Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Deja Vu

por Lizardo, em 02.09.15

chickentime2.jpg

 

Tudo indica que a Silly Season das transferências chegou ao fim, e com ela chegou também ao fim o pesadelo que é gerir um grupo de trabalho onde todos os dias chovem propostas de Clubes e várias propostas de ordenados principescos.

O futebol é hoje um antro de negócios mal explicados e mal executados. Há todo um grupo de “gente” que ganha com os negócios. Uns lavam dinheiro, outros ganham comissões, os jogadores ganham mais de ordenado e os Clubes, os que vendem e os que compram, ano após ano vão vendo a sua dívida subir. Enigmático!

Essa é a grande questão, a questão que nós, merceeiros de lápis da Viarco na orelha nos questionamos várias vezes. Como é possível viver e gerir uma “empresa” que está ad eternum em falência técnica ou praticamente insolvente?

A resposta é simples, aldraba-se os valores dos ativos e do património, pedem-se empréstimos que pagam empréstimos, fazem-se aumentos de capital sustentados em mentiras e com o dinheiro de alguns acionistas, em especial os que querem e têm interesse em entrar nestas jogadas, pois o acionista comum, o particular, pouco ou nada belisca estas contas. Aqui mandam os investidores a título empresarial.

Posto isto, a situação financeira do Sporting continua abaixo da linha de água. Grita-se alto e bom som que não há financiador algum (Sobrinho) e que não entrou capital de nenhum país africano ou de nenhuma empresa chinesa ou outras envolvidas com o imobiliário.

Por obra do Espirito Santo, exatamente esse que estão a pensar, não foi feito nenhum milagre, basicamente continuamos a gerir o Clube e a SAD da mesma forma como foi gerida por Soares Franco ou Godinho Lopes. Saiu Nobre Guedes, entraram outros burgueses que com o tempo passaram também para a nobreza.

As diferenças existem, e isso é óbvio, Bruno de Carvalho aproveitou o desnorte de Godinho e teve lucros, falando só de alguns: Rinaudo, Elias, Gelson, Schaars, Arias, Bruma, Illori, Dier, Rojo, Capel…

Nem todos promoveram bons negócios, veja-se o problema Labyad ou agora a forma como foi feito o negócio Rubio e a necessidade de inscrever Viola ou como “corremos” com Miguel Lopes. Jogadores com uma grande folha salarial, que verdade seja dita dão mais lucro fora do Sporting que encostados ao banco.

Posto isto, se avaliarmos o plantel atual do Sporting, encontramos atualmente, ainda muito do que foi herança dos “croquetes”:

Rui Patrício
Adrien
William Carvalho
Mané
Gelson
Carrillo
João Mário
André Martins
Boeck
Esgaio
Tobias Figueiredo

E não vamos perder muito tempo a falar dos empréstimos, também eles com muitos anos de Sporting, desde Iuri, Palhinha, Wallyson, Ruben Semedo, entre outros.

Posto isto, temos atualmente no plantel do Sporting as seguintes novidades:

Azbe Jug
Jonathan Silva
Jefferson
Ewerton
João Pereira (um regresso)
Naldo
Paulo Oliveira
Aquilani
Rosell
Bruno Paulista
Tanaka
Slimani
Montero
Ruiz
Teófilo Gutiérrez

 

Feitas as contas, se juntarmos Labyad e Viola aos jogadores que já estavam no Sporting antes de entrar Bruno Carvalho, temos 13 dessa época e 15 novos jogadores.

Destes 15 que estão este ano no plantel, temos visto serem titulares:  Jefferson, João Pereira, Naldo, Paulo Oliveira, Slimani, Ruiz e Téo, e claro Montero que é um jogador muito útil.

 

O plantel está este ano mais equilibrado mas ainda longe do que se procura ou melhor que os rivais ou capaz de bater o pé na Europa.

De qualquer forma, demorou três anos a construir um plantel que continua com grandes e graves lacunas defensivas, pois era evidente que Maurício não seria titular num Braga, que Gauld dificilmente chegará à primeira equipa, que Tanaka, Enoh ou Cissé são jogadores de equipas que lutam para não descer, que Sarr nunca imaginou jogar num Clube que luta para ganhar títulos e que Geraldes ou Gazela não oferecem mais garantias que qualquer miúdo residente e com muitos anos de Academia Sporting.

Posto tudo isto, a razão deste post é simples. Continuamos a seguir linhas que foram muito criticadas no passado. Godinho Lopes foi o melhor que aconteceu a Bruno Carvalho.

E por continuarmos a seguir as mesmas linhas é natural que continuemos a ter dificuldades em negociar, é natural que continuemos a não vencer campeonatos e acima de tudo é natural continuarmos a ser empurrados para fora da Europa, ainda para mais numa época em que decidimos declarar guerra a tudo e a todos, estando nós a lutar com fisgas e pedras e o nosso inimigo a lutar com armamento de topo. E claro, não esquecer que a França e a Rússia estão muito perto de ultrapassar Portugal no Ranking da UEFA.

 

Em suma, agora que acabou a Silly Season, esperamos todos que o nosso Presidente deixe os Silly statments e que o nosso Treinador faça uma grande Season.

Este ano, e é uma opinião pessoal, vamos ter um campeonato nivelado por baixo, no que toca a qualidade, o que pode provocar mais competitividade. E no equilíbrio entre o positivo e o negativo vai vencer quem tiver o melhor treinador, quem tiver a melhor estrutura e quem se conseguir movimentar melhor nos corredores da Liga e da FPF.

Nada de novidade, nada de mais, exatamente o mesmo que andamos a criticar há mais de uma década!

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:00


1 comentário

De Profeta a 03.09.2015 às 20:30

E o tempo vai ser mestre a demonstrar isso mesmo. É uma questão de tempo...

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D