Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



All-in

por Trinco, em 27.01.16

poker-all-in.png

 

Finalmente assume-se!

 

À medida que os objectivos vão caindo, salienta-se sempre o que está intacto, que por sinal também é o mais desejado. Todas as perdas são relativizadas com esse objectivo.

 

E é neste que se joga o All-in que referi no inicio da época. Um All-in de risco óbvio, mas para o qual não jogámos a nossa mão de maneira a potenciar as nossas possibilidades.

 

Foram as estratégias de confrontação com árbitros e estruturas (que é diferente de defender os interesses do Clube) que nos levam constantemente a temer represálias;

Foi a antagonização de agentes, empresários e clubes (que é diferente de defender os interesses do Clube) que nos levam a uma dificuldade extrema de concretizar negócios;

Foram provocações a adversários (que é diferente de defender os interesses do Clube) que apenas tiveram o condão de (re)colar fortemente algo que estava em cacos;

Foram lapsos de politica desportiva que fazem que, de um plantel extenso de 28 jogadores, 9 dos quais contratados no decurso deste época, se extraiam, com boa vontade, 15 ou 16 jogadores úteis e que ainda assim persistam deficiencias e lacunas evidentes que se querem corrigir agora à pressa.

 

Espero que tenhamos, no fim da época, um Royal Flush na mão para mostrar à mesa!

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:48


5 comentários

De comentador desportivo a 27.01.2016 às 13:56

Excelente post! Muito boa análise.
Um clube como o nosso não pode estar só concentrado numa competição, é pouco, muito pouco, além do mais, é o contrário do propagado durante os dois anos de campanha eleitoral/desestabilização. Para quem tinha dúvidas verifica-se que a cultura, de exigência, de vitória, de gestão irrepreensível, não passavam de hoaxs, de estórias, para iludir os vascos.
Indirectamente o treinador, está também a dizer que os dirigentes não percebem nada disto, pois deram -lhe uma equipa incapaz de lutar por várias competições.
Vê-se também que os chamados retoques do plantel/contratações cirugicas, aquando da campanha, não passavam de estórias, e não tinha a mínima noção do que dizia.
Quando chegou a dirigente fez precisamente o oposto, contratou em massa, cerca de 50 contratações.

De Profeta a 27.01.2016 às 17:43

A Liga Europa, só vale mesmo apena, se no mínimo dos mínimos, chegarmos às meias-finais. Só que a nível financeiro, vale pouco. Ou seja, só mesmo vencendo a competição, é que valerá apena o esforço. Portanto, não acredito que Jorge Jesus olhe para a Liga Europa de forma ambiciosa, e desgastando os jogadores no campeonato.

Portanto, temos apenas o campeonato para jogar.

Recuemos uma temporada, e lembre-mo-nos de tudo o que foi dito acerca de Marco Silva, que esteve para sair em Dezembro, e saiu escorraçado depois de ter vencido uma Taça de Portugal.

Esses episódios nem vale apena relembra-los. Vamos nos focar no que foi alcançado a nível desportivo.

- Liga dos Campeões:

Após 1 ano sem competições europeias, e sem ir à Champions há 4 temporadas, ficamos a 1 ponto dos Oitavos-de-final da Champions. Um empate em Maribor no último minuto, com Sarr e Maurício no eixo da defesa (tínhamos perdido Dier e Rojo no mercado); e acima de tudo, uma bola que bateu na cara do Jonathan Silva na Alemanha, impediram a nossa 2º qualificação para os Oitavos-de-final da nossa história.

Esta época, passamos a fase de grupos da Liga Europa na última Jornada, quase como se nos tivessem a fazer um favor.

- Taça de Portugal:

Vencedor 7 anos depois. Elimina-mos o Porto no Dragão, e ganhamos ao Braga na final.

Esta época ganhamos ao Benfica em Alvalade, mas perdemos na Pedreira.

- Taça da Liga:

Não passamos a fase de grupos, mas jogamos com juniores e jogadores da equipa B.

Não passamos a fase de grupos, mas não havia qualquer regra imposta ao treinador.

- Campeonato:

Somamos 76 pontos. Uma boa pontuação, que noutros anos, até poderia ter dado para ganhar o titulo. Apesar do 3º lugar, o Porto tinha uma equipa de milhões, e o Benfica tinha o Colinho.

E relembro, que foi possível fazer essa pontuação, abordando a Liga dos Campeões, a Liga Europa (1 só eliminatória), e a Taça de Portugal, de uma forma digna e ambiciosa.


Esta época, finalmente, já tivemos um treinador que pode tomar decisões, indicar jogadores para contratar, etc etc. Tem mais reforços, e melhores condições dadas. Ao abdicar de tudo para se focalizar no campeonato, com uma equipa mais experiente vinda do tempo do Jardim e do Marco Silva, há a obrigação de somar no mínimo, na minha opinião, 80 pontos. Não lhe peço mais que 80 pontos. A partir dai, o titulo poderá ser nosso.

Não quero com isto dizer, que se o Marco Silva tivesse permanecido, estaríamos melhor. Mas certamente que continuaríamos a crescer de uma forma sustentável (como estamos a crescer na mesma com Jesus), mas sem uma pressão quase "tudo ou nada" para ganhar este titulo. Porque a contratação do Jesus envolveu muito dinheiro, espectativas, e foi envolvido num acto muito sujinho para com Marco Silva. Porque só um treinador como Jorge Jesus, salvaria Bruno de Carvalho.

Se não ganharmos o titulo, espero que não seja o Jesus a assumir responsabilidades. Que assuma quem está no topo, e não recorra novamente a Zés dos Croquetes, ou algo do género.

E espero que o Jesus cumpra os 3 anos de contrato. Não podemos ter um treinador diferente todas as épocas.

De comentador desportivo a 27.01.2016 às 17:56

"O Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol manteve a decisão de arquivar a queixa apresentada pelo Sporting contra o Benfica no âmbito das partidas realizadas entre os dois clubes, tanto para a Liga (a 25 de outubro) como para a Taça de Portugal (21 de novembro).

Em dezembro passado o Conselho de Disciplina arquivou o processo, depois de concluir a inexistência de indícios suficientes para a instauração de qualquer procedimento disciplinar, face às imagens analisadas dos referidos jogos.

A SAD do Sporting reclamou, mas o Conselho de Disciplina decidiu agora desatender a reclamação e manter a decisão reclamada."

São muitos já os casos perdidos, as decisões contrárias, os processos em tribunal, as queixas sem pés nem cabeça, só porque sim, só por birras. Arrastou o clube para um pântano. Quem utiliza estes expedientes, são gente rasteira, reles, trafulhas. Quais as custas, e o custo para o clube, destas tentativas de trafulhices maquiadas de acções legítimas, só porque são escritas por advogados?
O clube anda á deriva,sem líder, dirigido por um mitómano, sem perfil para este cargo.

De Leão Zargo a 27.01.2016 às 21:27

Trinco
Pelos vistos, com Jesus o Sporting não joga para ganhar em todos os jogos, não disputa todas as competições. O discurso do treinador sobre a Taça da Liga foi confrangedor, o facto de não ter ido ao balneário em Arouca foi a cereja em cima do bolo. Até parece que o Jesus está a ver se irrita o Bruno de Carvalho, mas, por agora, sabe que ninguém lhe toca.
O BdC está ocupado com tudo o que referes e mais uns quantos problemas bicudos que têm de ser resolvidos a contento. Entretanto, faz fumarada para ver se os sportinguistas não se apercebem que há demasiadas contradições no Clube. O título de campeão nacional é uma miragem possível, mas…

De Trinco a 28.01.2016 às 09:19

...mas se não acontecer, por mais culpas que descarreguem em 3ºs, o All-in terá sido um falhanço (e nem o vou adjectivar de bluff) e terá consequências.

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D