Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Boas dores no Cérebro!

por Lizardo, em 24.09.15

football-brain.jpg

 

 

William Carvalho, o principal ativo do Sporting, e Ewerton estão de volta aos treinos e voltam a ser opção para Jorge Jesus.

Com a entrada destes dois jogadores, de qualidade superior e se em forma merecem a titularidade, levantam algumas questões no desenho tático da nossa equipa leonina.

Muito se criticou Marco Silva por jogar e insistir sempre num só ponta-de-lança.

Muitos esquecem que na época passada tínhamos Nani que fazia exatamente esse papel, com muita liberdade dentro de campo, completando o ataque, e fazendo sempre companhia a Slimani ou Montero, apoiado por Carrillo, João Mário e Adrien.

Jorge Jesus não tem Nani, e tem optado pelo seu desenho tático preferido, ou seja, jogar com dois jogadores na frente de ataque, prescindindo de um jogador no meio campo. Ou seja, Teo e Slimani.

Mas com o regresso de William, e avaliando a qualidade de jogo que João Mário tem oferecido à equipa e ao jogo do Sporting, a dúvida existe e é interessante saber como Jesus irá montar a equipa no futuro.

Os cenários são muitos, e parece-me bastante lógico que o regresso ao sistema do ano passado volte a ganhar forma, ou seja, vamos voltar a ter a dupla Adrien e William no meio campo, apoiados por João Mário, Ruiz, Carrillo (?) e Slimani.

Se assim não for, não acredito que Jesus venha a prescindir de Adrien, o único jogador no plantel com pulmão e capacidade de recuperação de bolas no meio campo. William é mais construtor de jogo e transportador de bola. Adrien é e sempre foi a sua muleta. E seria de todo uma enorme injustiça encostar João Mário ao banco, um jogador muito acima da média e talvez o melhor jogador do Sporting depois de William Carvalho.

Posto isto, veremos qual será a opção de Jesus. Olhando para as exibições parece lógico que Teo será o sacrificado, jogando o Sporting com a seguinte equipa tipo:

Patrício
Jefferson
Paulo Oliveira ou Naldo
Ewerton
Esgaio

William
Adrien

João Mário
Ruiz
Carrillo / Mané / Gelson

Slimani / Montero

Se se confirmar este cenário, teremos uma equipa tipo em tudo igual à da época passada, coma vantagem de este ano existirem mais e melhores soluções no banco.

Olhar para o banco e ter um Montero e um Teo, um João Pereira e um Aquillani, um Naldo ou um Mané e Gelson, é muito diferente de ter um Heldon, um Rosel, um Geraldes ou um Naby Sarr.

No Bessa poderemos ter os primeiros indicadores da ideia de Jesus, que se optar por voltar ao sistema do ano passado muito triste deixará vários adeptos que cruxificaram o treinador Marco Silva por não apostar em dois pontas-de-lança de raíz.

O equilíbrio da equipa e a boa gestão do plantel estão na mão do cérebro. E sabemos, seja qual for a sua decisão, cá estaremos para comemorar os três pontos jogo a jogo.

Boas dores de cabeça.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:11



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D