Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Ano perdido

por O 6º Violino, em 10.07.17

000038418-c00270c8-9902-40e8-adac-da0525f7d612.jpg

Provavelmente esta é a primeira vez que escrevo sem ser especificamente sobre o Sporting Clube de Portugal, se bem que o tema toca a todos os Clubes.

Há precisamente um ano Portugal sagrou-se Campeão Europeu, fazendo com que o nome da selecção e do país se difundisse por todo o mundo.

Uma oportunidade perdida para que a imagem do futebol português mudasse e fossemos vistos cá dentro e lá forma de outra maneira. Ter uma imagem positiva, em que jogadores e treinadores fossem os verdadeiros artistas, os verdadeiros protagonistas.

Pelo contrário, os agentes do futebol em Portugal continuam a dar sistemáticos tiros nos pés. Os agentes do futebol não estão preocupados com uma indústria que gere milhões. Estão a matar a "galinha dos ovos de ouro" que têm nas mãos.

Cada um apenas se preocupa com a sua "quinta". Entregam a sua comunicação a pessoas que raramente pertencem ao fenómeno futebolístico. As áreas comunicacionais dos chamados Clubes grandes, por exemplo, mais não fazem do que se atacarem entre si, chegando ao ponto de se esconderem sob o anonimato, criando diversas páginas de facebook e blogs.

De si apenas a bajulação dos presidentes e os resultados positivos.

Os Clubes grandes querem todos esconder as suas fragilidades, e nisso estão todos em pé de igualdade. O Benfica tenta escapar pelos pingos da chuva de um cenário de tráfico de influências que está a manchar a sua reputação. Sob este assunto são raros os dirigentes que ousam tocar no assunto. Utilizam os peões Pedro Guerra, Hugo Gil, José Marinho, Ventura, entre outros artistas.

O Porto está mergulhado na sua maior crise económica de sempre, sem resultados desportivos, os quais durante anos serviram para camuflar uma gestão irresponsável do Clube. Sobre corrupção e tráfego de influências devia abster-se de fazer qualquer tipo de comentários. Os inseparáveis programas do Porto Canal são o espelho de um Clube sem rumo. Francisco J. Marques, Bernardino Barros, Manuel Queirós, entre outros, não acrescentam nada e mostram-se esquecidos do que o seu Clube andou a fazer durante décadas.

O Sporting continua a apanhar boleia, desta vez do Porto. Sem títulos, gastando como nunca, vivendo de receitas extraordinárias e de antecipação de receitas, sabe que a temporada que agora se inicia pode ser decisiva para os seus órgãos sociais, varrendo para baixo do tapete as apostas do passado, como o equilíbrio entre despesas e receitas e a aposta na formação. As últimas aquisições são a confirmação do que acabo de dizer. Veremos quantos atletas da formação teremos inscritos a 31 de Agosto.

O Sporting, e é este o Clube que mais me interessa, continua a ser gerido sem rumo, sem projecto, com navegação à vista.

Mais tarde vamos colher frutos deste destempero. Nuno Saraiva (felizmente castigado), José Pina, Eduardo Barroso, Dias Ferreira, José Eduardo, Paulo de Andrade, Manuel Fernandes, Fernando Mendes, Pedro Batista, Carlos Dolbeth, entre outras personagens risíveis do universo leonino, são a prova da doença que enferma o Clube. Um Clube longe do seu ADN e do orgulho que os seus adeptos mais antigos na filiação e dedicação, podiam sustentar. Estamos na mesma linha dos demais adversários.

A solução para o futebol português pode estar nas mãos do Estado. O problema é que o Estado se demite de fazer frente aos poderes instalados, ora por receio, ora por compadrio.

Num Estado normal a próxima temporada não começava sem todos estes temas estarem resolvidos, doesse a quem doesse.

A outra solução, mas mais complicada, passaria por uma renovação de dirigentes de Clubes, Associações, Federação e demais organismos responsáveis.

No caso dos Clubes, ainda mais difícil. Luís Filipe Vieira é um ex-empresário dedicado ao Clube e cujo nome na praça pública está longe de ser convidativo a que possa voltar ao mundo dos negócios. Pinto da Costa, há mais de 30 anos que vive à custa do futebol, e não é com a idade que tem que iria recomeçar uma nova vida. Azevedo de Carvalho, passou de empresário falido a novo rico, vivendo e ostentando luxuria para si e sua família (neste caso várias famílias). Toda esta gente está dependente do futebol para sobreviver. Toda esta gente está a matar o futebol e a fazer do mesmo um espectáculo cada vez mais só para arruaceiros.

Até quando sobreviverão os Clubes com esta gente?

SL

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 16:12

André, André.....

por O 6º Violino, em 04.07.17

img_770x433$2017_04_12_01_30_00_1250320.jpg

Os mais atentos ao fenómeno do futebol questionam-se constantemente o que viu Azevedo de Carvalho em André Geraldes para que este tenha assumido o cargo de Team Manager, qualquer coisa como Director Desportivo.

Vejamos o curriculum do André até chegar ao Sporting pela mão de Azevedo de Carvalho.

Em termos académicos o André não fez mais do que o 12º ano de escolaridade.

Profissionalmente o André passou belo Barclays, sendo responsável de vendas. Quem nunca foi abordado telefonicamente ou em centros comerciais por rapazes e raparigas a tentar angariar clientes para os cartões de crédito desse banco?

Posteriormente, 2 anos depois, entra na empresa Decisões e Soluções, estando também ligado à área comercial. De Março de 2013 a Junho de 2014, acumula o cargo com o de OLA, oficial de ligação aos adeptos.

Desportivamente diz o André que esteve como treinador do CD Mafra e Sintrense. Obviamente só pode ter sido nas camadas jovens.

No Sporting, André entra para o mesmo gabinete de Pedro Baptista e Augusto Inácio. Pedro Baptista, que, para mal do Sporting assume um patético protagonismo na Sporting TV, actualmente, vindo da Fundação Aragão Pinto, que já não existe, e cujas instalações parecem seladas. Parecem.

Durante alguns meses o trabalho do André era vigiar as redes sociais, juntamente com Pedro Batista e mais uns quantos miúdos a mando da Young Network e ao serviço de Azevedo de Carvalho. André tinha acesso aos dados dos associados, moradas, telefones, filiações, e vários foram os sócios ameaçados por pessoas cujos dados pessoais eram facultados pelo André.

André e Baptista, a dupla de confiança de Azevedo, a que se junta a família Capitão. André foi ainda um dos responsáveis do patético "Movimento Basta" e da pífia ida à sede da F.P.F. com uns quantos rapazes especialistas em largar petardos, como forma de protesto.

André era então o responsável por manter as claques sem sobressaltos, negociando amiúde a cedência cada vez maior de bilhetes. Um bom samaritano.

Mais tarde, André passa a ser responsável por receber os atletas, e na ajuda logística dos mesmos. Motorista, mas não só. Responsável pelo gabinete de apoio ao atleta, ou coisa que o valha.

Aqui entra Octávio Machado, e aqui estou à vontade, porque nunca foi do meu agrado o seu regresso ao Clube.

Octávio entra a pedido de Jorge Jesus, por ser aquilo a que se chama de "velha raposa". Durante o primeiro ano de trabalho de Octávio, o Sporting consegue, pontualmente, os seus melhores resultados desportivos. Na última temporada a acção de Octávio foi-se esgotando, tendo o André ganho cada vez mais protagonismo. 

Não sei quem Octávio apelida de "nojento", agora que se despediu. Não sei quem Octávio chama de "chibo". Sei que ambos os adjectivos assentam que nem uma luva no André. Mas é só a minha opinião, não tenho como provar.

E é com esta personagem que o Sporting quer ir para a "guerra". Depois os Sportinguistas menos atentos perguntam o porquê de termos bons jogadores, bons treinadores e não ganharmos nada de relevante. A resposta está aqui. É uma estrutura fraquinha.

SL

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 16:58

O Discurso do Bruno

por Lizardo, em 26.06.17

 

 

O filme “Feios, Porcos e Maus” de Ettore Scola é uma obra prima. A vida em tempo real, um quadro pintado com sapiência que explica que tudo na vida tem uma relação de causa-efeito.



Os reles, porcos e nojentos, uma obra insonsa de Bruno de Carvalho é também um quadro da vida real do desporto nacional. E que nos explica que tudo tem também uma consequência, e que todos os atos resultam em factos que nos podem custar muito caro no futuro.



O discurso do Bruno foi mais um episódio deplorável. Não quero acreditar no que disse nem quero acreditar que exista quem tenha a baixeza de criar uma trama para tramar o Presidente envolvendo a sua família e amigos mais próximos. O conteúdo do “word” revelado é demasiado grave.



O Sporting não se pode nem se deve confundir com estes episódios. Se o Presidente se sente atacado deve ter a capacidade e o poder de se defender nos locais próprios, afastando este lixo do Clube, tentando ao máximo não envolver o nome Sporting em episódios deploráveis e discussões de sargeta.

 

Mas Bruno não consegue, Bruno é o ator principal de Feios, Porcos e Maus. Uma personagem que procura a vida fácil, que se entrega aos prazeres da vida, que despreza e não entende que tudo está ligado e que tudo pode trazer consequências para a sua vida, para a vida dos que o rodeiam e acima de tudo, para o Sporting.


Bruno continua a não entender que não pode ofender Sócios, mesmo que o mereçam. Não se trata somente de ter uma imprescindível posição institucional, mas também de compreender que a gestão de comunicação, atualmente, não se resume ao nosso Bairro, à nossa Cidade ou País, hoje, tudo ganha uma projeção mundial em segundos. E Bruno não compreende que utilizar termos como: “Nojentos”, “Reles” e “Porcos” rapidamente se transforma numa generalização a todos os Sportinguistas. É o lado perverso da rapidez da comunicação.


Por tudo isto, o que se passou na passada Assembleia Geral foi grave. Merece ser investigado e não pode passar impune. Não podemos aceitar que se ataque um Presidente desta maneira, mesmo que não concordemos com a sua gestão, nem podemos concordar com este teatro que envolve o nome do Sporting, levando o nosso bom nome para níveis que não se relacionam com a nossa história centenária.



É tempo de pensar muito bem se é isto que queremos para o Sporting. A próxima época começa hoje, as incógnitas são muitas, só peço que a espinha dorsal se mantenha, que continuemos a ser um Clube que valoriza os seus formandos e que aposta nos jogadores portugueses, os que foram campeões da europa e os que num futuro muito próximo muitas alegrias nos podem dar.

 

Peço também que o Sporting saiba gerir da melhor forma a mentira e a batota, por todos sabida e conhecida, que envolve o Benfica. Temos que saber lutar de forma sapiente, estes sim são reles, nojentos e porcos, com todo o respeito que me merecem alguns rivais, os nossos, os Sócios, por mais líricos que sejam e por mais que se sirvam do Clube em vez de o servir, continuarão sempre a ser do Sporting. E este Sporting atual está cheio de lambuças. Cheio.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:23

1f9.jpg

 

 

Ontem foi tornada publica uma gravação de uma conversa entre Bruno de Carvalho e um conjunto de jornalistas. Durante três horas o sumo que se retira é uma enorme pipa de banalidades, de ataques, de autoelogios e acima de tudo, de um nível tão raso que não compreende a grandeza do cargo e da Instituição que representa.

 

O que se ouve durante três horas de conversa de balcão, numa qualquer taverna de uma localidade à beira-mar, é assustador e sintomático do carácter (ou falta dele) da pessoa que dirige o Sporting atual.

Chama a Ele a responsabilidade das melhores contratações, nega perentoriamente as que falharam e chuta responsabilidades para outros, apelida os Sócios de “estúpidos” e a cereja no topo do bolo é o desprezo com que encara a Gala, que ele criou, e como tal, se considera dono e senhor da mesma. Nada de novo, sempre confundiu as competências do cargo que ocupa com a forma de gerir um pequeno negócio numa qualquer garagem em Telheiras. Este estilo pato-bravo levou a muitas falências, esperemos para ver o impacto que terá no futuro do nosso Sporting, o lucro aventado hoje, ao contrário do que se festeja, revela que continuamos no mesmo registo que este Presidente combateu, vivemos de lucros de vendas, na sua maioria jogadores formados internamente, projeto esse abandonado de forma clara com a entrada de Jorge Jesus, e pelos vistos, com toda a conivência do Presidente, que acha “estúpidos” todos os que pensam que se ganham títulos com os jogadores de Alcochete. Tem toda a razão, não se ganha só com estes, mas pelos vistos não temos ganho com nenhuns, e o que Alcochete nos tem oferecido nos últimos anos é encaixe financeiro, a relembrar só alguns nomes: Ronaldo, Quaresma, Viana, Nani, João Mário, Cédric, Illori, Bruma, entre tantos outros.

 

Mas como em tudo na vida existem os danos colaterais deste estilo e desta boçalidade. Assistir a “ilustres” que defendem este Presidente, só me leva a pensar que estamos perante um ato de desespero, há fome em Portugal. Pina, Dolbeth, Saraiva, entre outros, na defesa cega deste Presidente não compreendem que se estão a reduzir a um estado de falência intelectual tão grande e tão grave, que no dia que todo este fraco edifício azevediano cair, todos irão seguir o mesmo destino. E quem sabe, e assim espero, para sempre longe e afastados do Sporting. Não o servem, servem-se, e gente desta estirpe faz tanta falta como a fome.

 

Em conclusão, que pouco há a escrever sobre este tema, deixo somente para pensamento o hipotético cenário de uma hecatombe cada vez mais próxima e cada vez mais evidente. Os rivais estão a arrumar a sua casa, nós estamos em clima de guerra declarada, internamente e no panorama externo, contra tudo e contra todos. Vamos ter que vender, vamos voltar a comprar por atacado e em mercados que oferecem jogadores de qualidade duvidosa, e claro, vamos para mais um ano zero onde vamos superar novamente o nosso recorde orçamental.


Admito que muitos Sócios defendam esta direção. São praticamente os mesmos que defenderam Godinho Lopes até à exaustão. É assim, é muito fácil apoiar o poder. É preciso coragem, dignidade, frontalidade e uma espinha dorsal bem definida e hirta para criticar. O futebol é feito cada vez mais de gente sem pinga de valor. E cada vez mais feito de gente que abusa da pinga!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:55

A fonte de Alvalade

por Trinco, em 25.05.17

peq_alm_tipico.jpg

 

Ontem, a meio da tarde, começaram a jorrar em catadupa informações sobre o futuro próximo e as intenções de quem gere o Clube. E surgiram transversalmente em todos os Órgãos de Comunicação Social.

 

Alguns desconfiaram, da veracidade da fonte e por via disso da veracidade e realismo da informação, menorizando-a como uma invenção (mais uma) jornalística.

 

No entanto, uma análise mais apertada, permite perceber que essa fonte existe mesmo. E provavelmente até fala na 1ª pessoa. E ao aparecer em quase todos os Órgãos de Comunicação Social (terão havido alguns "apartheidizados" de castigo) isso quer dizer que foram convocados. E ao ser de tarde, isso quer dizer que o mesmo encontro decorreu de manhã, provavelmente para prevenir "excessos comunicacionais" derivados da abundância etílica no último "convívio" que iam provocando em definitivo o divorcio num casamento de saúde periclitante.

 

Assim, convém perceber o alcance do que a fonte diz, provavelmente até na 1ª pessoa.

 

Desde logo que admite antecipar eleições caso não seja campeão na próxima época. Isto não é mais que duas coisas. Um comprar de mais um ano, estabelecendo um prazo de validade e tentando fazer com que a onda crescente de criticas amaine. E com isso a possibilidade de criar as narrativas e encenações, caso esse objectivo não seja alcançado, que lhe permitam continuar empregado.

 

Diz também que admite vender abaixo da clausula. Isto também quer dizer duas coisas. Que mais do que estar aberto, precisa desesperadamente de vender para se manter à tona e que toda a retórica dos "valores indecentes" do "vender como na Premier League"  ou até das "duplas almofadas" não eram mais que balelas para enganar incautos e crentes.

 

Fala da antecipação dos valores do acordo com a NOS. Além de, segundo se sabe, este acordo ainda estar a ser investigado e por aprovar na AdC, este procedimento de antecipação de receitas é em tudo igual ao que era muito criticado num passado recente como abusivo por usar as receitas de mandatos para além do vigente, dificultando e condicionando fortemente a planificação e gestões futuras.

 

Informa que o plantel será mais curto, com 24 a 25 elementos, informando ao mesmo tempo que Iuri e Jonathan, farão parte do mesmo. Antes de mais, espero que o treinador saiba disso e tenha concordado, não vá o atleta ter a utilização dos que foram trazidos à revelia do mesmo, quer em Julho, quer em Dezembro. É que para isso já terão sido contratados 2. Além disso, dum plantel que este ano chegou a ter mais de 30 atletas e onde se assume a entrada em regresso de alguns e permanência de outros entretanto já regressados, isso quererá dizer, mais uma revolução. Até porque terão que haver contratações para entreter o adepto e arrecadar e distribuir mais algumas "comissõezinhas".

 

Por fim, fala ainda da possibilidade de voltar aos negócios com Jorge Mendes, curiosamente em véspera de lançamento do livro do jornalista italiano patrocinado e armado em herói pela tropa fandanga sobre o mesmo, com promessas de revelações escaldantes sobre o "modus operandi" do empresário. Ou seja, quando as calças começam a ficar apertadas ao rabo, até a alma se vende ao diabo por conveniência.

 

Tudo isto mais não é que a confirmação que Azevedo de Carvalho será o seu principal inimigo e por extensão do Clube, por não agir nem gerir pelo Clube, mas apenas pela sua sobrevivência.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

"Conversa da treta"

por O 6º Violino, em 23.05.17

20390158_D0LH1.jpg

Terminou finalmente uma temporada em que a partir de Dezembro só tivemos o fantasma de um Sporting que se quer vencedor. Uma época em que se bateu o recorde de investimento. Calma, também se fizeram boas vendas.

 

Ainda assim, um investimento muito acima das possibilidades do Clube, e como tal, neste defeso vai ser preciso voltar a vender activos para que as contas fiquem minimamente equilibradas. Bastou a venda de dois dos melhores jogadores, para vermos a inversão de resultados.

 

Como já aqui foi dito, o Sporting não pode pagar o que paga a Jorge Jesus. A dificuldade que Azevedo de Carvalho mostra em "desfazer-se" do treinador está nos 16 milhões. Mesmo que Jesus abdicasse dos mesmos, nunca o actual presidente iria permitir que este saísse para o Porto, por exemplo. Ambos precisam um do outro. Deixo aqui escrito : vão cair de mãos dadas. De uma forma que vai causar danos ao Clube. Talvez irreparáveis. Isto não é futurologia, é dos livros básicos.

 

E já nem as desculpas "encartilhadas" e ecoadas pelos paineleiros ao seu serviço conseguem desmentir os factos. Os números são o que são e não enganam.

 

Vamos a eles?

 

No campeonato:

 

O Sporting fez 70 pontos, menos 16 que na temporada passada. Mais 3 que na temporada de Leonardo Jardim, e menos 6 que na temporada de Marco Silva. Com orçamento muito superior. Comparado com os orçamentos nas épocas de Jardim e Silva, mais que duplicou.

 

O Sporting marcou 68 golos, menos que os 2 primeiros classificados. Na temporada passada marcou 79. Comparando com Leonardo Jardim marcou mais 12 e mais 1 do que com Marco Silva.

 

O Sporting sofreu 36 golos, quase o dobro dos 2 primeiros classificados, que juntos sofreram 37. Na temporada passada sofreu 21. Com Leonardo Jardim sofreu 20 e com Marco Silva sofreu 29.

 

Sofreu o mesmo número de golos que Braga e Boavista. Sofreu mais 4 que o Marítimo. Sofreu menos 3 que Guimarães e Rio-Ave. Sintomático.

 

O Sporting utilizou 34 jogadores ao longo da temporada.

 

O Sporting contratou 11 jogadores no inicio da temporada. Abaixo os minutos de utilização de cada 1 deles:

 

 

Jogador

Minutos de utilização
Bas Dost   3506
Joel Campbell 1237
Alan Ruiz 1648
Elias 679
André 530
Markovic 610
Castaignos 373
Douglas 585
Petrovic 138
Meli   16
Beto 810

 

Daqui se pode concluir que o único reforço "sério" foi Bas Dost que custou 12 milhões de euros.

 

Dá-se ainda o beneficio da dúvida a Alan Ruiz. 

 

Beto, é um bom suplente. Tudo o resto foram pregos no caixão, e nem a ladainha da adaptação pode servir de desculpa. Bas Dost foi o último a chegar e o que melhor rendimento teve.

 

Os números não enganam, como disse, e não são os paineleiros nem o Nuno Saraiva de Carvalho que conseguirão desmentir os factos com tanta mentira que debitam.

 

Para terminar, continuo a aguardar que o Nuno Saraiva de Carvalho saia em defesa de Rúben Semedo. Ou os seus (do Carvalho) posts só servem para passar azeite no patrão?

 

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 14:56

Rúben Semedo

por O 6º Violino, em 22.05.17

18556272_1512879285452937_4685738029833470334_n.jp

Rúben Semedo é um activo da SAD do Sporting.

Rúben Semedo, goste-se ou não, é produto da Academia de Alcochete.

Rúben Semedo foi aposta de Jorge Jesus, que viu nele qualidades para fazer dupla com Coates.

Rúben Semedo renovou contrato com o Sporting até 2022 há pouco mais de um ano, mais precisamente em 9 de Março de 2016.

A faixa ontem mostrada por uma das claques desvaloriza o jogador, o activo.

Passadas mais de 15 horas, a picareta falante, "Nuno Saraiva de Carvalho" ainda não fez um post a defender o jogador, o activo.

Ao contrário das dezenas de posts que já fez a defender o patrão, esta atitude só pode ter uma leitura. A faixa foi autorizada pela direcção do Clube, o que é ainda mais grave.

Curiosamente, as únicas faixas que tinham como alvo a tribuna presidencial foram mandadas retirar, sob o pretexto de não terem sido autorizadas.

Sintomático, o estado a que chegou o nosso Clube.

Uma vergonha.

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:00

Metalidade

por Lizardo, em 22.05.17

565f8a5eb6fcb4bb6bc6f359a3e291b1.jpg

 

 

 

O Sporting sempre se afirmou como um “Clube diferente”. Para o bem e para o mal, durante muitos anos, e em especial no pesadelo que foi a gestão de Sousa Cintra, este chavão era várias vezes utilizado para capitalizar a forma como se superava desaires. Uma estratégia que tentava revelar que mesmo nos momentos mais complicados, derrota após derrota, lá estavam os quarenta e tal mil habituais no velhinho Alvalade.



Com o tempo essa identidade foi também várias vezes aproveitada, sempre com o intuito de chamar e passar a mão “plo pelo” de Sócios e Adeptos.


Atualmente já não somos diferentes, somos assumidamente retrógrados e completamente desfasados da realidade do que é um Clube Empresa e como funcionam os índices de motivação e valorização de jogadores.


Ontem durante o jogo, com vários recados, uns encomendados, outros que foram uma surpresa para alguns, surgiu uma mensagem para Ruben Semedo. Um jogador com vários anos de Sporting, campeão em vários escalões da nossa formação, internacional, um jogador que deveria ser motivado e acima de tudo, valorizado. Afinal, tem sido este o nosso mealheiro nos últimos anos, as vendas dos jogadores que formamos.



Ontem tudo se fez em sentido contrário. Desmotivamos um jogador que tem qualidade, que é da casa, e mais grave ainda, desvalorizamos um jogador que tem mercado.

 

Não lembra a ninguém com capacidade de gestão e com uma missão única de servir o Sporting ter um comportamento assim.


Nenhum jogador merece este tipo de comportamento, seja o Shickabala ou o Bojinov, o Pongolle ou o Messi da Escócia.

 

Este tipo de mentalidade que se enraizou é altamente lesiva para o Sporting. Ninguém ganha com este tipo de atitudes e comportamentos. Perde o Sporting que desvaloriza jogadores, perde o plantel que encontra no seu balneário focos de desmotivação e descontentamento difíceis de gerir. A Flash Interview de Adrien foi também sintomática do estado de espirito de um plantel que está fraturado e completamente à deriva. Um foco de frustrações e de promessas que nunca se cumprem.


Posto isto, acabou a época da pior forma. Tudo falhou à exceção de Bas Dost. Falharam redondamente todas as contratações, ontem somente jogaram Beto e o Holandês goleador. Revelador de todo o fracasso da época que agora acabou.



As três contratações já realizadas não auguram nada de bom nem de novidade para a época que se está já a preparar.


Vamos ter um verão quente, e depois do espetáculo deplorável que uma grande maioria censurou ontem nas bancadas de alvalade, a divisão entre associados ganha cada vez mais expressão.


Em suma, quatro anos de marasmo, de regressão em relação aos rivais, onde numa das piores épocas do Futebol Clube do Porto, não os conseguimos superar e agora vamos ter que rezar a todos os santinhos que não nos calhe em sorte nenhuma equipa da Albânia ou um Légia no Playoff da Champions.


O tempo tem sido mestre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:53

E o Basquetebol?

por Trinco, em 16.05.17

17457540_1464512310239527_6063179399520663842_n.jpg

 

O re-eleito Comandante Vivente Moura, anuncia hoje em "A Bola", ao assumir que  Miguel Maia, aos 46 anos, voltará a ser atleta do Clube na próxima época, que o Voleibol estará de volta. E estará de volta, pelo menos, no escalão sénior masculino, desconhecendo-se ainda a competição em que poderá participar.

 

Isto obviamente, mais que uma boa noticia, é um desejo de todos quantos se revém e empenham num Sporting ecléctico e que ollham para as históricas 5 grandes modalidades de pavilhão como pilares da grandeza do Clube.

 

Acontece que, estamos a poucos dias de assinalar 2 anos sobre a conquista do Campeonato Nacional da 1ª Divisão de Basquetebol Feminino (30 de maio de 2015), com a consequente subida à divisão maior e 1 ano sobre a suspensão da mesma equipa (24 de maio de 2016).

 

A decisão teve tanto de surpreendente como de injusta e incompressível para um projecto que que se projectou auto-sustentado, baseado na formação e numa equipa feminina sénior que servisse de referencial nos objectivos globais da secção, tendo a mesma sido levada a investir e a queimar etapas pelo próprio Clube (que queria mais visibilidade), subindo em três anos duma 3ª divisão à liga principal, com o referido titulo de permeio e conseguindo nessa sua 1ª época, uma época difícil e carregada de vicissitudes, a manutenção.

 

Suapendeu-se uma equipa com valor, com jogadoras de referencia a nível nacional, com muitas Sportinguistas, com um orçamento baixo num inicio de um ciclo fortemente expansionista em termos de disponibilidades financeiras aprovadas, onde sem grandes investimentos, no panorama geral das modalidades, seria possível apetrecha-la de maneira a ser claramente candidata e manter-se assim como referencial do projecto, dando visibilidade ao Clube e à modalidade. Como aliás foi exigido (imposto) pelo Clube.

 

O principal argumento para esta decisão, comunicada de forma cobarde e após vários indícios em discurso directo em sentido contrário, foi a integração da secção no Clube com a revisão dos pressupostos do projecto, optando exclusivamente pela formação em forma evolutiva até haver atletas seniores.

 

Se em abstracto isso era algo que poderia fazer sentido, até do ponto de vista económico, o que se verifica é que este rumo foi apenas imposto ao Basquetebol (e Rugby masculino), tendo sido ignorado por várias outras reactivações. O Ciclismo começou com seniores e desconhece-se verdadeiramente qual é o seu projecto desportivo ou de formação ou sequer se o Clube tem alguma palavra a dizer no mesmo, ou se é apenas naming sponsor, o Futebol Feminino começou com seniores contratadas em forte investimento a outras equipas, agora suas competidoras, no Hóquei, apenas os seniores estão integrados no Clube, mantendo-se a formação gerida pela secção autónoma, a equipa de Rugby Feminina, recém campeã, não está sustentada em formação. Agora, no Vólei, acontecerá o mesmo.

 

Saúdo e apoio incondicionalmente os regressos das modalidades ao Clube, bem como a criação de novas (pelo menos das que sejam verdadeiramente desportivas). Da mesma maneira que o faço ao crescimento dos orçamentos, desde que perceba a sua sustentabilidade (o que não quer dizer que a perceba e muito menos que concorde com a aplicação dos mesmos), mas não posso aceitar esta política revanchista de filhos e enteados em que o que foi afirmado como regra não passa de excepção.

 

P.S. Entretanto, ao que se sabe, no basquetebol paga-se a seccionistas o que equipas a competir nas mesmas competições e com melhores resultados não pagam a treinadores, se anda a tentar "raptar" equipas inteiras a outros clubes formadores e se anda em torneios a aliciar miúdos de forma desrespeitosa e descarada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:38

Em jeito de novela gráfica e sem grandes comentários.

 

Sobre a responsabilidade no Futebol

 

Imagem 004.pngPrograma de candidatura de Azevedo de Carvalho em 2013

 

Imagem 005.png

Programa de candidatura de Azevedo de Carvalho em 2017

 

Sobre a campanha "carrega no JJ"

 

Imagem 012.pngBlog avençado a 24/02/2017

 

Sobre Futsal

Imagem 008.pngwikiSporting

Sobre o Nuno Dias

Imagem 007.png

wikiSporting

 

Sobre o Pavilhão

Imagem 010.pngAnexo presente na carta da FICOPE a 7/05/2015

Imagem 011.png

 

Noticia no Record a 14/08/2016

Imagem 009.png

 

 

Noticia no Record a 22/02/2017

18199508_1829103994076072_820105536085759003_n.jpg

 

Foto a circular nas redes sociais de 06/05/2017

Sobre o Pavilhão e Gala (cujos convites já foram enviados e alguns recebidos com o Coliseu dos Recreios como local)

Imagem 013.png

Noticia no Record a 16/01/2017

 

Sobre a data Gala que celebra o aniversário do Clube (cujos convites já foram enviados e alguns recebidos com data do evento para 30 de Junho)

Imagem 006.png

Estatutos do Sporting Clube de Portugal

Sobre o casamento de Azevedo de Carvalho

Imagem 015.png
Noticia na TvMais a 21/03/2017

 

Enquanto isso...

600.13409395.jpg

Troféu de vencedor da Liga

Há um clube, objecto principal do foco do Clube que vai receber o 4º troféu em outros tantos anos, coincidentes com ainda outros tantos anos de presidência de Azevedo de Carvalho

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:19


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D