Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O último suspiro?

por O 6º Violino, em 05.06.15

jesus-unico-caminho.jpg

Não me vou alongar na forma como está a ser tratado o ainda treinador do Clube, Marco Silva, porque a reacção dos Sportinguistas não deixa margem de dúvida para aquilo que é o sentimento quase geral.

Acrescento apenas, que ainda pensei que o Clube fosse dirigido por Homens em vez de garotos, porque daquilo que nos foi dado a conhecer das razões invocadas para a rescisão com justa causa do contrato, além de patético, dá ideia de que, ou é apenas para ganhar tempo, empurrando com a vasta área abdominal, ou andam ainda no primeiro ano de advocacia.

Entre supostos almoços com funcionários da empresa que gere a carreira do treinador, passando pela não inclusão de um determinado número de jovens no estágio de pré temporada, e acabando num fato que ficou no cacifo, não há ponta por onde se pegue. Se são aqueles que, meticulosamente meteram cá para fora, os únicos pontos a apontar, preparem o dinheiro para a indemnização.

Irremediavelmente, os sócios não se vão esquecer deste acto deplorável.

 

Jorge Jesus: É o melhor treinador em actividade em Portugal. Não me restam dúvidas. Trabalhador, conhecedor do mercado, consegue tirar dos jogadores o que de melhor estes têm. Não deixará que se intrometam no seu trabalho, o que é mais um grande avanço. Sempre fui dos que defendi que quem ganha tem sempre mérito, e nunca me escudei em "colinhos", "mantos", e em benefícios de arbitragem. Os que o fizeram, tiraram mérito a um treinador que agora idolatram. No mínimo, sejam coerentes e calem-se.

De nada vale falar da sua filiação clubística como muitos fazem. Pelo Sporting já passaram vários Enormes Sportinguistas sem sucesso.

Jorge Jesus, será o meu treinador a partir do seu primeiro dia de trabalho.

Da mesma forma, que não acredito que aceite um plantel tão desequilibrado como aquele que temos, o que nos leva a outra questão. Será necessário investimento adicional para satisfazer os desejos mínimos de Jorge Jesus, sob pena de termos uma relação distorcida logo à partida, como aconteceu com Marco Silva, que não teve voto na matéria na escolha dos supostos reforços. Que todos saibam aprender com os erros.

Jorge Jesus será, se entretanto não existirem eleições antecipadas, o último suspiro desta direcção. Estão todas as fichas lançadas, e o mínimo que os sócios vão exigir, será o titulo nacional...

Questões finais: Se não existia dinheiro, de onde apareceu o "milagre". Já desmentidos foram, angolanos, guineenses....restará uma "chinesice" patrocinada por Ricciardi, o "papão" que tantos queriam ver expulso de associado?

Em poucos dias foi visto em Alvalade, no mínimo duas vezes....teremos o regresso do "roquettismo", mas desta vez encapotado por um "testa de ferro"?

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 16:09


3 comentários

De Leão Zargo a 06.06.2015 às 12:26

Num ápice, todo o vocabulário que foi gasto durante dois anos para fundamentar uma política financeira de contenção e de gestão desportiva assente na “estrutura” vai inteirinha para o caixote do lixo. Chegou Jorge Jesus e deu início a uma nova era, mostrando que os dogmas brunianos estavam colados com papel.

Em termos desportivos não é necessariamente mau, embora receio de modelos que assentam exclusivamente numa pessoa. Neste aspecto, apenas me deixa descansado o facto de reconhecer que JJ sabe delegar funções e competências e avaliar o desempenho de cada protagonista. Desde há dois anos isso acontece pela primeira vez no Sporting pois, BdC, na sua magnificência personificava a “estrutura” e considera que tudo gira em torno de si, sendo o alfa e o ómega de todo e qualquer processo.

Preocupa-me e muito as consequências do ponto de vista financeiro. Não me convenço com a conversa dos capitais próprios da SAD. De facto, neste momento há uma folga financeira que decorre de parte dos 10M€ do empréstimo financeiro e dos lucros da época desportiva. Mas, em breve esse dinheiro estará esgotado e será necessário outro para manter a máquina em funcionamento. Mas, é evidente que se arriscou tudo na roleta russa.

Algumas notas:
1ª Afinal, qual é a diferença, de facto, da actual política financeira do Sporting actual, da de Godinho Lopes? No essencial, consiste na mesma estratégia: investir no limite para multiplicar os dividendos. O busílis é quando o plano fracassa!
2ª Em 1931 o Sporting foi buscar um treinador vencedor ao Benfica. Arthur John que não concluiu a 2ª época. O presidente Oliveira Duarte decidiu-se por um novo paradigma e despediu o treinador… depois de elogiar o seu trabalho!
3º O Expresso noticia que o BESI foi mandatado para vender 21% da Sporting SAD. Será o investidor “18 milhões”? Gostaria que o sportinguistas fossem informados das consequências desta venda na estrutura da SAD.

De O 6º Violino a 06.06.2015 às 13:39

A confirmar-se que Jesus será o "todo poderoso" fico mais descansado,pois é mais competente e conhecedor.Agora,que estamos ricos , talvez os miudos da Academia já possam comer sandes mistas em vez de só com queijo,ou só com fiambre.Aguardemos pelo registo oficial do "poço de petróleo".

De Leão Zargo a 06.06.2015 às 14:40

E suspeito que esse "registo oficial" será muito badalado!

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D