Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A "União"

por Trinco, em 11.01.17

broken-chain.jpg

 

Perceber Azevedo de Carvalho a elevar-se ao homem que uniu o Sporting, alicerçando essa alienada crença na lista de nomes em actualização que apresenta, é, tentando manter alguma elevação no discurso, ridículo. Se é convicção, poderá ser caso clínico de dissociação entre a realidade e a percepção, mas se é consciente, provém do seu carácter.

 

É quase tão ridículo como ouvir de Trump a defesa da tolerância, ou da estrutura do Sporting um interesse constante no Benfica...Oh! Espera...Pois!

 

A união não se declara. Nem sequer se pede, como foi feito durante este mandato, recriando os "belos" momentos de extertor de Godinho Lopes. Pratica-se! Com atitudes!

 

E a verdade é que entre a prática e a propaganda existe um profundo antagonismo. Azevedo de Carvalho, logo na sua 1ª AG como presidente, dissociou violentamente o "eu" do "nós" apontando para os presentes e acusando-os como responsáveis do estado em que o Clube estava. "Vocês decidiram", "vocês aprovaram", "vocês são os responsáveis". O que sendo verdade, é mentira. Pois fomos nós. Ele incluído!

 

Azevedo de Carvalho tem uma longa prática e experiência na promoção das fracturas. E o Clube, contrariamente ao encenado, está profunda e cada vez mais fracturado.

 

É ele que promove o clima de perseguição, é ele que acciona judicialmente sócios, é ele que tem um exercito de vigilantes da internet que colectam informações dos sócios contestatários, é ele que identifica e mistifica a existência de governos sombra, é ele que insulta sócios, é ele que se alimenta desta fogueira.

 

E triste é perceber que foi ele que teve condições porventura únicas de proceder de maneira diametralmente oposta, unindo verdadeiramente os Sportinguistas numa ideia de recuperação do Clube. Sim! Foram 4 anos perdidos!

 

Repetindo o que já aqui escrevi;

 

O Sporting dispensa os "Eus". O Sporting não pode ser o "Eu" e o "Vocês". O Sporting, queira-se ou não, goste-se ou não, é e terá sempre que ser o "Nós"!

O Sporting "é uma unidade indivisível constituída pela totalidade dos seus associados..." . Sim, está nos estatutos.

E este "Nós" congrega-nos. Mesmo na diversidade de pensamentos, uns com opinião favorável ao actual Presidente, outros nem tanto, uns que o criticam ferozmente, outros que lhe estendem passadeiras de rosas.

E a paz (ou tranquilidade para os "Eus") nunca será obtida à força de pedir ou exigir união. Constrói-se com a prática inclusiva e demonstrativa dessa vontade. E já agora com linhas de acções e comunicações claras e sem subterfúgios linguísticos ou de interpretação larga.

O Presidente não é o Sporting. É do Sporting mas não é o Sporting. Como cada um de nós não o é. Como não é o treinador, nem o roupeiro, nem o líder de uma qualquer claque.

 

Só se engana quem quer ser enganado!

P.S. Sobre a lista dos que assinam pela honra de Azevedo de Carvalho, e apesar de sobre ela já ter escrito, registo a incoerencia de muitos. Muitos mesmo! E a satisfação de não ver lá nenhum dos meus mais próximos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:12


1 comentário

De Rato Azevedo a 11.01.2017 às 12:33

Já vi por ai alguns rumores de que alguns nem poderão saber que estão na comissão de honra. Seria interessante que pessoas como Bessone Basto, Vasco Lourenço, ou Paulo Paiva dos Santos, explicassem o que os fez levar a apoiar quem tanto mal disseram.

Comentar post



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D