de 80 e de 90, assistimos às vitórias de Porto e Benfica, eles são presença assídua nas principais competições europeias. E se antigamente a nossa ausência dessas competições criava um fosso de prestígio, hoje em dia cava um fosso muito mais complicado de recuperar, que é o fosso financeiro. Nos últimos anos ficou claro que quem não participa na Champions deixará de ter expressão entre os grandes Clubes da Europa. Durante a década de 90 ficar fora dessa competição era um mal menor. Pois era mais fácil recuperar. Hoje em dia, quando assistimos aos nossos dois rivais, que juntos já somam quase 200 milhões de euros pela sua participação na Liga dos Campeões, nós fazemos contas a uns míseros 7 milhões pela presença na Liga Europa. E assim foi nos últimos anos e assim se adivinha que será nos anos que se aproximam. E um Sporting sem os milhões da Champions não irá voltar aos tempos áureos que sempre queremos e ambicionamos voltar a viver.

Repito, um Clube não sobrevive a angariar tostões na Liga Europa enquanto os seus rivais amealham perto ou mais de 80 milhões cada pelas suas participações na Champions.

Esse tem que ser o nosso foco no presente. Como mudar este paradigma? Esse é o grande desafio.

O Sporting não precisa de Messias nem de grandes parceiros financeiros. O Sporting precisa contar a verdade aos seus Associados, precisa de gente que entenda de desporto e gestão desportiva, gente que entenda e compreenda o poder da comunicação, Marketing e Mechandising, que compreenda e antecipe a revolução digital que está em marcha no desporto, que compreenda que as instalações desportivas são a chave para formar melhor e majorar desempenhos.

O Sporting é hoje, novamente, um Clube datado à imagem do Clube que Sousa Cintra deixou quando abandonou a sua presidência nos anos noventa.

Hoje que é dia do Pai, pensem no assunto, pois é preciso uma voz que agregue a família leonina. Como estamos, caminhamos com toda a rapidez para uma trincheira de onde não sairemos nos anos mais próximos.

O Sporting somos nós, nós que o defendemos com classe, sapiência e educação, nós que pagamos quotas, nós que vamos aos Estádios e Pavilhões, nós que compramos merchandising e passamos o nosso amor de geração em geração.

Hoje é dia do pai. E que saudades que eu tenho do Sporting fundado por José de Alvalade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:26

TVI e letais

por O 6º Violino, em 13.02.19

images6ORL3CY6.jpg

Já todos percebemos o caminho que a estação televisiva TVI escolheu em relação ao desporto português. Um caminho fácil, populista, reles, ridículo e pernicioso ao desporto e ao futebol em particular. Ter nas suas fileiras Pedro Guerra, Manuel Serrão, José Pina, Pedro Proença, Eduardo Barroso, enquanto comentadores, diz bem do passado e presente e dos objectivos desta estação de televisão. Circo.

A juntar a isto, temos a já mais que visível "parceria" entre a TVI e o deposto ex-presidente do Sporting. E vamos a factos do conhecimento público para desmistificar de uma vez por todas.

Chegada da equipa de futebol a Santa Maria da Feira no domingo passado, um grupo de apoiantes do deposto, liderado por Carlos Monteiro (CM) com insultos à equipa e ao actual Presidente. 

Mas quem é esta figura, Carlos Monteiro? Fácil de responder. Carlos Monteiro foi Presidente do Núcleo de Matosinhos e acabou recentemente destituido do cargo do mesmo. CM é um fervoroso apoiante do historicamente deposto.

48376140_785318765145360_1312815878542196736_n.jpg

CM fez-se amigo pessoal do deposto e é frequentemente visto em almoços e festas organizados pelo deposto.

51620098_2279639482067298_6990523865147375616_n.jp

CM, no dia do jogo de Santa Maria da Feira só teve palco numa televisão, a TVI.

CM é o individuo que aparece num vídeo no Aeroporto Sá Carneiro depois de um jogo em Chaves a insultar Jorge Jesus e jogadores. Nesse dia, o então presidente entrou no balneário de Chaves e insultou tudo e todos, tendo fugido para Lisboa de carro. O leitor ainda acredita que CM foi ao aeroporto só porque lhe apeteceu?

CM é o mesmo que foi visto a insultar adeptos do Sporting, crianças e seus pais, no Jamor, depois da Final da Taça perdida para o Desportivo da Aves, só por estarem a aplaudir os jogadores quando estes subiam à Tribuna Presidencial. Já todos sabemos os antecedentes à Final da Taça...coincidências, outra vez?

Mas vamos a mais factos: Luis Aguilar, benfiquista anti-Sporting é co-autor do novo livro do deposto, é comentador TVI.

Sexta-feira, o deposto dará uma entrevista. Na TVI.

Acredite em coincidências quem quiser, quem quiser fazer um exercício simples ao cérebro terá rapidamente as conclusões óbvias.

Circo, TVI, letais.

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:20

O histerismo

por O 6º Violino, em 31.01.19

untitled.png

Os últimos dias do futebol português têm sido caracterizados por várias demonstrações de histerismo, colectivos e individuais.

Comecemos pelas meias-finais da Taça da Liga:

Foram histéricos o Abel, o Salvador e o Vieira. Abel e Salvador porque demonstraram aquilo que realmente são, capachos do Benfica. Vieira,o histérico-mor, porque conseguiu atacar e afastar um árbitro que defendeu nos famosos mails. Todos os pormenores que resultaram no histerismo destas três personagens já são sobejamente conhecidas e fartamente discutidas.

Na final da dita competição surgiram mais dois histéricos. O histérico Diamantino, elemento da equipa técnica do Porto e Sérgio Conceição, histérico e mentiroso.

Conceição e a sua equipa não foram cuspidos. O Porto quando subiu à tribuna para receber as medalhas, foi aplaudido pela maioria dos Sportinguistas naquela bancada, já os seus adeptos estavam nos carros e autocarros para regressarem à invicta. Depois de receberem as medalhas, jogadores e restante staff portista ficaram  no relvado junto ao seu banco de suplentes. Uma boca aqui e outra ali, foram o suficiente para Conceição enviar a sua medalha para a bancada e ordenar a retirada dos seus jogadores. Nada mais do que isto. Pura azia por ter perdido uma competição que "ninguém queria" e que foi vencida pelo "patinho feio" dos finalistas. É lidar.

A este tipo de histerismo, o meu desprezo a partir de agora.

Vamos ao mais importante histerismo, o leonino. Importante porque o prejudicado é sempre o mesmo, o Sporting.

O adepto histérico é aquele que no sábado abriu uma garrafa de espumante e depois do jogo em Setúbal "bateu" em tudo, nos jogadores, no Presidente, no mau tempo, no árbitro (aqui compreendo a histeria), na falta de profissionalismo,etc....

O histérico ainda não viu as limitações do plantel, do seu desequilibro e da pouca qualidade futebolística de muitos dos jogadores.

O histérico é aquele adepto que não tem a noção daquilo que esta equipa não pode dar. Ainda não viu que a equipa está presa por arames.

O histérico é aquele que está a esfregar as mãos pelos maus resultados para poder atacar uma direcção eleita democraticamente nas eleições mais concorridas de sempre. Histérico e nada Sportinguista.

O histérico assobia um grupo de jogadores que tem mostrado compromisso e luta, mesmo não tendo a qualidade necessária.

Apesar de tudo, a equipa tem sido muito melhor que o histérico.

Mudando de agulha, uma nota para Frederico Varandas: não caia no erro histérico de fazer do nosso rival o alvo dos seus discursos. Isso não resultou com o deposto, não voltará a resultar. Isso é bom apenas para agradar a uma franja de putos "tuiteiros", que maioritariamente não vai aos estádios nem as Assembleias Gerais. Foque-se no Sporting e já terá com que se entreter. Não precisa de resvalar para o populismo, se não for pedir muito.

SL

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 16:14

Está tudo errado

por Lizardo, em 31.01.19

f61abc8aaf778ab43033b970ed51-are-people-getting-mo


O Futebol português não se reinventa. Vive uma estabilidade dolorosa, não evolui, não se reinventa, não se enquadra nem se oferece ao respeito, e por consequência não transmite os valores que o desporto deve transmitir a todos os estratos e gerações de quem o vive de forma apaixonada.

Tudo está errado. Esta jornada tivemos três clássicos do nosso futebol. Seis equipas com longas e eternas histórias, que muito já ofereceram ao futebol português. O que assistimos? A um Benfica x Boavista a uma terça-feira chuvoso e de noite fria, a um Vitória x Sporting e a um Porto x Belenenses numa quarta e fria noite. Os estádios às moscas, clima adverso, final do sempre comprido mês de janeiro e horários escolhidos completamente patéticos.

A juntar a tudo isto a promoção do jogo, da beleza que deveríamos debater, o lance, o drible, a finta e o golo, o passe e a tática, mal finalizam os jogos a Sporttv coloca-nos dentro de uma carrinha a avaliar as arbitragens e os lances polémicos. Para todos os outros portugueses, os que não podem ou não querem assumir a despesa do Pay Per View, sobra-lhes os ignorantes e até ignóbeis comentadores, que com as suas cartilhas vomitam e destilam ódios, cavam trincheiras e não promovem o desporto e o fenómeno futebol. Não precisamos ir muito longe para perceber que tudo isto é errado, basta olhar para o resto da europa.

A todos estes erros juntam-se os erros de comunicação, neste caso concreto, do Sporting. Muito me tinha agradado o silêncio assumido até à data. Finalmente no Sporting não temos um Presidente de uma Assembleia Geral, um Vice ou outro qualquer Dirigente com espaço mediático para se auto-promover e debitar asneiras e mais asneiras. Frederico Varandas, o Presidente, falou quando tinha que falar e quando falou, falou sempre bem, de forma educada e sempre na defesa dos reais interesses do Sporting Clube de Portugal. Errou, opinião pessoal, com este editorial de hoje, onde aponta vários e conhecidos comportamentos do rival Benfica. Mau timing, péssima leitura de oportunidade e acima de tudo, o que mais me frustra, a galopante cagança, ou ego, se preferirem, de ganhar peito para atacar depois de vencer uma competição menor em Braga contra o FC Porto. Varandas perdeu uma oportunidade de estar calado. O tempo tem-nos ensinado que atacar o Benfica é uma péssima estratégia. Bem sabemos que há toda uma franja de tontinhos que rejubila com este comportamento, mas na verdade dos factos, as causas não provocam nunca o efeito desejado.

Posto isto, com tantos erros, tão evidentes, temos que juntar a vergonha que é a arbitragem atualmente. Uma classe sem prestígio nem qualidade, completamente fraturada e numa guerrilha para a manutenção de avenças, prémios e ordenados, onde vale tudo e tudo vale porque a impunidade é a lei que impera no caos que é a arbitragem em Portugal.

Por fim, uma palavra para os Adeptos, também nós caímos constantemente no erro. Vamos do céu ao inferno em poucas horas, não compreendemos decisões que se tomam na gestão do plantel por parte dos Treinadores, não percebemos compras e vendas, não temos matéria para avaliar decisões algumas. E na ausência de substância, instala-se a emoção, e com a emoção chegam os aplausos e os assobios, os lenços brancos e os pedidos de eleições. Assim temos vivido nas últimas décadas.

Está tudo mal e pior que estar tudo mal é sabermos à priori que tudo assim vai continuar. O futebol português não pode continuar a viver desta forma. Sem estratégia, sem valores, sem gente com mérito e sem transparência e comunicação essencial para que todos possam opinar com razão de causa e menos emoção. Pois a emoção vive na bancada, no golo, nas vitórias, nas derrotas e nos episódios que engradecem as nossas instituições como a ajuda do nosso Presidente a um adepto.

O Futebol precisa de educação. E essa educação só se instala com gente educada. Assim, como está, com estes párias sociais, caciques e outros gestores de poderes, o futebol caminha para deixar de ser um fenómeno com a expressão que ainda tem. Pois as novas gerações, muitos, desprezam já este imundo mundo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36

Tempo...

por O 6º Violino, em 17.01.19

tempo_.jpg

Passaram quatro meses desde o acto eleitoral de Setembro, em que algumas coisas já foram feitas e muitas mais estarão por fazer, como é natural.

O escasso tempo que passou já deu para perceber pelo menos da diferença comunicacional em comparação com o passado nos anteriores cinco anos. Já se percebeu que o Sporting já não é capa dos jornais pelos motivos mais ridículos e pela sobreposição do "eu" ao "nós".

O Sporting terá um longo e penoso caminho a percorrer para se livrar das amarras de uma gestão penosa em que o Clube sofreu profundas alterações no seu ADN. Ainda existe uma franja de poucos miúdos com acne que mais não fazem do que barulho, mas um barulho de baixo nivel, em que colocam o Clube sob gozo. Mais cedo do que tarde vão desaparecer em troca de uma novidade qualquer. 

No que toca a assuntos sérios e que alguns tardam em ser clarificados, temos:

Quando estará pronta a Auditoria Forense, e quando serão informados os sócios do resultado da mesma?

Em que pé estão os processos disciplinares a membros do anterior Conselho Directivo, nos quais foram propostas expulsões dos vários elementos?

Os actuais Órgãos Sociais já tiveram o tempo suficiente para perceber que "união" não pode ser contemplar este tipo de letargia, não pode contemplar esta gente que constantemente mina o Clube, porque muitos dos seus mais acérrimos defensores ainda estão dentro das quatro paredes do Clube. Não podem continuar a ter esqueletos nos armários. O passado recente, de tão traumatizante que foi, tem de ser rapidamente arrumado. Sem contemplações nem falsas uniões. O Sporting precisa de paz para vencer o presente e o futuro, o mais rapidamente possivel.

Não pode haver receio de quem venceu as eleições mais participadas da história. 

O Sporting tem de reerguer-se o mais depressa possível, mesmo que interesses particulares de alguns elementos derrotados nas últimas eleições, também, fiquem em causa, por muito bom nome que tenham.

Nota final: A Direcção já devia ter vindo a público esclarecer os sócios sobre o pagamento (ou não) de uma tranche relativa à transferência de Marcos Acuña. 

Falem a verdade aos sócios!

SL

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 16:52

Ficou o aviso!

por O 6º Violino, em 04.12.18

f_77754.jpg

Aqui há umas semanas alertei para a importância da participação na última Assembleia Geral. Assim o fiz por saber do "modus operandi"de uma nova casta que emergiu em 2013 no nosso Clube, uma casta que não olha a meios para atingir os seus fins. Felizmente são cada vez menos e a expressão atingida na dita AG só parece grande pela ausência dos restantes associados que pouco ou nada se revêm em comportamentos próprios de energúmenos.

O que passou para o exterior da AG foi grave, porque verdadeiro. O que assistimos foi tudo aquilo em que estamos habituados a criticar no nosso rival da segunda circular.

Foram os mesmos que incendiaram a AG de 23 de Junho, com tentativas de agressão a Álvaro Sobrinho, por exemplo, que na sua qualidade de sócio, pode e deve sentir-se confortável em qualquer Assembleia do Clube. Desta vez o alvo foi também Henrique Monteiro.

Nunca numa Assembleia um Presidente (nem Godinho Lopes) recentemente eleito foi vaiado e quase impedido de falar, tendo de recorrer a segurança privada para exercer o seu direito de voto. VERGONHOSO!

E aqui a culpa tem vários rostos, desde quem preparou tais actos, Azevedo de Carvalho, como quem permitiu a arruaça durante várias horas, Rogério Alves.

Quem assistiu in loco pode verificar que a táctica utilizada pelos fanáticos do deposto presidente actuaram concertadamente como tinham feito em 23 de Junho. Por sorte, e pela presença de sócios com muita militância, mais uma vez foram derrotados, felizmente para o nosso Clube.

Fica o aviso para que no dia 15 (aguardamos agendamento) ninguém fique na poltrona e que sejamos todos responsáveis, comparecendo em número elevado. Azevedo de Carvalho meteu a carne toda no assador na última AG. Não tem muitos mais apoiantes do que aquelas caricaturas ridículas. 

É hora de levarem mais uma lição de Sportinguismo como levaram no último acto eleitoral e na AG de 23 de Junho.

O Sporting não pode ficar refém deste lixo tóxico que muito berra e ofende, e que não quer saber do Clube para nada, mas sim continuar a idolatrar quem tanto mal fez ao Clube, quem tanto desrespeitou os Estatutos do Clube.

Que tenha servido também de lição para Frederico Varandas. O discurso da união não pode ser levado à letra com esta gente. Varandas já mostrou que não tem medo de enfrentar as dificuldades, e será essa coragem que os restantes Órgãos Sociais devem ter para a necessária "higienização" do Clube.

Rogério Alves tem de deixar em definitivo de querer estar bem com Deus e com o Diabo. O Conselho Fiscal tem rapidamente de encerrar os processos disciplinares pendentes. A auditoria forense tem rapidamente de terminar e os sócios serem informados de tudo o que se passou nos últimos cinco anos. Não podem ficar pontas soltas. O Sporting não tem tempo a perder com estas figuras emergentes em 2013. O Sporting é muito mais que uma centena de ordinários que mancham a imagem externa do Clube. O Sporting foi, é, e sempre será um Clube diferente dos demais, quer esses analfabetos funcionais queiram, quer não.

O tempo urge! É tempo de limpar o tumor instalado! É tempo de Sporting Clube de Portugal!

SL

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:39

A Assembleia de dia 30

por O 6º Violino, em 19.11.18

24220024_770x433_acf_cropped_770x433_acf_cropped.j

Conforme anunciado pelo PMAG, Rogério Alves, embora ainda não publicada a sua convocatória, realiza-se no dia 30 de Novembro Assembleia Geral com o objectivo de aprovar as contas do Clube relativamente à temporada e o orçamento para esta temporada.

A mesma realiza-se apenas agora pelos factos já por todos conhecidos.

Para que a história não se repita, apela-se à presença de todos os associados que o possam fazer.

Relembro que em 2012, um grupo liderado pelo destituído presidente tentou, sem sucesso um golpe palaciano, através do chumbo do orçamento e contas então apresentado pela Direcção de Godinho Lopes. Nessa Assembleia o orçamento e as contas não foram chumbadas porque muitos dos que prometeram aparecer (aquando de várias reuniões) resolveram ficar em casa.

Ora, o "modus operandi" dos fanáticos do deposto, bem como do próprio, fazem com que os associados devam estar alerta para o que se possa passar. Basta ver que o deposto não teve qualquer problema em colocar providências cautelares para que o normal funcionamento da instituição não decorresse. Novamente e em  surdina, e porque o "ressabiamento" é enorme, pode estar a ser preparado mais uma tentativa de golpe de teatro por parte de quem não respeita sequer os estatutos do Clube.

Olho vivo e não fiquem em casa.

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 17:18


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D