Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Transmissões e resultados

por Trinco, em 29.10.15

tv.png

 

Ontem, a SCPtv transmitia o jogo de futsal contra o Braga, muito provavelmente a 3ª melhor equipa nacional, um jogo de resultado disputado, em que depois de estar a ganhar e permitirmos a reviravolta estávamos empatados, quando a 3 minutos do fim, sem qualquer explicação no momento, corta a transmissão para o inicio do jogo de Hóquei contra o OC Barcelos, 6º classificado da época anterior.

 

Nem quero pensar que se trate de uma qualquer escolha ou preferência prevalente, fruto de indicações superiores sobre o interesse relativo de cada uma das modalidades. prefiro presumir uma infeliz, incompetente e amadora escolha editorial. O que nos leva ao muito que este canal tem que crescer, evoluir e aprender até poder cumprir a cultura de exigência que deve presidir o Clube em todas as suas vertentes.

 

Como têm as pessoas responsáveis pela comunicação (e nalguns casos também das secções), nomeadamente as incumbidas de alimentar os feeds das redes sociais, sempre muito activos com piadolas e enaltecimentos das vitórias, sejam elas as que forem, mas inexplicavelmente ausentes (ou muito atrasados) nos resultados menos bons. É que se as vitórias são nossas, as derrotas também têm que ser. Ganhamos e perdemos, assim mesmo, na 1ª pessoa do plural. E informação é informação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:46

Consistência

por Lizardo, em 27.10.15

paulo bento 1.jpg

São as vitórias que unem os Sportinguistas. O que se passou no passado domingo no Estádio da Luz foi uma prova categórica, mais uma, e não é de agora, que o Sporting é um Clube tão grande como os maiores da Europa.

Relembro a vitória no Dragão na época passada para a Taça de Portugal que vencemos em mais um jogo épico contra o Braga, o grande jogo na época de Domingos contra a Lazio, a caminhada de Sá Pinto na Liga Europa, em especial os dois jogos contra Manchester City.

Impossível esquecer os grandes jogos de Peseiro, os jogos de loucos contra Newcastle e um AZ na Holanda, equipa poderosa e que viu muitos jogadores saírem para grandes europeus.

Não podemos esquecer também o jogo de loucos em Alvalade contra o Benfica, onde Paulo Bento recuperou de um resultado negativo e calou Rui Costa enviando cinco golos contra três dos de Carnide.

Nos últimos anos muitos foram os grandes momentos. Mas tem faltado a consistência que nos permita estar no topo e chegar ao final das competições e vencer.

Com Paulo Bento vencemos Taças de Portugal e Supertaças, tal como agora com Marco Silva e Jorge Jesus.

Mas queremos mais. E o mais são os grandes títulos. O campeonato e porque não, ambicionar vencer uma competição europeia como a Liga Europa.

A mudança de mentalidade e de organização com Jorge Jesus é notória. O Sporting num curto espaço de tempo tem um futebol mais cerebral e mais elaborado. Não é uma equipa perfeita mas dá indicadores que o futuro pode ser brilhante e a curto prazo.

 

Mas para brilhar no futuro é necessário paz e alguma serenidade em torno do Clube. Bem sabemos que nos andamos a divertir bastante com o Benfica. Tudo o que se passa atualmente é exatamente isso, uma brincadeira, e eu adoro brincar com o Benfica, “isso me envaidece”. Mas é necessário saber e bem gerir os tempos de ataque.

 

Nem quarenta e oitos horas depois do Derby e já o nosso Presidente dava nova entrevista a uma rádio de expressão nacional.

Compreendo que agora tem que continuar a alimentar o monstro que criou, sob pena de cair no ridículo das suas afirmações não terem conteúdo ou qualquer validade.

Lembro os anos de Dias da Cunha, quando declarou guerra contra o Sistema, que destapou e revelou à nação desportiva os podres do futebol. Lembro-me de muitos apoiantes na época, hoje contra, a forma entusiástica com que foram para a guerra. Ganharam minutos e minutos de tempo de antena, davam opiniões, promoviam a contrainformação, e dentro de campo, o grande artista João Pinto centrava para Jardel ir resolvendo. Uma época histórica.

Convém não esquecer que o Sporting marcou várias vezes três golos no novo Estádio da Luz, sem pesquisar tenho na memória alguns jogos, um para o Campeonato que vencemos 3-1 e outro para a Taça que empatámos 3-3 nos 90 minutos e fomos eliminados.

Estas façanhas não devem ser elevadas ao extremos. Já aconteciam, faltava a consistência para depois manter estas exibições contra o Paços de Ferreira em casa ou contra qualquer equipa de segunda linha nas competições europeias. E da euforia à desilusão nem 90 minutos são necessário.

Tudo é efémero no futebol, vamos saborear esta vitória durante o máximo tempo possível, e espero esquece-la na próxima derrota do Sporting ou resultado negativo, que só pode acontecer depois de o título de campeão garantido.

Silêncio, que se vai cantar o fado, e o fado canta-se no relvado. A esses que jogam é que nunca lhes pode doer a voz.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:09

Um jogo!

por Trinco, em 26.10.15

12065878_10207737237457377_897904738381218461_n.jp

 

Foi inequivocamente histórico!

 

Foi uma vitória a toda a linha. No balneário, no banco, no campo e na bancada! Foi uma vitória sem contestação, em que a nossa superioridade foi por demais evidente em todo o tempo de jogo, onde se alguma coisa haja a apontar tenha sido a falta de "killer instinct" na 2ª parte, onde houve sempre a sensação de estarmos mais próximo de marca que de sofrer.

 

Foi um jogo em que a arbitragem esteve mal, muito mal (com prejuízos para ambos os lados) mas que soubemos ser aquilo que devíamos ser sempre. Melhores, muito melhores.

 

Mas foi também o jogo que fez aparecer de novo os aparatchiks, que, com discurso tão idêntico entre eles até parece ter estado concertadamente preparado para saltar à 1ª oportunidade a destilarem contra os que criticam. Ora porque não criticavam agora, ora porque não falavam do Marco, ora porque qualquer coisa...Os mesmos que criticam quem critica a criticarem por estes não criticarem...uma vitória!

 

Os que tanto fala dos pretensos divisionismos foram os primeiros a fomentá-los, apontando as armas para dentro, ainda antes de qualquer reacção demonstrativa de felicidade pela vitória, quase ignorando a alegria que nos enchia a todos.

 

Sem perceberem que as vitórias e as derrotas são de todos! Que por mais que queiram relativizar as derrotas, seja no futebol, seja principalmente nas outras modalidades, elas são também nossas, e que não é por serem omitidas e varridas para debaixo do tapete elas deixam de existir. E que por muito que queiram, contrariamente ao que assisti antes de 2013, ainda não vi ninguém agora, por menos que gostem de algumas pessoas do Sporting, a desejar derrotas.

 

Também se assistiu, acto continuo, ao elogio da conduta dos últimos tempos, fazendo-a corresponder à razão do sucesso, menorizando quem esteve lá dentro a fazer o que tinha que fazer, com a competência demonstrada e resultado conseguido. Como se o ruído, a arrogância e o andar nos limites do grosseiro, tivessem contribuído o que quer que seja para o que aconteceu naquele relvado. Sim, porque é ali que que as coisas verdadeiramente se definem.

 

Em menor evidencia, surgiram também os que não entenderam, cheios de bazófia, que foi apenas um jogo, numa liga com 34 jogos. E que se não se ganhar a seguir ao Estoril, ao Arouca, ao Belenenses e por aí fora, este resultado, por mais alegria que nos tenha dado no momento, pouco valerá e pouco significará.

 

P.S. 1 Num comentário paralelo a algo possivelmente com menos importância, foi muito bom voltar a ver o Sporting equipado à Sporting

 

P.S: 2 Completando o presente num post anterior, no fim deste fim de semana, contra este mesmo adversário, em 16 jogos oficiais nas várias modalidades, temos 5 vitórias, 1 empate e 10 derrotas. E é neste facto que nos devemos também empenhar para mudar esta contabilidade.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:51

Movimento Perpétuo Associativo

por Trinco, em 22.10.15

 images.jpg

Agora sim, temos a força toda!
Agora sim, há fé neste querer!
Agora sim, só vejo gente boa!
Vamos em frente e havemos de vencer!

 

Tem sido recorrente o uso do estribilho que o Clube deixou de ser simpático. Que agora ruge a tudo e a todos. Que deixou de ser anjinho e que com isso as vitórias são em catadupa. Que estamos e somos imparáveis

 

Tem sido recorrente a afirmação da independência em relação aos adversários, mesmo que depois se verifique o contrário e o caminho solitário, mesmo que os alinhamentos estratégicos já tenham oscilado de um lado para outro.

 

Tem sido recorrente a reclamação de superioridade moral na busca pela verdade desportiva, mesmo que por vezes não façamos no campo o que nos compete, na convicção que isso e só isso bastará para que as competências (e carácter) dos agentes de arbitragem sejam mudadas.

 

Tem sido recorrente o falar à boca cheia da presença e poder adquirido junto das mais altas instancias sem que isso se verifique ou daí resulte uma alteração profunda do paradigma.

 

Tem sido recorrente a acusação e o apontar de dedo, em todos os lugares menos os correctos sem perceber a relação causa-efeito que isso tem no ambiente que se vive e, no caso do futebol, no negócio que é razão de existir da SAD.

 

E tem sido ainda mais aceso, contra um determinado alvo, chegando à soberba de fazer tristes figuras de estilo com o Voleibol e com o Carcavelinhos e a derrocada total e completa desse mesmo alvo.

 

Mas, quis a verdade que até ao momento já se tenham disputado 13 jogos oficiais contra esse alvo, nas principais modalidades, com o triste resultado de 8 derrotas (algumas bem pesadas), 1 empate e apenas 4 vitórias (2 bem saborosas).

 

E isto serve, não para atacar a gestão desportiva (pelo menos nesta pequena dissertação) mas para relembrar que em desporto, ganha-se e perde-se. E que a sobranceria e arrogância, na maior parte dos casos tem mau resultado (alguns chama-lhe de Karma). E isso acontece antes de 2013 como depois de 2013.

 

Que este fim de semana seja a prova disso mesmo, ganhando-se mais do que se perde, ao contrário do último...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:19

A propósito do derby...

por O 6º Violino, em 21.10.15

bola.jpg

A propósito do clima que está montado para o derby do próximo domingo, lembrei-me de algumas questões que devem fazer reflectir e/ou corar de vergonha os pirómanos cá do "casebre".

O futebol foi sempre um desporto de paixões cegas e altamente propicio a discussões avulsas entre amigos e inimigos.

Juntar a essa "fogueira" que arde cada vez que há um derby, latas de gasolina, não ajuda em nada ao negócio, muito menos, quando dele dependemos para sobreviver.

Do lado do adepto comum, e para mais na qualidade de visitante, quem, com dois dedos de testa se arrisca a levar a sua família ao futebol?

Quem é que arrisca que companheiras e filhos se vejam envolvidos em cenas menos próprias, colocando em risco a sua integridade física?

Quantos adeptos destes o futebol português, e não só, já perdeu?

Azevedo de Carvalho assumiu que iria ter uma postura reformadora para o futebol, mas ao contrário das bonitas palavras, as suas atitudes de criança a quem lhe estão a tirar o rebuçado, só servem para que afaste gente dos estádios, inclusive do Nosso, que raramente enche....

Quem, para além de uma farmacêutica desconhecida quer patrocinar um Clube comandado por alguém que não defende o desporto, mas sim as suas agendas?

Academia, bancadas, sponsors de vestuário, onde andam eles?

Chegarão em Dezembro/Janeiro, na reabertura do mercado, ou vamos negociar "jogo a jogo" como disse o vice para a área financeira? Já começaram os jogos? Se calhar, não.

No conforto do lar, Azevedo de Carvalho poderá assistir tranquilamente ao derby, provando que lhe falta coragem para acompanhar os "seus", aqueles que tantas vezes lhe servem de escudo humano e transmissores de recados para os que são apelidados pelo próprio de "idiotas,palermas,estúpidos", entre outros mimos.

Que corra tudo bem, dentro e fora das quatro linhas, para que a bomba não lhe rebente nas mãos.

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 14:44

Jantares com tudo incluído

por Lizardo, em 21.10.15

12108800_906110626109886_340596939307532393_n.jpg

Ontem realizou-se um jantar num famoso espaço lisboeta, segundo as notícias com perto de 80 ilustres Sportinguistas, onde esteve presente o Presidente, membros do Conselho Leonino, rapaziada da comunicação, gente dos Blogs e do Facebook, membros da Direção e da Mesa da Assembleia Geral, entre outros apoiantes.

Segundo o que foi noticiado, o objetivo do jantar foi o de reunir estes ilustres Sócios Leoninos, membros de um grupo de Tertúlia Sportinguista no Facebook.

Rapidamente ganhou honras de direto na Sporting TV, rapidamente surgiram fotos nas redes socias e rapidamente a comunicação social foi avisada para ir recolher imagens e testemunhos.

É do conhecimento que muitos convidados não marcaram presença, sem se saber as reais razões, mas o que destaco é a presença de alguns ilustres que no passado muito alinhados estavam com as antigas direções, alguns mesmo defensores acérrimos de Godinho Lopes, que em Assembleias Gerais muito o defendiam, para não falar de certas personagens que há bem pouco tempo gritavam aos sete ventos impropérios sobre o atual Presidente.

Este tipo de acontecimentos, somando o discurso melindrado do Presidente na passada Assembleia Geral onde pedia para não o deixarem cair, somando as constantes entrevistas, e ontem com mais um discurso de fazer esconder as nuvens e revelar o sol, deixa no ar que algo se está a passar.

Este toca a reunir de todo um grupo de apoiantes é revelador que há medo de perder o poder. A entrevista de Baltazar ao DN fez tremer a estrutura, curiosamente, uma curta frase e nada mais, melindrou um conjunto de ilustres Sportinguistas que recentemente dirigiram a sua ira e a sua forma brejeira no bota a baixo a este Sócio, no sentido de o diminuir e denegrir. Esquecem que quanto mais falam, mais o estão a ajudar.

Não acredito nem quero acreditar no cenário de Eleições Antecipadas, a não ser que existam pedidos de demissões em cima da mesa do Presidente. Da Direção, passando pela Mesa da Assembleia Geral e no Conselho Leonino existem ecos que possam apontar nesse sentido.

A falta de apoio interno ao Presidente parece começar a ganhar cada vez mais sentido. Não só nos membros de fato e gravata, mas também nos funcionários de fato de treino, em especial Octávio Machado, que não se percebe aos dias de hoje, quais as suas reais funções, onde começa e onde acaba a sua área de atuação. E se bem conhecemos Octávio Machado, mais cedo ou mais tarde iremos ficar a saber.

Depois da entrevista à RTP Internacional onde o Presidente não exclui a hipótese que alguém internamente tenha facultado alguns dos documentos que surgiram no Futebol Leaks.

Agora que o Caso Doyen parece estar a chegar ao fim.

Agora que este caso "Caixa Dourada" parece cair em saco roto com graves prejuízos para a imagem e prestígio de Bruno de Carvalho.

Agora que Carrillo começa a estar cada vez mais longe.

Agora que vamos jogar ao Estádio da Luz, depois de mais um jogo na Europa onde vamos, seguramente, jogar novamente com as segundas linhas, estando nós fora da Champions e sem Sponsor.

Agora que caminhamos para a fase decisiva de tantos processos, onde não podemos excluir os mais mediáticos do ponto de vista emocional, os colocados pelo Presidente a Sócios do Clube.

Ganha cada vez mais sentido que alguém quer fazer cair o Presidente. E esse "alguém" tem que ser realmente alguém com poder. Muito poder.


Aguardemos, com suspense, pelas cenas dos próximos capítulos. A mesa está posta e assim vai continuar, toca a reunir que tudo isto cheira a pré-campanha.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:30

Vozes de Burro?

por Lizardo, em 20.10.15

frase-falar-muito-sobre-si-mesmo-pode-ser-um-meio-

Que utilidade prática pensa o Presidente retirar de todas estas entrevistas constantes, onde afirma exatamente o mesmo, aponta sempre na mesma direção e pelo meio se vangloria dos feitos exemplares que já fez à frente do Sporting, feitos esses para os quais foi eleito e são um dever e não um milagre?

Que utilidade prática pensa o Presidente retirar com este clima constante de guerrilha, caindo no erro de afirmar que existem comportamentos diferentes quando o Sporting está envolvido e comportamentos mais “engraçados” por parte das entidades desportivas quando outros Clubes estão envolvidos?

Que utilidade prática pensa o Presidente com tudo isto? É lógico que já se apercebeu que vozes de burro não chegam ao céu, e que ninguém o ouve, pois banalizou o seu discurso, uma prosa mal redigida e mal preparada, mal fundamentada, que prejudica mais o Sporting que o ajuda.

O tom de discussão de café não abona nada a seu favor. E é o tom que o banaliza e que promove o desprezo por parte dos rivais, Liga, FPF e outros órgãos do desporto.

Quanto mais fala, mais desprezado se sente. O que não deixa de ser curioso e revelador que cada vez mais é um homem só.

Ontem na entrevista à RTP Internacional deixou bem claro que não coloca de parte que alguns dos ataques possam ter origem dentro do Sporting. Parece-nos a todos demasiado evidente.

Os ecos que existem demissões são cada vez mais ruidosos e em breve todos saberemos se são verdade, e se se confirmarem quais as reais razões.

O Sporting caminha para um período de muitas dificuldades. Vencer na Luz e vencer o caso Doyen podem ser a chave para credibilizar o Presidente Bruno de Carvalho. Perder pontos na Luz ou perder o caso Doyen, vai com toda a certeza, abrir uma porta para a saída de Bruno de Carvalho da presidência do Sporting.

O Sporting merece um Presidente pago e que trabalhe 24 horas para o Clube.
O Sporting merece um Presidente que diga presente nos Pavilhões a assistir às modalidades.
O Sporting não merece um Presidente que não domina os meandros da comunicação, que se expõe e fragiliza todo um Clube com guerrilhas constantes, sem fundamento e que só desgastam a sua figura e o bom nome do Sporting.

A seu tempo saberemos muito do que se passa realmente no Clube. Os ecos que se começam a ouvir não abonam num clima de muita tranquilidade e paz internamente.

Saiba o Presidente ter mão de ferro, e se mantiver o seu modus operandi, bem ao estilo da Rainha de Copas da Alice no País das Maravilhas, vai mandando cortar cabeças até ser um homem só, cada vez mais isolado e cada vez mais fragilizado.

Vale mais falar pouco e muito. Que falar muito e pouco. E o Presidente não percebeu ainda que a comunicação social e os meios que a difundem chegam exatamente aos mesmos, seja na RTP, na Renascença ou no Expresso.

 

Em suma, Presidente Bruno de Carvalho, para o seu bem, e para o bem do Sporting, cale-se. Faça o seu papel. Gerir, controlar, decidir.

PS: A insistente mensagem que “as pessoas lá em casa não sabem ou não percebem” é revelador do estado de grandeza bacoca em que vive. O Senhor Presidente é um Génio, os Sócios e Adeptos comuns são a plebe do Futebol, que devem prestar vassalagem ao grande senhor das terras. Mas para sua informação, tenha presente que a Democracia tem este “defeito”, é a Plebe, os que tomam uma ou duas decisões por ano, vá lá, uma por mês, que elegem e demitem os iluminados.


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:50

Ponto de situação

por Trinco, em 19.10.15

0B6_FdrJD56OmeUEyTlFtVUI4dms.jpg

 

Concordando com o Lizardo, no post "Sopram ventos adversos" mas centrando um pouco mais nas modalidades e no panorama actual e geral das mesmas e menos no futebol e no perigoso clima de guerra criado e alimentado essencialmente do nosso lado com constantes intervenções incendiárias, registando até a infeliz realidade de a resposta estar mesmo a ser dada nos locais próprios como preconizado por outros e esse local estarem a ser os terrenos de jogo (depois das alusões ao volei e ao Carcavelinhos...karma is a bitch), este fim de semana desportivo, apesar de impregnado pelo amargo sabor da derrota, permitiu-me algumas ilações.

 

No Futsal, permitiu-me perceber que, contrariamente ao que aconteceu no ano passado, estamos a par, se não acima do nosso principal adversário. No Andebol, mais uma vez por um golo se perdeu (a eliminatória no caso) mas contra uma equipa de uma liga extremamente forte. No Hóquei, não houve qualidade e maturidade suficiente para contrariar o bi-campeão Europeu no seu ringue. No Basket aconteceu a 1ª vitória no principal escalão de seniores femininos o que será sempre algo assinalável.

 

No fundo, permitiu-me validar as ideias do post de "Arranque", que me faziam estar confiante para escrever:


Pessoalmente, para este ano, uma época positiva passaria por ganhar os campeonatos de Futsal e Andebol, terminar nos 4 primeiros em Hóquei e aceder ao playoff final no Basquete.

 

Mas também, e alargando o espaço temporal de análise, me mantém a ideia que a aposta evidente nos resultados imediatos poderá ser recompensadora já, mas perniciosa a médio prazo.

 

No Futsal, temos uma equipa envelhecida e sem renovação real. É boa, muito boa para a realidade nacional, mas quando passar o seu prazo de validade, lá estaremos novamente a ter que contratar forte e caro.

 

No Andebol, ao envelhecimento, acrescenta-se a infeliz manutenção dos bloqueios inexplicáveis que nos fazem perder jogos de confronto directo. Sobre isto, preocupou-me muito mais a derrota com o FC Porto para a Liga que a de Sábado para a EHF

 

No Hóquei, tido por muitos como a nova bandeira da raça, preocupa-me o desequilíbrio entre o que efectivamente são (e que acrescentam com a raça) e o que lhes é implicitamente pedido. E não é a vitória na supertaça que me faz mudar esta expectativa.

 

No Basquete, que vive no limbo de ser ou não uma modalidade oficial o caminho seria sempre muito difícil e temo sobretudo pelas consequencias que um eventual fracasso possa trazer à sua existência.

 

E depois temos a formação. Em todas, me parece que cada vez mais somos apanhados ou ultrapassados (e não são os últimos resultados que me fazer ter esta ideia) e que acima de tudo falhamos nos seus objectivos (um pouco menos o Andebol, por via das circunstancias dos cortes dos últimos anos e o Futsal por força dos regulamentos) de alimentar os planteis seniores de maneira sustentada, sendo que quer no Hóquei, quer no Basquete, a mesma nem se encontra na esfera do Clube.

 

Pessoalmente, atribuo isto à falta de uma politica desportiva transversal às modalidades do Clube onde cada modalidade se vai gerindo mais ou menos alheada de tudo o resto e em que as opções se vão fazendo demasiado casuisticamente (que falta faz uma direcção geral das modalidades) e à constante guerra entre o resultado e a sustentabilidade, que não poucas vezes se desencontram tragicamente. E quer-me parecer que foi esse o caso este ano com os investimentos avultados nos orçamentos, pensando mais no agora e menos no depois, no que, esperando-me enganar, originará um desequilíbrio a prazo difícil de gerir.

 

P.S. No Futsal, não esquecer que Nuno Dias, para mim o melhor treinador Português, termina contrato este ano!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:19

Sopram ventos adversos

por Lizardo, em 19.10.15

 

 

 

Este fim-de-semana desportivo foi histórico.

Por um lado tivemos Sporting em vários canais, modalidades e pontos geográficos do mundo, em vários escalões.

 

O Jogo mais importante, talvez a final de Hóquei contra o colosso Barcelona, que perdemos.

Não podemos esquecer que só perde as finais quem lá chega, e nós, com muito suor, esforço e dedicação caímos de pé.

Destaco o pouco interesse pela modalidade demonstrada pelos Espanhóis, que por hábito enchem pavilhões, nesta final as bancadas eram um deserto revelador que o Hóquei precisa de voltar a ganhar adeptos.

No Andebol tivemos uma prestação que me deixou desolado. Tínhamos tudo para passar esta eliminatória, tudo para sair da Dinamarca ainda em prova. Por um golo se perde, por um golo se ganha.

E depois chegam os jogos da bola no pé, do Futebol ao Futsal vencemos o jogo da Taça de Portugal contra os amadores de Vila Franca e vencemos um jogo complicado em Juniores no Restelo.

 

Voltámos a sair derrotados em casa contra o Atlético num jogo miserável onde não se compreende qual a estratégia definida para a atual Equipa B. Talvez exista já a ideia que é para acabar. Pois continuar a apostar no entulho comprado nos últimos anos, seja esse entulho herança de Godinho ou da atual direção, pois nem Labyad nem Cissé, nem Viola nem Sacko ou Gauld têm qualidade para vestir o nosso equipamento.

Depois entramos nos encontros mais quentes, os dérbis.

Como disse Luís Filipe Vieira, é nos locais próprios que se dá resposta e a resposta foi dada:

Futsal seniores – derrota com o Benfica

Futsal iniciados – derrota com o Benfica

Iniciados futebol – derrota com o Benfica

Na próxima jornada vamos ao Estádio da Luz e queremos esquecer estas derrotas e estas respostas.

Só a vitória interessa. Só a vitória pode colocar uma pressão enorme sobre os rivais da segunda circular que podem ficar a fazer contas muito complicadas.

 

Por mais que digamos que eles só ganham em Vólei e ao Carcavelinhos, estes dias venceram uma medalha de ouro com a Telma Monteiro no Judo e com João Pereira no Triatlo em grandes competições internacionais.

 

Nós felizmente vencemos a Supertaça contra o Toledos em Ténis de Mesa.

 

Posto isto, o Presidente volta hoje ao Estrelato das entrevistas que tanto adora.

Com tantos processos judiciais, com tantas entrevistas, começo a desconfiar que andamos a pagar um ordenado a uma vedeta da Quinta da Celebridades que vai passeando o seu ego e abrindo frentes de batalha contra tudo e contra todos.

Anda louco por encontrar uma cara, uma oposição que o afronte e que o aponte. O silêncio de muitos ilustres tira-lhe o sono, sabendo Ele, o Presidente, que é internamente que começa a surgir essa oposição, é internamente que começam a sair notícias para o exterior, é internamente que começam a abandonar o barco, cada um na sua vez, todos pela mesma razão.

Esta semana que antecede o grande dérbi de Lisboa promete ser quente.

Esta semana podemos ter caso Doyen, que vai doer a alguém, espero que não seja ao Clube.
Esta semana podemos ter muitas novidades sobre o império em declínio de Bruno de Carvalho.

Sopram ventos adversos, naturalmente, pois quem ventos semeia…

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:09

Gestão de comunicação

por Trinco, em 16.10.15

Spot-lit-microphone-and-s-011.jpg

 

TVI a 5 de outubro, Etv a 9, Expresso a 10, Renascença a 14 e SCPtv a 15 e TSF a 16, misturado com declarações avulsas e profusa troca de mensagens no facebook aproveitando o fim de semana sem futebol, tudo culminado com um narcísico "Este homem sente-se à vontade em televisão. Sabe o que diz. Domina em termos de espaço e de tempo o seu diálogo", assim mesmo na 3ª pessoa à "futebolês" e em discurso directo e um "Bastava que eu adoptasse outra postura e tornava-me num caso sério de televisão. Cada programa que vou, as televisões estoiram as suas audiências".

 

Estranha gestão esta que nem entende que a a saturação da presença enfraquece a mensagem e o mensageiro...

 

Edit: Hoje mais uma, à TSF, acrescentada à listagem.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:21

Pág. 1/3



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D