Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Onde andam os donos do Sporting?

por Lizardo, em 11.08.15

Pop_Countdown_GAMEBOX.jpg

Saiu hoje a notícia, que é uma má notícia, mas oferecida ao leitor como uma grande vitória.

“Estamos perto das 21 mil Gamebox vendidas.”

Um número assustador e que nos leva a pensar, com toda a credibilidade, quantos sócios pagantes existem atualmente?

Um número que desde a inauguração do Estádio tem vindo a descer de forma assustadora.

Porque não consegue o Sporting cativar os seus associados?

O que aconteceu de tão diferente nos dias de hoje que tenha retirado quase 20.000 adeptos do Estádio?

No velhinho Alvalade, a lutar pelo quarto lugar, metíamos 40.000 a jogar contra o Famalicão às 20h de uma noite de domingo, no inverno, num Estádio antigo e sem cobertura, com o jogo a ser transmitido em canal aberto, ao vivo e a cores para todo o continente e ilhas!!!!

São vários os fatores que levaram a esta quebra monumental de assistência.

A organização da Liga, em primeiro lugar é miserável. Tem pouco glamour e não valoriza como deveria valorizar a competição.

Os canais Pay Per View, a BTV e a Sporttv vieram também retirar adeptos aos estádios, pois o exercício financeiro de pagar 30 euros por mês não se pode somar ao custo de comprar sistematicamente um bilhete e ainda pagar a quota mensal. E não vou entrar na problemática familiar, pois aqui o problema multiplica-se por três ou quatro.

E depois os Clubes não sabem gerir a paixão dos seus sócios e adeptos.

Falemos do nosso Sporting. Pois é o único Clube que nos interessa.

Já uma vez aqui escrevi “Quanto custa ser do Sporting?”

Quem compra uma Gamebox e paga quotas, junta o valor do combustível, portagens, ou bilhetes de transportes, alimentação e outras loucuras, e rapidamente chegamos aos 1000 euros por época. Não é uma conta difícil de chegar.

Posto isto, numa fase onde o futebol português está, muito provavelmente a viver os piores anos da sua história, recheado de casos de corrupção, tráfico de influências, amadorismo em toda a escala dirigente, más arbitragens, com artistas da bola de qualidades muito duvidosas, como podem os Clubes contrariar este cenário?

Têm que retribuir!


Todos estes episódios têm afastado adeptos do Estádio.

O Sporting está a perder uma importante e fundamental faixa etária do seu público, e essa deveria ser a grande questão a merecer uma solução. Não temos uma média muito superior aos 30.000 por jogo em Alvalade, onde a maioria dos adeptos são jovens ou adultos até aos 35/40 anos.

O Sporting atualmente não oferece nada aos seus Associados. Não retribui.

As vantagens para comprar um novo equipamento são tostões.
As vantagens para comprar o que seja na Loja Verde praticamente não existem ou são valores insignificantes.
O merchandising existente é de pouca qualidade e a preços proibitivos.
O Jornal Sporting deveria andar na mão de todos os sócios. Talvez nem 2.000 exemplares consigam vender atualmente.
O Site não oferece serviços praticamente nenhuns. Aguardamos pelo novo, impacientes!
O Sporting não tem uma Aplicação Digital capaz e diferenciadora que ofereça segurança e garantias aos utilizadores.
O Canal Sporting, que bem sabemos é um projeto dispendioso, comemora agora um ano de vida, mas é um Canal sem qualidade e que poderia ser gerido de uma forma muito mais profissional. Pois o que existe atualmente não se coaduna com a grandeza e com a história do Sporting.

O país mudou e continua em mudança. Os sócios são cada vez mais racionais, procuram conforto, querem ter mais envolvimento com o Clube, querem-se sentir com mais utilidade e participar no dia-a-dia do Sporting. Nada disso existe.

Hoje já não basta pedir. É preciso retribuir! E o Sporting tem obrigatoriamente que retribuir aos seus Sócios. Não basta gritar com a mão no peito “É nosso!”, é preciso cativar e oferecer. E desde Sousa Cintra, que estamos a perder adeptos nas bancadas. Desde o Queijo Castelões que andamos a pensar se vale a pena gastar 80 euros numa camisola ou se compro um cachecol por 10 ou 20 euros que rapidamente vou encontrar igual no Clube rival mas com as suas cores.

Se o Sporting quer realmente ser tão grande como os maiores da Europa, não precisa inventar a roda, basta abrir os olhos para a realidade.

O tempo de pedir, comer e calar, acabou!

O Sporting é das Marcas com mais potencial em Portugal mais mal trabalhada, há décadas que vai sobrevivendo à conta da irracionalidade e do pouco trabalho. O Amadorismo!

A Marca Sporting trabalhada e assente numa estratégia a longo prazo seria, sem dúvidas, uma grande e importante fonte de receitas.

O que temos hoje é só e somente só um sinal, mais um, de amadorismo. E quando acordamos de manhã e começamos a assistir às principais ligas europeias, a vontade de viver a realidade portuguesa é muito pouca. É um downgrade em toda a escala, qualidade de jogo, qualidade de instalações, qualidade, qualidade, qualidade….

Haja Coragem, nem que seja para assumir o desnorte!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30


1 comentário

De Miguel Lopes a 11.08.2015 às 14:53

Auditorias
Pavilhão
Quotas a metade do preço
Contas consolidadas (apenas apresentadas na AG)
Hóquei em patins

Ainda não chega?

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D