Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Eduardo "enchedor de chouriços".

por O 6º Violino, em 22.07.15

chour.jpg

Eduardo Barroso, tem aproveitado a sua coluna (paga) no Jornal A Bola, para invariavelmente tecer loas ao actual status quo leonino, fazendo da mesma uma constante campanha eleitoral pró Azevedo de Carvalho, como se estivéssemos em período eleitoral.

Para ele falar do "seu" Sporting, tem sido nos últimos meses, enaltecer os "feitos carvalhistas", em detrimento de uma análise séria, que nunca soube fazer, bastando para tal, ler o seu livro de resumo de crónicas, em que só fala de charutos, gastronomia e Cutty Sark com gelo.

Não sei se será sobre o efeito deste último, que escreve as suas "historietas", tal a repetição de assuntos.

No texto de hoje, volta a falar nas eleições de 2011. Parto do principio, e acredito piamente, que o resultado dessas eleições foi completamente adulterado. Sei que existiram várias reuniões da então lista derrotada, no sentido de poder impugnar as mesmas, mas não foi essa a opção. A questão que levanto, é porque, sabendo disso, Eduardo Barroso aceitou tomar posse?

Por ter necessidade imperiosa de mediatismo? Aceitou o cargo para "minar" a anterior Direcção?

E sobre esta última questão, tenho a dizer que nunca "mexeu uma palha" para derrubar o então regime bafiento.

Sempre foi um defensor do "Roquettismo", sempre!

Durante a vigência do "reinado Godinhista" quantas vezes não atendeu o telefone ao actual Presidente?

O que disse Azevedo de Carvalho sobre ele junto dos seus fieis seguidores?

Não tivesse este aproveitado a sua ausência, e consequentemente falado com Daniel Sampaio, jamais as coisas tinham sucedido na forma que sucederam...

Eduardo Barroso percebe muito pouco de gestão e de futebol, conforme admite, obviamente em modo "calimero", mas não deixa de receber por "representar" o "seu Sporting". Não deixa de continuar a degustar croquetes ao intervalo, não deixa de ter acesso a informação privilegiada, não deixa de ser caixa de ressonância daquilo que lhe é impingido.

Continua a passar pelos intervalos da chuva, dando-se bem com todas as Direcções que têm passado, boas ou más.

Há gente assim, com capacidade de se adaptar a todas as circunstâncias.

Vamos ter de gramar as suas crónicas de "encher chouriços" até quando?

SL

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 14:04


3 comentários

De Profeta a 22.07.2015 às 14:43

Agendas...

De Leão Zargo a 22.07.2015 às 19:30

Saúdo o post, 6º Violino, que o homem é um vendedor da banha da cobra... mas por vezes até se tem saído bem com a sua prosápia.

Há no Barroso um frenesim com finalidade mediática que o leva a ocupar um lugar que lhe permita a visibilidade a que aspira. Também, com esse objectivo de surgir nos jornais, insiste na utilização de uma pseudo linguagem libertadora do Sporting tudo por obra e graça do Divino Mestre.

Por mim, preferia que optasse por uma atitude discreta e prática, com pouco palavreado e menos tiros de pólvora seca, caracterizando-se pelo pragmatismo e pelo sentido de oportunidade. Mas já se sabe, e esse é um dos motivos deste oportuno post, é demasiada areia para a camioneta de um “enchedor de chouriços”!

De O 6º Violino a 23.07.2015 às 09:57

Uma pessoa que tem acesso semanalmente a duas horas televisivas, mais uma página inteira de um jornal, devia mostrar mais conteúdo, mais conhecimento, e acima de tudo, pessoalizar menos, quer nele, quer no seu Mestre.(ex mestre de obras inacabadas)

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D