Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O fim que abre portas ao regresso

por Trinco, em 01.02.17

shutterstock_120713098-600x4001.jpg

 

Em 2013, a lista candidata ao Conselho Leonino integrada nas listas aos Órgãos Sociais do Clube encabeçadas pelo actual presidente assumia que:

Não concordamos com o atual modelo de Conselho Leonino. Pretendemos fazer uma reforma profunda no seu funcionamento, cabendo aos Conselheiros eleitos para o próximo mandato essa tarefa.

 

E mais propunha:

Criar condições de melhor funcionalidade
Atualizar o seu Regimento
Criar comissões específicas e especializadas em certas áreas
Criar uma Comissão de Provedoria dos Sócios e uma Comissão Permanente, que seja facilmente convocada e esteja sempre disponível para, rapidamente, ouvir e aconselhar os restantes Órgãos Sociais
Assumir-se como um espaço privilegiado onde se podem confrontar, de uma forma elevada e construtiva, as várias tendências e sensibilidades que a eleição pelo método de Hondt lhe confere

 

Para seguidamente afirmar:

Este mandato constitui a última oportunidade para o Conselho Leonino ser um Órgão Social verdadeiramente útil e relevante para o Sporting Clube de Portugal.
O Conselho Leonino não deve ser, e faremos tudo para que o não seja, um Órgão Social pouco interventivo e acomodado ao poder, à sua gestão e às suas decisões. Da forma como o vemos, e tal como todos os outros Órgãos Sociais, o Conselho Leonino deve ser respeitado, prestigiado e dignificado.

 

Olhando para a lista presentada ontem, é legitima a pergunta de onde terão ficado estas intenções e propósitos?

 

Na leitura dessa lista, qualquer um mais distraído, facilmente seria levado a pensar tratar-se da lista candidata encabeçada por Filipe Soares Franco às eleições de 2006 ou de José Eduardo Bettencourt às de  2009.

 

Nessa lista encontramos José Sousa Cintra, Eduardo Barroso, Eduardo Marçal Grilo, José Dias Ferreira, Vasco Lourenço, José Maria Ricciardi, Miguel Frasquilho, Margarida Caldeira da Silva, Alexandre Patrício Gouveia, entre outros, lídimos representantes de um passado que se quer passado. Artistas há várias décadas do circo de vaidades em que esta face do Clube foi tornada, sem que se conheça trabalho em prol do Clube ou pensamento critico que não o constante alinhamento com os poderes.

 

Congrega no mesmo pote, pessoas que ainda há 4 anos malediziam quem agora os superiormente encabeça, quem reivindicou o direito ao croquete (e a reclamação deste direito foi literal), quem faça da politicazinha a sua vida, quem mude de opinião e convicção como muda o vento do poder, quem se diga doutor sem o ser, quem é directa ou indirectamente funcionário do Clube, quem é parte interessada na gestão de algumas empresas com as quais o Sporting se relaciona, quem acha que tem graça, quem acha que é alguém... Há de tudo. Menos entendimento do que é o órgão e vontade de realmente trabalhar.

 

Esta lista o fim do Órgão a que concorrem.

 

Mas simboliza também o regresso ao passado. O Roquetismo está de volta. Não têm como negar! E até há quem o tenha forte e violentamente invectivado que esteja com isso tão confortável que aceite doar a sua honra na defesa e aprovação deste regresso.

 

Mas pode ser também o fim deste poder, pois este rodear de "personalidades" com intenções meramente eleitoralistas e sem qualquer principio orientador que os balize facilmente descambará quando as coisas continuarem a abanar. E destas a certeza que não procederão com a mesma discrição que os que dele se afastaram desde 2013, pois estes são mestres na ductibilidade de convicções e nas estratégias terrenas de minar tudo. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:15



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D