Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Actualização

por Trinco, em 01.09.16

compras1-1431456.jpg

 

Sem grandes comentários, que me falta o tempo, actualização dos números.

 

No fim do 1º período de transferências da 4ª época de Azevedo de Carvalho:

 

72 seniores, 29 S19 e 19 de escalões abaixo (deverão ser mais pois aqui torna-se difícil o acesso a dados fiáveis) num total de 120 jogadores entraram, nos quadros do Clube.

 

Os 72 seniores distribuem-se por:

11 para a equipa A e 6 para a equipa B em 2013/2014 num total de 17

10 para a equipa A e 4 para a equipa B em 2014/2015 num total de 14

13 para a equipa A e 3 para a equipa B em 2015/2016 num total de 16

12 para a equipa A e 13 para a equipa B em 2016/2017 num total de 25 (reforço, no final do 1º período de transferências da época)

 

Dos 72 seniores contratados, 26 já não se encontram nos quadros do Clube e 13 encontram-se emprestados.

 

Neste momento o Clube tem 79 seniores com contrato, dos quais, 29 na equipa A, 25 na equipa B e 25 emprestados.

 

Na equipa A encontram-se 7 jogadores que transitaram directamente dos escalões de formação e 23 contratados em idade sénior, com um deles a ter sido formado pelo Clube. Dos 29 que compõe a equipa A, 10 são elegíveis por nacionalidade para a selecção.

 

Na equipa B encontram-se 12 jogadores que transitaram directamente dos escalões de formação e 13 contratados em idade sénior. Dos 25 que compõe a equipa A, 17 são elegíveis por nacionalidade para a selecção.

 

Dos 25 emprestados, 12 transitaram dos escalões de formação e 14 são elegíveis por nacionalidade para a selecção.

 

Dos mesmos 79 seniores, o Clube tem neste momento 8 emprestados por outros clubes, 4 na equipa A e 4 na equipa B

 

O mandato de Azevedo de Carvalho é responsável por 27.79% das entradas de seniores desde a época de 1994/1995 e 25.21% das saídas no mesmo período.

 

Esta época marca o numero mais alto de contratações de seniores no período referido com 25 jogadores (12+13). Segue-se a época de 200/2001 com 20 jogadores (14+6, sendo que esta época marca também a 1ª experiência com a equipa B).

 

Esta época marca também as duas vendas e também a compra mais altas do Clube (do que se consegue apurar neste momento).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:01


3 comentários

De comentador desportivo a 01.09.2016 às 11:01

Caro Trinco

Uma vez mais o meu agradecimento pelo seu trabalho.

"O mandato de Azevedo de Carvalho é responsável por 27.79% das entradas de seniores desde a época de 1994/1995 e 25.21% das saídas no mesmo período."

E os outros é que contratavam muitos jogadores, "desprezando" a formação!

Esta parte do post explica sem margem para dúvidas a realidade.

Com esta gente o que á bocadinho era verdade, passado um bocadinho é mentira.

O mandato desta gente tem sido um mandato de cabalhotas.

Com esta gente e este treinador, a formação desapareceu, tal como fez no Benfica.

Contratam jogadores á pazada, a maioria sem qualidade, torrando milhões do clube que apregoavam que estava falido, mas que continua a haver dinheiro para isto.

De Passaleão a 01.09.2016 às 12:34

Dando por bons os seus números, concluo que, para andar em torno da média, BdC devia ser responsável por pouco mais de 19% das entradas e saídas no período de referência, visto que teve responsabilidades em 4 das 21 épocas (será mesmo assim? nos períodos em que tivemos equipa B é natural que houvesse mais entradas e saídas, tanto para BdC como para quem o antecedeu, o que será o suficiente para enviesar os cálculos). Nesta base, verifica-se que BdC está algo acima da média tanto em entradas como em saídas.

Tentando ver o copo meio cheio, também me parece que, durante o período de referência, em nenhum outro intervalo de 4 épocas desportivas se verificou um aumento de qualidade do plantel tão pronunciado como o que observamos entre o plantel que terminou 2012/13 e o que inicia 2016/17 (talvez entre 1997/98 e 2001/02, admito), pelo que será defensável que a um ritmo de substituição de jogadores acima da média corresponde também um resultado acima da média em termos de reforço da competitividade da equipa.

Foram cometidos muitos erros e algumas das aquisições feitas gritavam "flop" mesmo antes de confirmadas. Mas não vejo por que o balanço seja forçosamente negativo.

PS - Gostava de saber como estes números comparam com os dos nossos rivais.

De Trinco a 01.09.2016 às 13:52

Desde a época 1994/1995 entraram 259 jogadores seniores. Esta administração é responsável por 72.
A média por época é de 11.4 jogadores, a média desta administração é de 18 jogadores.
Em anos de haver equipa B (e o que pode quanto a mim enviesar aqui os dados serão os anos de inicio das equipas B em 00/01 e 12/13) foi de 11.8 jogadores, com 3.6 a serem contratados para a B, a média desta administração é de 18 jogadores com 6.5 a serem contratado para a B.

A avaliação nesses termos não era o objectivo do post, até pelo que de subjectivo encerra (e não quis estar a misturar). No entanto em comentário, poderei dizer que acho estranho que na última época de 4, que deveria assistir a um projecto desportivo consolidado, tenha sido necessário contratar 12 jogadores para a equipa A e 13 para a equipa B o que demonstra, mais uma vez quanto a mim, a falta de planeamento e a gestão época a época que dificilmente poderá ser considerada uma boa prática pelos riscos que encerra. Estes riscos existiam antes de 2013 e continuam a existir. Fixando na A e tentando-me abstrair do que é a aberração da equipa B, para a saída de 8 jogadores, em nenhum caso existiram alternativas preparadas e já na equipa para as substituir, tendo inclusive acontecido um excedente de 4 jogadores nessa substituição (e não os estou a classificar como maus ou de fraca qualidade).

Depois convém perceber que as vendas (a de Naldo é para mim irrelevante porque entre custo e ordenados origina 0 de mais valia) são vendas extraordinárias no sentido que não são produto de uma estratégia. Como convém perceber que teremos neste momento mais três ou quatro jogadores verdadeiramente vendáveis (sintomaticamente da formação) e dificilmente por valores aproximados do que aconteceu nestes dias, sendo que das apostas se torna dificilmente vislumbrável algum que possa produzir mais valias assinaláveis.

Para mim, perante isto e apesar de entender que vou contra a maré tenho muitas dificuldades em embarcar nesse balanço assim tão positivo.

Sobre o PS, sinceramente não me interessa. Na minha carteira só está o cartão de sócio do Sporting. Os outros, quanto mais negócios ruinosos fizerem melhor.

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D