Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Guerra Santa

por Lizardo, em 08.06.15

Jorge Jesus e Bruno Carvalho, duas personalidades fortes, frontais e pouco inteligentes. Vacilam no essencial, acreditam piamente nas suas ideias, desprezando os adversários.

E quem se julga superior e só conta com a inteligência própria, por vezes apanha grandes dissabores.

Não se adivinham portanto, ao contrário do que se comemora em alguns arraiais, grandes momentos de concordância e de harmonia no futuro, entre duas personalidades que roçam por vezes a boçalidade e a ignorância com as suas teimosias.

Todo o processo começou mal. Muito mal.

Se Jorge Jesus exigiu garantias bancárias para assinar, logo à partida temos um futuro empregado que desconfia da credibilidade e honestidade do patrão. A palavra pela palavra não tem valor quando o nome de Bruno de Carvalho está envolvido.

Se Jorge Jesus exigiu a saída de Augusto Inácio, também aqui, o Presidente Sem Medo se acobardou, vacilando uma vez mais e permitindo que Jesus tenha em seu poder todo o futebol, rodeado de pessoas da sua confiança.

Olhando para as centenas de jogadores comprados por Jorge Jesus durante os seis anos que passou no Benfica, adivinham-se muitos Slavchevs e Funes Mori, muitos Naby Sarr e muitos Shaffer….

Se se confirmar a saída de Varandas e dos restantes membros do Departamento Médico, também podemos acreditar que foi mais uma exigência de Jorge Jesus. E aqui os Sócios devem e têm que ser esclarecidos sobre as razões que levaram a este pedido, os custos para o Clube e quanto vão receber os novos profissionais. Acho que uma boa bitola de comparação será sempre na perspetiva do ordenado do Marco Silva comparando com os novos profissionais que vão exercer a sua profissão neste departamento.


A juntar a tudo isto, todos conhecemos a filosofia do treinador Jorge Jesus, gosta de jogadores formados e já preparados, algo que me deixa impaciente olhando para a qualidade evidente que temos na nossa Academia, de Palhinha a Wallyson, de Ruben Semedo a Geraldes, de Matheus a Gelson, de Rafael Barbosa a Iuri, Chaby, Rubio, entre outros com provas dadas sempre que foram chamados a apagar fogos, como foi o caso do Esgaio na Luz na época que agora acabou.

E se tudo isto parece evidente, a grande questão que me ocorre é a seguinte: Se o Presidente afirma que vamos abraçar esta mudança de paradigma com capitais próprios, então temos que ter já a garantia que vendemos o William Carvalho, Cédric, Jefferson, e quem sabe, até o Rui Patrício e o Slimani. A soma de todas estas vendas ascende, ou queremos nós acreditar que sim, um valor superior a 50 milhões de euros.

50 Milhões de euros que serviriam para pagar o ordenado de Jesus, os ordenados da nova estrutura do futebol e do novo Dep. Médico, bem como, contratar jogadores de outra categoria. Mas saindo estes jogadores, a nossa espinha dorsal, tenho muitas dúvidas que conseguíssemos construir uma equipa nova com este valor.

Ou será que há mais dinheiro?

Por isso acredito na existência do acordo Parassocial assinado entre Bruno Carvalho e Álvaro Sobrinho.

O Presidente vacilou, dividiu primeiro os sócios para chegar ao poder e tentou impor a mesma tática internamente. Falhou redondamente e agora aposta tudo no mesmo cavalo. Acredito que nos próximos dias vamos assistir a várias saídas de dirigentes e outros funcionários, uns demitem-se, outros serão demitidos e outros vão sair em litígio.  

Para quem gritava e batia com a mão no peito “O Sporting é nosso”, conseguiu em dois anos vender e retalhar a SAD. Estamos a caminho de uma bomba que será o perder definitivamente o controlo da maioria da Sociedade. Estamos a caminho de ver os nossos terrenos em Alcochete darem lugar a um grande complexo imobiliário. Será que vamos ter um novo aeroporto brevemente? A Holdimo é uma imobiliária!

Não se adivinham tempos de grande esperança e serenidade. Em Agosto ou Setembro, se se confirmarem as eleições, vamos viver tempos conturbados, com grandes contratações e grandes nomes para o Clube.

Neste Sporting de agora nada muda. Temos a junção de duas gestões, a de Jorge Gonçalves com as suas loucuras “Unhas de Leão” associado ao populismo e provincialismo de Sousa Cintra.

O resultado não pode ser famoso. Esperamos todos estar enganados!

 

PS: O Marco Silva não é passado. Não se esqueçam disso!!  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:06



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D