Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



As eleições 2021 e as VMOCs

por Trinco, em 16.03.17

11173691-Different-euro-banknotes-and-coins-Stock-

 

Pelo começo...

Ontem Azevedo de Carvalho foi empossado no seu 2º mandato que se estenderá até Março de 2021. No discurso de investidura, além das promessas de campeonatos

...o mais importante é sermos campeões nacionais e não apenas uma só vez nos próximos quatro anos...


algumas pós-verdades

...os títulos conquistados nos últimos quatro anos, que superam a média dos últimos 50...

 

e realidades paralelas

...vamos manter e reforçar a aposta na formação...

 

 

falando sobre a problemática das VMOCs, afirmou desde já a sua recandidatura

...vamos reforçar a nossa conta reserva para que seja possível no próximo mandato - repito, no próximo mandato, é que eu já estou neste - recuperar as VMOCS necessárias para garantir a manutenção desta maioria de capital...

 

Assim, que fique bem claro quem deu o tiro de partida para um a disputa eleitoral a 4 anos de distancia e que ninguém se queixe que eventuais alternativas se comecem a preparar e que não fiquem silenciosas.

 

Mas sobre as VMOCs, algo que veio à baila na ultima semana de campanha das passadas eleições o qual eu, por manifesta falta de tempo, não abordei convém registar alguns comentários.

 

Com a publicação do R&C semestral, foi sabido e plantado na Comunicação Social a existência de contas reserva para o efeito, afirmando-se de maneira criativa na escrita que até Junho seria possível esta ter €10M, necessários para comprar 32% das VMOCs (afirmados como necessários para garantir o Capital da SAD - na realidade seriam 32% do lote de VMOCs necessários para garantir o mesmo capital), falando depois de um prazo de 8 anos para comprar o restante (os tais 68% do mesmo lote)

 

Acontece que, estas contas, que rondam neste momento os €3.1M, em 6 meses cresceram €0.7M, sendo que é suposto acreditar que nos 6 meses seguintes crescerão cerca de €7M. Mesmo com os desfasamentos dos fluxos de caixa, é algo demasiado optimista.

 

Por extrapolação de valores, ficou-se também a saber que o valor considerado para a manutenção da maioria do capital da SAD é de €31.25M (considerando o valor das acções para o calculo que é de aproximadamente €0.63), sendo importante no entanto perceber e lembrar a contingência deste valor (que pode ser artificialmente volatilizado) para o calculo de algo que pode ser na realidade de €44M.

 

Outro facto interessante é o de estas reservas estarem nas contas da SAD, sendo que quem tem o opção sobre as VMOCs é o Clube.

 

Mas há mais nas VMOCs. É que existem as VMOCs A, no valor de €55M, que vencem no mesmo prazo (após o seu prolongamento) que as VMOCs B e que podem obrigar até à sua compra total (são desconhecidos os termos do eventual direito de preferência) ou no melhor cenário €27M. Ou seja, em 2026, poderá ser necessário o Clube (e friso o Clube, pois não é factor sem importância ser este a deter o direito de preferência) ter perto de €60M para garantir a maioria do capital da SAD.

 

E existe a possibilidade da emissão de novo lote de VMOCs, conforme previsto na reestruturação para absorver as A, sendo no entanto de assinalar que a sua autorização foi dada em determinados pressupostos que pessoalmente me parecem ultrapassados, sendo necessária nova aprovação caso se enverede por esta via para não falar da data limite do seu lançamento a Janeiro de 2016.

 

Caso ainda assim, os sócios (e posteriormente os accionistas) aprovem nova emissão de VMOCs, as VMOCs C para absorver as A em 2026, estaremos mais 10 anos (o prazo previsível) com a espada das VMOCs na cabeça pelo seu prazo de validade, sendo que, tal como agora acontece, todos os Dezembros, só o cumprimento de outras obrigações paralelas, como a cativação de percentagens de algumas receitas e a definição de valores mínimos a disponibilizar para o pagamento da divida (e a pouca vontade da banca entrar no capital social da SAD) evitará a "decapitação" antecipada.

 

Ou seja, nem os pressupostos das contas reservas são suficientes, nem muito provavelmente deixaremos de estar, daqui a 9 anos, nas mãos da banca e dos credores. O que mudou mesmo?...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:41


1 comentário

De Rui Jorge a 17.03.2017 às 01:42

Em Julho vai pagar o que tem que pagar aos bancos e pouco mais. O dinheiro das contas de reserva não é só para pagar aos bancos. É também para fazer a manutenção dos activos que foram dados como garantia aos bancos. E para usar aquele dinheiro, ele tem que pedir autorização aos bancos.

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D