Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Para o ano é que é!

por Lizardo, em 13.05.16

decoding-body-language-53-638.jpg

 

 

A presente época está a chegar ao fim, e seja qual for o seu desfecho, com ou sem festa, já estamos ou deveríamos estar a preparar a próxima época.

No ano passado, Bruno de Carvalho afirmava que não sabia que orçamento iria ter. A lógica era a hipotética presença, ou não, na Champions League. A verdade é que, muito antes de saber o desastroso resultado dessa campanha, investiu e muito, e na minha opinião bem, na contratação de Jorge Jesus e num conjunto de jogadores que acrescentaram qualidade e acima de tudo experiência, como Ruiz ou Aquilani.

Agora, com a presença na Champions garantida, apesar de penhoras e outros jogos de bastidores, que muitas dúvidas nos deveriam colocar, o dinheiro da liga dos campeões é uma realidade e nós vamos a jogo.

A nossa equipa atual tem valor, das melhores equipas dos últimos anos, muito por consequência da nossa Academia, Patrício está cada vez mais seguro, Rúben Semedo entrou para ficar no onze, Adrien é o pulmão da equipa e João Mário o seu motor. A juntar a estes nomes, Gelson é um portento pronto a explodir nos grandes palcos, e Mané sempre foi e acredito que ainda será um grande jogador de futebol e que muita utilidade nos irá oferecer.

O Plantel está portanto equilibrado mas deficitário. Para encarar uma Champions, um Campeonato e uma Taça de Portugal é necessário ter soluções alternativas de qualidade.

Na hipótese de sair João Mário, ficamos com muita dificuldade em encontrar um substituto à sua altura e classe.

Na hipótese de sair Slimani, ficamos reféns de um grande tiro de sorte num ponta de lança de créditos afirmados e que seja uma certeza de 20 ou mais golos durante a época.

Na hipótese de sair William Carvalho, teremos também muitas dificuldades em colmatar esta posição.

A equipa está mecanizada e oleada com estas peças. A verdadeira espinha dorsal, onde Coates veio acrescentar peso, força e qualidade defensiva.

Falam-se de vários nomes na porta de saída a juntar aos acima mencionados: Ewerton que vive mais minutos na marquesa que no relvado, Jefferson que tem vontade de sair desde a época passada, Teo que parece inevitável a sua saída, Aquilani pelo peso salarial, João Pereira que simplesmente saiu de cena, Esgaio e Tobias devem ser emprestados, e Matheus é uma incógnita.

Muito gostaria de ver ser dada uma oportunidade a Iuri Medeiros e a Palhinha, dois jovens com muita qualidade e que pelo percurso que fizeram na nossa formação e pelos Clubes onde têm passado, merecem uma oportunidade. Esgaio muito me entristece a sua saída. Foi sempre um pulmão e um jogador com uma disponibilidade muito acima da média em todos os escalões de formação.

E olhando para Alcochete não encontramos muitos diamantes para lapidar. Podence é realmente um jogador pleno de técnica, mas longe das qualidades de Gelson, Matheus ou Iuri. De todos onde mais deposito confiança é em Geraldes. Jogador maduro, bem formado, inteligente e com amor à camisola. Merecia outros palcos.

Dos jogadores comprados por esta direção nem um para formar o ramalhete. De Slavchev a Gauld, ou de Sacko a Cissé, nenhum tem qualidades para a Equipa B, impensável serem soluções para a Equipa A. Pena Marco Silva ter tido estes “reforços” na sua época. Jorge Jesus não utilizou um para amostra em toda a época em todas as competições.

Em suma, Bruno de Carvalho diz que vamos fazer “duas ou três” contratações cirúrgicas. Já o diz desde 2013. E nunca cumpriu esta premissa. Este Sporting da próxima época, se quer títulos tem obrigatoriamente de se reforçar. Mas reforços que cheguem, vejam e joguem e não promessas para tirar hipotético partido em 2020.

 

Tudo está na mão do Presidente, na sua Gestão de “excelência”. Vender ou segurar a nossa espinha dorsal: Patrício, Coates, William, Adrien, João Mário, Ruiz e Slimani. A estes necessitamos juntar qualidade e alternativas para uma época longa.

As hipóteses Layun, Oliver e Zivcoviv, que se falam, juntando ao desconhecido Spalvis parecem nomes de encher jornais, mas tenho duvidas que sejam nomes de encher estádios.

Agora é tempo de revelar se sabemos ser tão grandes como as grandes competições onde estamos inseridos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:50


4 comentários

De Profeta a 13.05.2016 às 14:04

Acho que tudo irá depender da possível permanência do Jorge Jesus (digo "possível" porque acho que ele vai sair).

O Sporting tem obrigatoriamente que vender. Só que o Sporting venda o Slimani e o João Mário, pode encaixar uns 80 milhões de euros (30 milhões da cláusula de Slimani, e no mínimo, uns 50 milhões pelo João Mário).

E Jorge Jesus por norma consegue colmatar as saídas de jogadores importantes.
No Benfica, perdeu Matic em Janeiro de 2014 e a equipa não se ressentiu. E em 2015 perdeu Enzo, e a equipa não se ressentiu.

Mas se Jesus não continuar, duvido que estejamos ao mesmo nível desta temporada...

De Leão de Oeiras a 13.05.2016 às 16:47

Sliming, João Mário e William estão de saída. E vamos ver se o Adrien e o Rui Patrício também não são vendidos.

De André Carreira de Figueiredo (ACF) a 13.05.2016 às 17:45



Lizardo,

"Esgaio muito me entristece a sua saída. Foi sempre um pulmão e um jogador com uma disponibilidade muito acima da média em todos os escalões de formação."

Discordo, o Esgaio desde o escalão Sub-17 que tem vindo lentamente a perder a sua preponderância e eu pessoalmente nunca acreditei muito nele desde então, desde o verão de 2010 que deixei de ver nele um jogador para a equipa principal. O Esgaio tal como o João Mário devia ter sido emprestado em Julho de 2013.

"E olhando para Alcochete não encontramos muitos diamantes para lapidar. Podence é realmente um jogador pleno de técnica, mas longe das qualidades de Gelson, Matheus ou Iuri. De todos onde mais deposito confiança é em Geraldes. Jogador maduro, bem formado, inteligente e com amor à camisola. Merecia outros palcos."

O desenvolvimento do Francisco Geraldes tem corrido dentro das expectativas, e espero que em 2016/17 seja emprestado, mas, emprestado com critério desportivo e não financeiro, o critério primário de um empréstimo não deve ser o salário, mas sim o "ecossistema desportivo" em que o atleta vai ser inserido; quem vai ser o seu treinador e a sua filosofia de jogo, que condições de treino vai ter, qual a distância do Clube emprestado ao "Casa Mãe", qual ao nível de concorrência dentro do plantel para a posição em que o jogador deve jogar, se a estrutura possui um "Player Liaison Officer" capaz de assegurar que o atleta tem reunidas todas as condições para triunfar, etc, etc, etc.

Para bem das suas carreiras, espero que Matheus Pereira e Daniel Podence sejam emprestados não mais tarde que 30 de Junho de 2016, e o Matheus de preferência que seja emprestado para um Clube que fique a não mais de 50 Kms de Alcochete/Alvalade.

Abraço, S.L.

De comentador desportivo a 14.05.2016 às 23:15

Boa análise, caro André.

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D