Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Até ao fim!

por Trinco, em 30.04.16

ng5545983.jpg

É para ser até ao fim! E se tivermos que ver os outros a festejar, que o seja só na última jornada em frenético nervosismo, a arrancar cabelos e com unhas roídas até ao sabugo (os que ainda tiverem dentes e não as considerarem imprescindíveis para a limpeza dos canais auditivos).

 

Porque o que se viu neste principio de noite, foi um interesse inusitado no resultado do perseguidor, um alinhamento com o rival do norte e um nervosismo e aflição assustada! Como se não dependessem apenas deles e não acreditassem na equipa imparável e demolidora que dizem ter.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:44

Movimentações

por Trinco, em 28.04.16

transferir.png

 

Soube-se ontem, no meio do furacão comunicacional, de uma mudança na administração da SAD.

 

Isto em semana de clássico e a 3 jornadas do fim da época.

 

Alegando motivos pessoais e profissionais, sai Paulo Soares da Silva, nomeado pela Holdimo, advogado especializado em direito comercial e societário, ex- responsável pelo contencioso de um banco angolano e de diversos projectos na área do urbanismo e imobiliário colaborando com o Governo da Província de Luanda e regente de uma cadeira do curso de direito na Lusíada de Luanda.

 

Entra Nuno Correia da Silva, formado em ciências sociais com pós-graduação em economia e política social, ex-deputado do CDS, ex-candidato à CML pela plataforma cidadania (PPM+PPV+PND), consultor financeiro e sócio-gerente da empresa Cidade Imaginada que se dedica à promoção imobiliária e sem ligações conhecidas ao futebol ou a investidores.

 

Mesmo lendo nas entrelinhas, e não questionando competências, serei só eu a achar que isto não faz grande sentido para uma SAD?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:11

Figuras e Figurinhas

por Lizardo, em 27.04.16

13901_352792304834249_192047648_n.png

 

Corria o ano de 2013 e o Sporting estava a ferro e fogo. No Auditório Artur Agostinho, Eduardo Barroso e Sampaio eram atacados com ovos. Na rua Paím e Patrão eram a cara de um movimento que queria dar outro rumo ao Sporting. E claro, Bruno de Carvalho com a companhia de Severino atacavam todo o passado recente em vários debates televisivos.

A juntar a estes velhas glórias do passado iam surgindo, Carlos Lopes, Virgílio, Venâncio, Manuel Pedro Gomes entre outras.

O Sporting não podia continuar neste rumo. As promessas eram muitas, milhões e mais milhões, treinadores e jogadores, Pavilhões e campeonatos vencidos antes de serem jogados.

O Circo, pois claro, ou como se diz na gíria: O Sporting a ser Sporting.


De 2013 até hoje, alguns interpretes deste Circo saíram de cena, outros continuam a dar espetáculo e outros até estão a braços com a justiça.

Paulo Pereira Cristóvão, por exemplo, ameaçou recentemente Azevedo de Carvalho numa entrevista para a RTP. Sobre essa matéria, sobre esse assunto, sobre essa pessoa, nem uma palavra do Presidente. Curioso, no sentido que estamos a falar de uma pessoa que responde a tudo o que o ataca, sejam figuras publicas, Sócios ou anónimos escondidos em perfis nas redes sociais.

De Manuel Pedro Gomes, que apoiou Azevedo de Carvalho, com o tempo foi sendo encostado e saindo das luzes da ribalta. Escreveu o seu livro, ganhou alguma expressão e apoio do Sporting.

De Severino, que recentemente foi atacado pela guarda pretoriana da Young Network a cargo do Presidente, por participar num jantar com figuras ligadas ao rival e a outros órgãos de comunicação, é hoje atacado nos mais diversos fóruns de discussão. Também ele escreveu um livro e teve honras de o ver publicitado na página oficial do Clube na internet e à venda na Loja Verde, ao exemplo de Manuel Pedro Gomes.

De Sampaio nem um fôlego. Onde anda este senhor tão respeitado e que tão preocupado estava com o Clube e o rumo que estava a seguir? Que tanto se insurgiu com a falta de nível e com as campanhas sujas contra o candidato que apoiava? Seria interessante ouvir Daniel Sampaio antes do final do campeonato. Com tantos casos, com tanta falta de nível e estando o Clube e a SAD a caminho de um problema enorme, consequência da Doyen, muito gostariam os Sócios de o ouvir, até porque tem muita responsabilidade na situação atual.

Carlos Lopes é um símbolo maior do nosso Sporting. Parece-nos evidente e claro que foi um grande atleta. Como dirigente não tem know-how. Desapareceu de cena.

 

Virgílio continua de pedra e cal na Academia. Quem lá trabalha ou quem conhece bem os cantos à casa não lhe lança boas palavras. Nunca tivemos tão maus e tão fracos resultados na formação como agora. Esperemos que no futuro a culpa não morra solteira. Até porque o casamento é sinal de casa, e casa obriga a ter máquinas de lavar e aspiradores.

 

Venâncio é treinador na Academia. Foi campeão, mas também é apontado como um fraco mister. Dizem os entendidos que destruiu uma grande geração de jogadores. Os resultados falarão por Si em breve.

 

A somar a todos estes não podemos esquecer Inácio, esse grande poliglota da conversa fiada. De diretor e génio do futebol, passou para as cadeiras de um programa com pouca audiência num canal de notícias e fala esporadicamente quando o mandam falar. É um pouco como o cão do “outro”, bem ensinado, quando lhe dizem: vens ou ficas? Ele vem, ou…fica!

Com Azevedo de Carvalho entram também Bacelar Gouveia, Rui Morgado, Vitor Vieira, Marta Soares, entre outros. Muitos devem querer abandonar o barco e imploram por eleições o mais rapidamente possível. O que faz Bacelar Gouveia? Tem poder no órgão que preside? Se sim terá que ser apontado e “julgado” pelos mais variados processos em marcha. Muitos destes citados já sairam e tiveram a dignidade de se afirmar oposição ao que está em marcha, outros há que falam mal nas costas e em jantares e depois lambuçam o "dono" em entrevistas nos jornais. 


O Sporting a ser Sporting. O Sporting dos tempos de Janela e Tomás Aires. Os tempos de Paulo Andrade e Dias Ferreira que estão sempre de mão dada com quem está na cadeira do poder.

O Sporting necessita urgentemente de se afirmar. Continua a ser uma enorme feira de vaidades. De gente sem mérito, de pessoas que dizem sim a tudo para angariar regalias e expressão no espaço mediático.

A Doyen é uma bomba relógio. Todos os dias um novo ponto é do conhecimento publico. O futuro do Sporting e deste Presidente e toda a sua direção pode ter o seu fim anunciado mais cedo do que se espera.

E todos estes nomes, pelo menos os que se esconderam e que hoje se remetem ao silêncio sem se pronunciar ou afirmar qual a sua posição atual não serão esquecidos no futuro. E o futuro está para muito breve!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:44

"Que o papel fale e a língua se cale"

por Lizardo, em 26.04.16

No-Don-Quixotes-permitted-funny-sign.jpg

 

 

Hoje, depois da jornada desportiva e depois de mais uma AG do Clube, parece-me ser o momento exato de fazer uma introspeção indagatória de juízo do que se passou este fim-de-semana. E a conclusão é rápida, falta juízo a este Sporting.

Um Presidente que se debate diariamente pela introdução de novas tecnologias no desporto, continua a viver na sombra pouco representativa de Assembleias Gerais, onde pouco mais de uma centena de Associados com direito a voto estiveram presentes. Uma amostragem pobre e até vergonhosa do que é a grandeza do Sporting. E claro, não podemos esquecer que este tipo de reuniões, datadas e sempre manipuladas, foram e continuam a ser a génese dos grandes problemas do Clube, pois nada foi feito sem que os Sócios aprovassem as mais variadas medidas neste formato tão “democrático” ao longo da nossa história. 

A AG, toda ela foi de uma pobreza sem exemplo. Uma vergonha, mais uma, num capítulo cada vez mais negro do que tem sido o Sporting nestes últimos 5 anos.

Ataques a Conselheiros Leoninos, ataques a quem critica nas redes sociais, ataques à comunicação social, ataques a rivais, ataques e mais ataques, lembrando a épica luta de Quixote contra os moinhos de vento. E o final da história de Cervantes é por todos altamente conhecida.


No plano desportivo, ao contrário do que foi escrito e dito pelo Presidente, não foi um fim-de-semana assim tão positivo, é verdade que vencemos em futebol sénior, mas voltámos a cair nos vários escalões de formação. Sintomático do estado de coisas atuais. Já se torna repetitivo, mas gerir uma Academia como se gere uma loja de aspiradores e máquinas de lavar não produz os mesmos resultados.

A Doyen, sempre a Doyen, parece ser uma luta que vai enfraquecendo, dia-a-dia esta direção. Primeiro acusa o rival de estar falido, depois afirma no recurso que não tem provisão financeira para pagar à Doyen, pondo em causa a vitalidade do nosso Futebol. Há coisas que só a “chico-espertice” pode explicar, ou simplesmente tentar evitar o nosso problema apontando o dos outros. A história das “duas almofadas” faz tanto sentido como o pagamento de JJ com a qualificação para a Champions, milhões que nem vamos sentir o peso nem o cheiro. E as duas almofadas devem ter duas pernas cada uma, pois serão com toda a certeza os passes de Slimani e de João Mário ou William Carvalho.

Posto isto, o Sporting caminha para um estado calamitoso. É tão evidente. Continuemos nós no fandango de andar a desviar atenções do fundamental, no que se passa dentro de nossa casa, para continuar a apontar o rival que vai em Primeiro no futebol, que está prestes a vencer todas as provas no Andebol, nacional e internacional em disputa, que está prestes a vencer no Hóquei e que já nos venceu em muitas outras modalidades, correndo nós o risco de pela primeira vez ver o Benfica levar mais atletas aos Jogos Olímpicos.

Esta é a realidade que vivemos atualmente. Sobre Montero e outras comissões, muito pouco foi esclarecido, pois claro, mais um paso doble, mais uma faena, tudo para, de facto, falar para analfabetos.

A seu tempo, como escreveu Cervantes, "Que o papel fale e a lingua se cale". O Tempo será mestre!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:32

O que podia ter dito...

por Trinco, em 26.04.16

numb.jpg

 

 

No domingo fui à Assembleia Geral.

 

Sim fui um dos 140 presente, conforme comunicado pelo Presidente da MAG aquando da abertura das votações do 1º ponto.

 

Sim, fui um dos que lá foi. Fui um dos que preteriu o Sol e o fim de semana prolongado para passar a tarde uma sala  (e ser apelidado à posteriori de analfabeto pelo que percebi).

 

Fui um dos que assistiu ao "one-man show" de Azevedo de Carvalho secundado pelo "side-kick" Marta Soares.

 

Fui um dos que viu o sorriso de enfado quando tomou conhecimento que as votações não tinham sido unânimes e que tinha havido um ou dois sócios a votar contra (não fui eu, pelo menos nesse ponto especifico, já agora...)

 

Cinquenta minutos de stand-up a imitar o improviso mas com discurso publicado logo a seguir em post de facebook, com laivos de quadro de revista e direito a reposicionamento do palanque para melhor ficar na TV. Propaganda anyone?...

 

Duas horas e qualquer de coisa nenhuma, de zero intervenções, questões ou debate nos pontos em discussão, polvilhados muito aqui e ali, de aplausos de obrigação e nada entusiásticos.

 

Podia ter dito que fazia naquela data 4 anos que Azevedo de Carvalho tinha apresentado e prometido já nem sei bem quantos milhões de um fundo americano arranjado por um tal de Baptista da Silva em plena Assembleia Geral.

 

Podia ter dito que fazia os mesmos 4 anos a aprovação do plano de reestruturação que é base a mais de 75% daquele que Azevedo de Carvalho levou a discussão e do qual dizia tão mal e agora tão bem.

 

Bem, estas duas seriam provocação gratuita...não valeria a pena. Mas sobre os pontos, poderia ter dito:

 

Que, no ponto 1, havendo culpas das gestões anteriores pela incapacidade em resolver o problema, também houve responsabilidade da CML

 

Que, no mesmo ponto, a Petrogal, acabou por ficar com o dobro da área para o seu posto de abastecimento de combustíveis, pelo valor que já tinha pago em 2005, sem qualquer outra contrapartida para o Clube.

 

Do ponto 2, que, mais uma vez, não relevando as culpas das gestões anteriores, já era a 3ª vez nos últimos 4 anos que votávamos uma solução, sendo que a anterior já tinha sido na vigência deste Conselho Directivo.

 

Sobre o orçamento que a razão para não haver especificação por modalidade da fatia que lhe cabe no orçamento é ridícula e esbarra na prática de transparência apregoada e não praticada, sendo que essa mesma alineação é fundamental para ajuizar a justiça da distribuição de recursos e para avaliar o desempenho perante o investimento no orçamento seguinte

 

Podia ter dito que a responsabilidade do orçamento é do Conselho Directivo e que atirar à cabeça para cima dos sócios a responsabilidade total de um eventual falhanço nas receitas que o próprio Conselho estima é, além de uma irresponsabilidade pelo que de constrangimentos isso possa trazer nos orçamentos seguintes, de uma arrogância auto-desresponsabilizadora sem limites.

 

Podia ter dito que seria bom que, havendo este crescimento de 70% nos honorários, este fosse melhor explicado na sua aplicação e na sua politica de investimento, sendo que se for a continuação da que já se percepcionou em algumas modalidades para 15/16, para o resultado imediato e para o Março de 2017, o "day after" poderá ser doloroso, sendo que de arrasto, poderá levar também o produto final da formação.

 

Sobre os tribunais arbitrais, que são mais simpáticos nos custos, mas que a comissão de acompanhamento que "magnanimamente" propôs ser distribuída em lotes de 10 elementos pelos mais variados grupos (inclusive por algo que já não existe e que se extinguiu naturalmente no dia das eleições) que provavelmente 50 desses terão que ser da responsabilidade da outra parte, seja ela qual for e que esta comissão não é mais que assistência, ao estilo dum "o juiz decide" em que apenas vão...assistir. Como quem vai ao teatro ou ao circo.

 

Mas não disse nada! E não disse porque, primeiro, não quis estragar o fantástico registo de zero intervenções e de dormência entrecortado com alguns berros. E depois porque já sabia a resposta. A resposta seria um jocoso, em voz grave e arrastada... "Eu é que sei!"

 

Se me arrependo? Não, sinceramente não.

 

Por isso, apesar de ser burro e insistir na maior pare das vezes em continuar a ir, é que reafirmo. As AG's são uma treta! Infelizmente!

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:03

Um ano depois

por Trinco, em 24.04.16

Thinking.png

 

Fazemos um ano. Neste ano fomos muitas vezes incómodos. Neste ano fomos algumas vezes insultados. Neste ano fomos apontados como "o mal". Neste ano, muitas vezes, fomos o mensageiro "a abater", sem sequer se ter em atenção à mensagem. Neste ano muitas vezes não gostaram de nós.

 

Mas neste ano, não abdicámos de pensar por nós próprios, sem complexos ou trelas. Neste ano não deixámos de dizer o que achávamos que devíamos dizer sem presenças tutelares a mandar recados. Neste ano celebrámos vitórias e carpimos derrotas. Neste ano, na maior parte das vezes argumentámos com aquilo que mais custa rebater, que são os factos.

 

E como diz o Jorge Palma:

Enquanto houver estrada para andar, a gente vai continuar
enquanto houver estrada para andar
enquanto houver ventos e mar, a gente não vai parar
enquanto houver ventos e mar

 

Lidem com isso!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 08:28

Orçamento

por Trinco, em 22.04.16

Imagem 001.png

 

Finalmente, a 48 horas de ser debatido, lá apareceu publicado no site a proposta de orçamento para 2016/2017

 

Numa análise (muito) rápida, algumas coisas saltam à vista.

 

Uma previsão de aumento de 17,5% em Rendimentos e Ganhos, com uma estimativa ambiciosa de aumento de Quotizações (€8,4M, +16.2% que 15/16) de Inscrições nas Modalidades (€2,0M, +11,4% que 15/16), de Bilheteira (€150k, +122,5% que 15/16), de Publicidade (€3,1M, +15,7% que 15/16) e de Rendas (€4,3M, +37,9% que 15/16)

 

Nos Gastos e Perdas, um aumento generalizado que origina 25,9% de incremento em relação a 15/16, onde se destaca fortemente um aumento de 71% em relação a 15/16 na rubrica Honorários (€6,5M), que será porventura aquela que melhor identifica o investimento directo na vertente desportiva das modalidades.

 

No final, prevê-se ainda assim um Cash-flow operacional positivo, mas de apenas €1.004. Sim, mil Euros.

 

Sem grandes comentários, esta proposta de Orçamento é fortemente expansionista e projecta o investimento para níveis que não me lembro de alguma vez ter verificado. E isso é estranho. É estranho porque foi afirmado que a contracção de orçamentos era uma inevitabilidade e que todos os adversários a isso também seriam obrigados e é estranho pois ainda há meses se carpia as mágoas das restrições financeiras, sem que nada tenha acontecido, pelo menos que fosse identificável, que permitisse esta explosão.

 

Pessoalmente, espero que estes €6,5M sejam parcimoniosamente empregues e que não se ceda à tentação eleitoralista de comprar de nome, sem grande critério e apenas com o intuito da vitória imediata, deixando o Clube em condições difíceis nos anos seguintes.

 

Uma coisa que também se verifica, infelizmente, é o desaparecimento do quadro onde se parcelava por modalidade os gastos. Desde o orçamento de 14/15 que desapareceu e seria de facto muito útil para aferir os custos de cada modalidade e sobretudo a justeza da divisão de recursos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:24

Transparência, rigor e informação

por Trinco, em 21.04.16

Imagem 003.png

 

Não existe obrigação estatutária, mas parece-me que mandariam os mais elementares princípios da transparência, rigor e informação que as propostas com respectivos documentos relevantes, a serem debatidas em Assembleia Geral fossem publicadas no site com a devida antecedência para permitir uma melhor ponderação e análise por parte dos sócios.

 

Tal não acontece!

 

Estamos a 3 dias da realização da Assembleia Geral e até ao momento, além da convocatória, nada de mais se sabe das propostas a apresentar. E o caso torna-se ainda mais preocupante quando se vai propor a debate um documento, relativamente extenso e que demora sempre algum tempo a digerir e que acima de tudo será estruturante para a vida imediata do Clube, como é a proposta de Orçamento para o ano seguinte.

 

Se o objectivo é que não se questione, discuta ou debata, ou se acontecendo, este se faça em posição bastante mais fragilizada por necessariamente menos informada, então o caminho é este. Não me parece é que o mesmo seja razoável.

 

E se as propostas a deliberar não estão, algumas das já deliberadas, que serão sempre importantes para debater e comparar, também desapareceram do site, dando recorrentemente a ligação à página que a imagem acima representa. É o caso da proposta de orçamento de 2015/2016, ou de todos os R&C's pretensamente disponíveis.

 

Aliás, mesmo as propostas anteriores, que na antiga versão do site podiam ser navegadas cronologicamente, agora estão limitadas a uma página com 14 propostas seleccionadas sem que se possa aceder às outras ou às anteriores.

 

Pessoalmente, considero isto uma falta de respeito para com os sócios e para com o associativismo, e uma clara dicotomia entre o que se diz e o que se faz!

 

P.S. E escusam de alegar que é informação priveligiada, pois as AG's também são reuniões reservadas a sócios e agora, têm o seu discurso de abertura transformado em momento de propaganda, transmitido em directo em canal aberto.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:11

Por acaso até "doyen"...

por Trinco, em 19.04.16

Nem sei o que "doye" mais. Se a conta a pagar, se a incapacidade do representante do Sporting em responder às questões do CAS sobre o dano material que alegava...

Imagem 001 (3).png

 

 Já agora, a conta é:


€5.05M mais juros de 5% ao ano a contar de 23 de agosto de 2014 até ao pagamento;

€5.0M mais juros de 5% ao ano a contar de 4 de dezembro de 2014 até ao pagamento;

€1.81M mais juros de 5% ao ano a contar de 23 de agosto de 2014 até ao pagamento;

75% (dos 20% de direitos do Sporting) sobre uma qualquer mais valia futura acima de €23M;

90% das custas do processo;

€36.5k em comparticipação das custas legais da Doyen;

 

P.S. Se esta é a capacidade do Clube e do seu departamento júridico em fundamentar e sustentar todas as acções interpostas, é legitimo esperar o pior!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:06

Um Conselho Leonino

por Lizardo, em 19.04.16

200_s.gif

 

 

Fala-se que hoje Rui Barreiro, eleito democraticamente pela lista do atual Presidente para o Conselho Leonino pode hoje ser exonerado (expurgado) das suas funções.

A todos nós, Sócios e Adeptos faltam-nos matéria para bem avaliar estas consequências. O que se terá passado? O que terá sido o foco e como se mede a intensidade de tamanho ataque à confiança e à boa linha de conduta? O que se passou realmente que obrigue um Órgão a expurgar um membro?

Avaliando o que muito tem sido escrito e falado, Rui Barreiro somente se indignou e se colocou numa barricada oposta à que o elegeu.

E se assim foi, não há matéria alguma para exonerar este membro.

Este estado de coisas revela sim qual a real função de um Conselho Leonino que tem validade zero, que é uma feira de vaidades e uma porta aberta para fugas de informação e imposições de tráfego de influências.

O atual Presidente durante o folclore que foram as suas campanhas eleitorais, várias vezes afirmou que não se identificava com este Órgão Consultivo. Mas por conveniência eleitoral a Sua lista apresentou um conjunto de nomes e foi a votos.

Em três anos não se extraiu um único ponto favorável que tenha sido conhecido. Muito pelo contrário.

É sabido que durante as negociações com a NOS e a Altice, por exemplo, muitas foram as discussões sobre o tema, pois muitos tinham prometidas comissões e outras prendas.

A gota de água para este Conselho Leonino parece ser hoje.

Se Rui Barreiro for exonerado, é importante que todos os membros tenham a consciência que se estão automaticamente a exonerar a eles mesmo.

O Fim do Conselho Leonino está para breve. Vale zero. Não é consultado. É uma perda de tempo.

 

Assumir este tipo de comportamentos é fazer parte de uma página negra na história do Sporting.

Espero que todos os eleitos no Conselho Leonino tenham a elevação e a capacidade intelectual de entender o que está realmente em jogo.

Em suma, tenha o Presidente coragem nas próximas eleições avançar sem lista para este Órgão. O que duvido. Pois em cinco anos de Sporting, três como presidente, o que hoje é verdade amanhã é mentira. E o final de Pimenta Machado todos nós sabemos como foi.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:00

Pág. 1/3



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D