Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Da miséria e das Redes Sociais.

por Lizardo, em 03.03.16

facebookcomment.jpg

 

 

Mais um dia mais um post no Facebook do nosso Presidente. Pouco mais há a dizer sobre o conteúdo e a forma.

 

Os atos ficam para quem os pratica.

 

Aproveito este último post do Presidente para pedir encarecidamente aos gestores das redes socias do nosso Clube que compreendam e saibam como medir a notoriedade da instituição e do presidente.

Ontem choveram criticas e mais criticas. Não só pelas declarações escritas, mas também pela vergonha evidente que é o nosso Canal de Tv, com Milhafres sem piada e com Dolbeths que se consideram engraçados, onde ambos ultrapassam a fronteira da boa educação. Não entendem a grandeza do Sporting. Não compreendem onde começa e onde acaba o bom comportamento.

A vergonha alheia é um complexo muito complicado de gerir. E se todas estas ocorrências não encontrarem um travão muito rapidamente, o tombo é evidente e mais rápido do que se possa pensar. E o tombo aqui envolve muita gente.

 

A empresa que gere as nossas redes sociais não deve, ou não devia, aplaudir este tipo de estratégias. Devia, hoje, apresentar ao Presidente e a quem de direito, um levantamento de opinião dos sócios e adeptos em relação a estes episódios. E é tão evidente que o descontentamento é praticamente geral, tirando os alinhados, jovens, muito jovens, o que é habitual.

O problema é que os jovens não votam, e se votam, têm pouca representação.

Este continuar a colocar carvão de forma sistemática está a minar tudo em nosso redor. Corremos o sério risco de sermos gozados como nunca o fomos. E verdade seja dita, e se infelizmente isso acontecer, temos que compreender que merecemos.


Durante a campanha de Barack Obama, as redes sociais, e em especial o Facebook serviram para recolher opiniões e para medir notoriedade. Nunca foi o meio fulcral de transmissão de mensagens importantes.

Até porque, o Facebook é uma taberna, assumidamente um espaço onde não há limites, e a verdadeira diferença é que na taberna o taberneiro coloca-nos na rua, mas no Facebook continuamos a atacar, difamar e a espumar o que bem entendemos.

 

A Young Network é a Agência responsável por muito do que se passa nas redes sociais. Está sem dúvida a fazer um péssimo trabalho. Nunca o Clube esteve tão dividido. E talvez seja tempo de perceber bem a real razão dessa divisão.

O atual Presidente teve como umas das suas principais bandeiras a “exigência”, pois que se exija hoje muito mais que se exigiu no passado. Não podemos continuar assim. Amadores, com má comunicação, com péssima gestão de conteúdos, com erros de palmatória no relacionamento com os Sócios e Adeptos nas redes sociais. O nosso Jornal está datado, sem interesse, encostado, o nosso Canal de TV envergonha o mais desinteressado Sócio e Adepto. Não há estratégia, não há criatividade, não há capacidade alguma.

O amadorismo tem por vezes desculpa, mas aqui o amadorismo não chega para desculpar, há mesmo falta de capacidade e de conhecimento. Não há Know How, não há ideias. Não há nada!

Por vezes, e na maioria das vezes é preferível não fazer que fazer mal, preferível não ter que ter mal feito, é preferível calar que oferecer mais argumentos a quem nos ataca.

Estas são as primeiras lições que aprendemos na primeira aula de comunicação. Infelizmente na Young Network ou faltaram às aulas ou andam a brincar com o Sporting.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00


1 comentário

De Hugo a 03.03.2016 às 12:16

Mais ou menos isto...

"As redes sociais dão o direito de falar a uma legião de idiotas que antes só falavam em um bar depois de uma taça de vinho, sem prejudicar a humanidade. Então, eram rapidamente silenciados, mas, agora, têm o mesmo direito de falar que um prêmio Nobel. É a invasão dos imbecis".
Umberto Eco

SL

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D