Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Incertezas ou inacção?

por Trinco, em 13.05.15

600.jpg

 

A desresponsabilização e pré-justificação para um eventual fracasso na época que vem começa a atingir graus surrealismo.

 

Diz o presidente que "Não sei que orçamento terei na próxima época". Eu também não sei que orçamento vou ter para a mês que vem...São contingências. Cabe a cada um ponderar e perspectivar o que poderá acontecer. Faz parte das nossas vidas, como faz parte da gestão da SAD de futebol de um Clube.

 

Um orçamento é sempre uma estimativa. Conta com receitas, conta com despesas, que podem ou não verificar-se. É sempre uma incerteza. Pode ter um grau de previsibilidade maior ou menor. Mas tem que ser feito.

 

De resto, esta era uma situação que estaria prevista pela natureza da competição (ficamos em 3º como podíamos ter ficado em 1º, ou em 7º) e devia estar prevista pela administração da SAD.

 

E estaria, pelo menos a acreditar na afirmação a 29 de Abril: "Estamos a um ponto de um objectivo, e a um jogo de outro".

 

A preparação das épocas sempre se fez sob estas condicionantes. Sempre! Mas tem que ser feita. Obviamente pode não ter a certeza se tem 100 ou 10 para investir. Mas não pode ficar inactivo à espera que tudo se defina e/ou clarifique para aí decidir . Não o fazer é que é grave e comprometedor do futuro imediato. 

 

E não se faz em Maio. Maio já é tarde demais!

 

Por outro lado, afirma também as dificuldades em obter patrocínios. E mais uma vez eu afirmo: a responsabilidade de encontrar soluções é do Conselho de Administração da SAD. É ele que tem que encontrar e convencer os parceiros a quererem e a negociarem condições. Foi isso que os rivais fizeram e ao que consta já estará feito. Uns com a Emirates, outros com a Sonae ao que parece.

 

Agora, que é difícil ter condições idênticas, é! Estamos numa fase de reestruturação, temos menos presença que os outros. Mas há limites! E também não ajuda ser um clube em constante guerra a tudo e a todos, nem querer dar um chouriço a quem der um porco.

 

Esta época já dificilmente haverá as desculpas estafadas do que vem de trás (embora não duvide que o vão tentar mais uma vez). É a epoca de viragem do meio de mandato e a responsabilidade de tudo o que acontecer, para o bem e para o mal, para o planeamento e para o caos será deste Conselho de Administração da SAD

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:07


5 comentários

De Leão Zargo a 13.05.2015 às 19:33

Houve momentos em que me pareceu estar a ouvir o presidente de uma Comissão Liquidatária e não o presidente da SAD do Sporting! Sabemos que comissões liquidatárias há muitas, dependendo a sua especificidade da metodologia que é aplicada. Mas, ouvindo-o, veio-me o receio de que Bruno de Carvalho está a conduzir o Sporting para uma situação igualmente grave como na presidência de Godinho Lopes, embora de tipo diferente.

Há em Bruno de Carvalho um frenesim com finalidade mediática que o leva a aparecer numa entrevista planeada e a deixar as coisas ainda pior do que já estavam. Sendo assim, o melhor era ficar no seu gabinete.
Preferia que, no gabinete, BdC canalizasse a sua energia para a renovação ou renegociação dos contratos de jogadores considerados necessários, que obtenha colocação por valores convenientes para os que são excedentários, que transfira por valores adequados os que estão de saída e que contrate atletas para as posições carenciadas desportivamente. Que consiga um justo valor para os patrocínios das camisolas e para o naming da Academia, para além de não lançar o cepticismo sobre o empréstimo obrigacionista.

De Trinco a 13.05.2015 às 21:25

Não vi a entrevista, por isso a focalização nestas declarações profusamente difundidas e relatadas, relacionadas apenas no orçamento da época 2015/2016.

Não sei por isso, o teor ou a toada do discurso. No entanto os relatos que me chegam, dão conta de ter sido a prestação mais fraca do Presidente num campo onde se costuma sentir à vontade.

De Leão Zargo a 13.05.2015 às 22:14

Sim, foi uma entrevista fraca. O presidente não estava devidamente preparado para responder a uma entrevista, mesmo ma Sporting TV, o que é surpreendente. Imagina se fosse confrontado com um jornalista agressivo na relação entrevistador-entrevistado!

De Trinco a 14.05.2015 às 09:49

Chamar entrevista à "Hora do Presidente" é um exercício de muito boa vontade. E dos relatos que me fizeram, deixou ainda assim perguntas por responder.

De Leão Zargo a 14.05.2015 às 13:13

De acordo, aquilo de entrevista teve pouco e o Graça Dias aceitou fazer aquele papel. Em abono de BdC o que se pode dizer é que coisas daquelas são o pão de cada dia na política ou no desporto e passam na televisão ou jornais. Fretes, como se costuma dizer.

Talvez tenha acontecido o BdC não responder a determinadas questões. Poe vezes, pareceu-me que ele estava desconcentrado, mas o problema maior é que viciou-se a responder de forma ambígua e inconsequente. Há tempos atrás afirmou que ele e o Marco Silva são adultos e que estava tudo resolvido. Ora, uma resposta destas dá para, pelo menos, duas interpretações. Ou quando diz que o Sporting não quer vender jogadores. Não aquece nem arrefece.

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D