Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Trampas há muitas!

por Lizardo, em 28.08.15

20070226manzoni.jpg

 

 

Ontem Bruno Carvalho escreveu:  “Existem centenas de milhares de pessoas que vivem à custa do futebol. “

Uma verdade sem qualquer hipótese de ser apontada e negada. Também ele, Bruno de Carvalho, se insere nesta realidade. É um Presidente a full time, que chegou recentemente ao fenómeno desportivo e que tem ordenado pago pelos sócios!

 

Bruno de Carvalho desde as suas primeiras aparições que tem prometido mundos e fundos, e o que temos atualmente é um mundo de casos e processos, alguns a Sócios, e os mais mediáticos contra os Fundos de Jogadores.

 

Bruno de Carvalho já despediu Jesualdo, deixou abalar Leonardo Jardim, incompatibilizou-se com Marco Silva e apresentou agora Jorge Jesus como o grande salvador, o treinador capaz de construir as bases e organizar todo o futebol do Sporting. Vencemos, e muito bem, a Supertaça, caímos e muito mal na Champions, e na Liga, dois jogos, duas exibições sofríveis, uma vitória e um empate em casa.

 

Bruno de Carvalho tem fama de ser um negociador implacável. Continuamos ansiosos por ver qual será o nosso Sponsor oficial. Aguardamos por saber mais sobre as garantias bancárias da Galp na mão da Ferreira Build que está a construir o Pavilhão João Rocha, aguardamos pela novela Somague, aguardamos pela sentença sobre o caso Doyen. Estamos a falar de muitos milhões de euros.

Bruno de Carvalho gosta das modalidades, e feitas bem as contas, o orçamento para as mesmas subiu quase 50% em comparação com a gestão de Godinho Lopes. Esperamos todos continuar a vencer no Atletismo, no Judo, Ténis de Mesa, no Futsal, Andebol, Natação, entre outras importantes disciplinas da génese do eclético Sporting,

Bruno de Carvalho prometeu Freitas Lobo, Tomás Morais, trouxe Vicente Moura e Carlos Lopes. Destes pouco se vê, destes pouco se ouve, destes poucos resultados se apresentam.

 



Esperamos todos que este ano, o ano de maior investimento das últimas décadas traga muitos e bons resultados.

Pois se continuarmos sem garantir receitas na europa.


Se continuarmos sem garantir valores similares ou superiores ao que recebíamos da PT, anualmente, pela patrocínio.


Se continuarmos a Processar e a voltar a Processar e a perder casos e mais casos em tribunais, com as implicações e os valores que se apresentam.

Se continuarmos a rubricar contratos que ultrapassam os anos de mandato da atual direção, empurrando com a barriga problemas que vão ser evidentes só no futuro.

Se continuarmos a apostar em jogadores na casa dos 30 anos, em fim de ciclo e sem hipóteses de gerar mais valias.

Se continuarmos a emprestar os nossos jovens da formação ou a encosta-los no banco de suplentes.

Se continuarmos a criar um novo projeto todos os anos, acredito que muito em breve, das duas uma: ou surge um populista ainda pior ou vamos viver, e agora sim, e de forma clara, um verdadeiro pesadelo no Sporting.

 

Repito, e faço minhas as palavras do Presidente, “ "o que parece trampa, cheira a trampa e sabe a trampa é trampa de certeza!”

 


Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:27

Afinal, Jesus é humano.

por O 6º Violino, em 27.08.15

jesus-rosto-divino-do-homem-jesus-rosto-humano-de-

Já muito se escreveu, já muito foi dito sobre a "trágica" eliminação do Sporting, aos pés e às mãos do CSKA da Rússia.

Serve este post para relembrar apenas que o actual treinador também é humano, também tem defeitos, também falha.

E falhou rotundamente ontem, ao, mais uma vez, demorar nas substituições.

Já todos tínhamos visto que, apesar do virtuosismo técnico, Brian Ruiz só aguenta 60 minutos. Direi mesmo, que é este o motivo de não ter permanecido em terras de Sua Majestade, onde o futebol é rápido e físico durante 90 minutos.

Acresce o facto de ter alinhado o jogo inteiro frente ao Paços de Ferreira.

Aquilani, apesar de saber os terrenos que pisa, foi demasiado macio, previsível e lento, nada que os anteriores sinais não o indicassem.

Da mesma forma que nenhum de nós idealizava 10 "onzes" diferentes sem Slimani, para o jogo de ontem. Teo marcou o golo (belíssimo pormenor) e pouco mais.

Mané e/ou Gelson deviam ter entrado bem mais cedo, para dar rapidez e posse de bola.

Jesus tinha obviamente de mexer na equipa depois de sofrer o segundo golo. Esperou tanto, que até estava a aguardar pelo hipotético prolongamento, abdicando de ir à procura com insistência do segundo golo, que resolveria a eliminatória.

Factos do jogo de ontem: O Sporting não pode sofrer 3 golos em 45 minutos num jogo importantíssimo para o resto da temporada, quer a nível financeiro, quer a nível desportivo.

O primeiro golo do CSKA nasce de um ressalto no braço de um avançado, logo de análise difícil, e após péssimo corte de Adrien.

No lance do hipotético segundo golo do Sporting, ninguém consegue jurar que a bola não saiu,nem que a mesma saiu. Dúvida que se irá manter, não havendo melhores imagens.

O Sporting deste inicio de temporada tem adormecido sempre que marca um golo. Foi assim em Aveiro, com o Paços, e ontem aconteceu o mesmo. Depois de uma boa primeira parte, em que se faz o mais difícil e se tem o jogo completamente controlado, que raio de bicho teima em morder à equipa, sempre que se apanha em vantagem?

Em Aveiro a sorte sorriu, mesmo com uma substituição aos 85 minutos. Nem sempre os milagres acontecem.

Jesus falhou! E falhou no jogo que não podia falhar.

Falhou porque tem mais matéria prima do que o seu antecessor, e demora uma eternidade a mexer na equipa.

Notas finais: os Sportinguistas que se deixem de pseudo boicotes em relação à Liga Europa. É uma competição para tentar vencer e mais nada!

Não somos um Clube de meninos birrentos, em que, quando o dono da bola decide ir para casa, acaba o jogo.

Somos uma instituição centenária que tem de ser e de se apresentar ainda mais forte nas restantes competições.

Depois de algumas semanitas calado, já era de bom tom que Azevedo de Carvalho nos poupasse às suas garotices facebookianas que só nos envergonham perante os rivais. Ser Presidente do Grande Sporting não é o mesmo que gerir empresas de colocação de soalho flutuante. Haja respeito pela nossa História.

SL

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:59

E agora?

por Trinco, em 27.08.15

Rui+Patricio+Naldo+CSKA+Moscow+v+Sporting+dOBGXtd7

 

Sim, é um facto que o Sporting foi fortemente prejudicado pela arbitragem em ambos os jogos deste Play-Off de acesso à Champions. Em ambos, as equipas de arbitragem tiveram influencia directa, com decisões e omissões demasiado estranhas, cuja justificação de incompetência fica demasiado aquém. E fica aquém porque caíram quase sempre para o mesmo lado, custando algumas muito a entender de tão visivelmente escandalosas que são.

Também é um facto, que no balancete das arbitragens dos últimos jogos do Clube na Europa, temos muito a haver. Como é verdade que estes erros alheios contribuem para as eliminações desportivas e financeiras.

Mas há erros próprios. Por mais que queiramos justificar tudo com 3ºs, há erros próprio. E erros inaceitáveis.

Não foram os árbitros que obrigaram a equipa a jogar apenas meias partes por jogo. Não foram os árbitros que obrigaram a mudar o sistema para um jogo. Não foram os árbitros obrigaram a repetir os mesmíssimos erros em todos os golos do adversário. Não foram os árbitros que obrigaram a inércia de mexer na equipa. Não foram os árbitros que obrigaram alguns jogadores a perderem todo o gás ainda a 1º parte ia a meio. Não foram os árbitros que obrigaram a jogar com 3 médios, sem qualquer alternativa no banco. Não foram os árbitros que formaram o plantel. Não foram os árbitros...

E agora? Agora há que encarar a realidade. Perceber que a aposta estava feita, mas que ela, desportivamente, não se resumia à Champions. Perceber que há que dar e ter condições para que essas apostas, tornadas em objectivos assumidos possam ser alvos de luta efectiva na sua conquista e não apenas uma encenação. Perceber que apesar de menor, poder-se-á jogar muito da nossa relevância desportiva europeia no imediato, na Liga Europa.

Mas também perceber que não é com movimentos de boicote, assobios aos hinos, e outras acções e manifestações inúteis que se muda o que quer que seja. Como não é com declarações de um qualquer poder conquistado na UEFA e na FIFA em virtude de uma reunião que o mesmo poder se torna real. E perceber acima de tudo que não é nagativizando recorrentemente o próprio negócio que sa faz com que ele cresça e gere mais riqueza.

Da nossa parte, da parte dos adeptos, era responsável evitarmos as bipolaridades e percebermos que nem tínhamos tanto como fanfarronamente queríamos fazer crer a toda a gente, nem temos tão pouco como depressivamente agora queremos acreditar.

Muito do futuro desta época se jogará nos próximos dias. Muito da grandeza e estatuto do Clube se decidirá agora!

P.S. Wishfull thinking irracional que de vez em quando também tenho direito: Tenho ideia que as épocas de Jorge Jesus que começam mal, costumam acabar bem!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:39

O Canto da Sereia

por Lizardo, em 25.08.15

frase-as-sereias-porem-possuem-uma-arma-ainda-mais

 

 

Acabou a segunda jornada e estamos à porta do mais decisivo jogo da época com o CSKA.


Internamente tudo na mesma, e tudo na mesma sempre pelo diapasão do miserabilismo habitual.

Mau futebol, más emissões televisas, maus comentadores, maus dirigentes e maus empregados.

A juntar a tudo isto temos as redes sociais que continuam na ordem do dia pelas piores razões.

Não podemos defender a verdade desportiva e a profissionalização do dirigismo só por conveniência. As últimas novelas envolvendo o Presidente do Sporting, um empregado do Benfica e o Vítor Pereira, são um negro episódio, mais um, no vergonhoso mundo que é o futebol português.

Alimentar este clima é continuar a destruir o nosso futebol.

Ao Presidente do Sporting pede-se, uma vez mais, que compreenda a grandeza do cargo que ocupa. Que compreenda os valores da instituição que preside, que tenha a decência, a ética e a moral de ser uma referência pelos bons motivos e não uma criatura birrenta e mais um fraco imitador de Pinto da Costa.

Curiosamente, Pinto da Costa, o mais atacado dirigente do futebol nacional, é o dirigente mais copiado das últimas décadas.

A qualquer dirigente não basta parecer, é necessário ser, e Pinto da Costa só há um. Os outros, os que o imitam, têm de forma recorrente caído no ridículo. E estes episódios, os do presente, vão originar novamente esse desfecho. Está na cara!

Pela primeira vez na história do Sporting existe um treinador que corre o risco de ser Ele a despedir o Presidente se a bola continuar a não entrar.

Cabe a Jesus continuar a incentivar e a potenciar jogadores. Cabe ao Presidente trabalhar, não lhe peço 24 horas por dia, mas que consiga fazer bem, muito bem, durante 8 horas o que faz mal em 24. Jesus tem o poder, tem o apoio, representa na sua imagem a esperança que Bruno Carvalho não conseguiu apresentar e oferecer como prometido aos Sócios. E já vamos para a terceira época, três treinadores, dezenas de jogadores, vários milhões investidos, pouco retorno garantido, dois títulos, uma Taça de Portugal e uma Supertaça.

 

Em suma, estas guerras de alecrim e manjerona só alimentam o Futebol Clube do Porto. Que uma vez mais é nosso “parceiro”. Quando começar a vencer, como é hábito, nós vamos começar a atacar o FC Porto, como tem sido apanágio, e vamos juntar-nos ao Benfica. E assim vamos continuando, de guerra em guerra a acabar campeonatos na segunda ou terceira posição. Tudo com a conivência de José Maria Ricciardi e Álvaro Sobrinho. Exatamente os mesmos e o mesmo que se passou na última década.

Para ir à guerra é necessário sapiência. Tenho dúvidas que atualmente, no Sporting exista quem tenha poder para se movimentar nos meandros do futebol.

Continuar a atacar Vítor Pereira só vai trazer um resultado, ter um qualquer João Capela a arbitrar um jogo decisivo, onde vamos chorar novamente porque a bola não entrou e fomos encostados com mais uma arbitragem “limpinha”.

Não se pede ao Presidente do Sporting que invente a roda novamente. Basta olhar em seu redor, perceber quando falar é atingir um alvo e perceber, que atualmente, o silêncio vale mais que um soundbyte mal dado. Palavras, leva-as o vento!

 



 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:17

Preocupações

por Trinco, em 23.08.15

790.gif

 

Numa noite em que todas as queixas convergem contra um árbitro, espalhando-se por contaminação contra a arbitragem em geral e contra o seu órgão responsável em particular, confesso que tenho outras preocupações que se sobrepõem a essa componente.

Aceito que a arbitragem seja no geral péssima. Num aparte, parece-me até que é transversalmente má neste rectangulozinho, ao nível das várias modalidades. Ontem terá sido! Mas não foi por ela que dois pontos voaram. Não foi por causa do penalti. Nem do marcado nem do por marcar. A culpa foi integralmente nossa! E não fosse um mal-amado, a coisa poderia ser bem mais penalizadora.

Sobre a arbitragem, decorrente dos acontecimentos de ontem, preocupa-me o que aconteceu depois. Prefiro não fazer juízos de valores. Quantas vezes no calor do momento, com as emoções a toldarem o raciocínio e a capacidade de discernir e avaliar a realidade dos factos, se fizeram coisa de impulso? Preocupa-me constatar que andamos, anda o futebol português em gelo muito fino. Preocupa-me perceber que regredimos às maneiras dos anos 80, mesmo com rotação dos actores. Preocupa-me perceber que o futebol está doente e ninguém verdadeiramente quer fazer nada, preferindo olhar para o lado e insistir na faena!

Mas preocupa-me também aquilo que dependerá estritamente de nós.

Preocupa-me perceber quem poderá sair até dia 31. Preocupa-me que um deles possa ser o Rui. Preocupa-me terem-se comprado 3 centrais, já se ter despachado um, outro ter uma lesão de recuperação longa e o "patrão" ser um Naldo (que até me tem surpreendido pela positiva na comparação com a expectativa que tinha). Preocupa-me constatar a inadaptação dos laterais ao sistema de jogo, pelo menos de forma consistente. Preocupa-me perceber que Pereira continua um risco à solta e, pior que isso, que não tenha alternativa. Preocupa-me perceber que Jefferson, além de ter uma alternativa na qual tenho muitas dúvidas, comece já a ter dificuldades físicas.

Preocupa-me que o meio-campo ainda não tenha a intensidade que o sistema necessita, pelo menos não de forma consistente. Preocupa-me perceber que Aquilani, por mais visão que tenha, joga pouco mais que a passo. Preocupa-me perceber o que isso implica na dinâmica do meio-campo e no desempenho do seu outro elemento. Preocupa-me perceber se o William fica. Preocupa-me saber, ficando ou não, como um miúdo de 19 anos, vindo de um futebol diferente e menos intenso se adaptará.

Preocupa-me só ter verdadeiramente um ala. Preocupa-me a possibilidade de o mesmo, Carrillo, não renovando seja encostado. Preocupa-me que Ruiz só emperre o jogo de tão lento que decide. Preocupa-me que não se dê tempo e espaço de crescimento ao Gelson sem a pressão resultadista. Preocupa-me que o Mané cada vez mais se torne um Djaló. Preocupa-me que tenhamos não um mas dois avançados que se escondem permanentemente do jogo. Preocupa-me que o Slimani seja o único ponta de lança...

E preocupa-me perceber a expectativa criada...

Tenho esperança e confiança que o contexto equipa faça crescer a maior parte das suas partes e que parte destas preocupações decorram de deficiências físicas e tácticas ainda expectáveis nesta fase da época.

Mas tenho também a percepção clara que somos nós que temos que melhorar e muito. Só depois nos poderemos queixar de 3ºs.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 09:16

Tudo na vida muda, até uma surda, muda!

por Lizardo, em 20.08.15

frase-muitas-vezes-tenho-uma-opiniao-quando-estou-



Os Presidentes

O Roquette vai salvar o Sporting
O Roquette vai destruir o Sporting
O Dias da Cunha foi o melhor desde João Rocha
O Dias da Cunha é como o Roquette
O Soares Franco, finalmente um bom gestor
O Soares Franco não percebe nada de gestão desportiva
O Bettencourt, este sim é bom gestor
O Bettencourt, o Pongolle e mais quem?
O Godinho, agora sim, um gajo ponderado
O Godinho é um cona de sabão
O Bruno, agora sim, agora até tremem
O Bruno? Fala demais, é um amador

Os Jogadores

O Quaresma é um fenómeno
O Quaresma é bom é no Carcavelinhos
O Ronaldo é um fenómeno
O Ronaldo, comigo a treinador, era emprestado e tinha que aprender a passar a bola
O Hugo Viana vai ser o futuro médio da Seleção
O Hugo Viana é um cona de sabão
O Carriço é bom central
O Carriço é uma merda
O Nani é um fenómeno
O Nani que vá para a terra dele
O André Santos tem futuro
O André Santos não pode com uma gata pelo rabo
O Illori é o futuro
O illori não tem futuro
O Dier vai dar que falar
O Dier não engana ninguém
O Bruma é o novo Nani
O Bruma é outro Nani
O Patrício é o novo Damas
O Franguício não vale nada
O Cédric é o melhor lateral dos últimos anos
O Cédric, preferia o João Pereira
O Carrillo é um fenómeno
O Carrillo nem o posso ver

Os Treinadores

Inácio, o Deus
Inácio um incapaz
Boloni o Mestre
Boloni o teórico
Fernando Santos o engenheiro
Fernando Santos o trolha
Peseiro o novo Mourinho
Peseiro o burro
Paulo Bento o novo Sir Alex
Paulo cabeça de Vento
Paulo Sérgio sempre foi uma merda
Domingos sempre foi uma merda
Sá Pinto agora é que é
Sá Pinto rua com estes merdas de sangue azul
Leonardo Jardim gosto muito
Leonardo Jardim não teve tomates não vou ter saudades
Marco Silva, porreiro grande margem de crescimento gosto do miúdo
Marco Silva miserável, agendas, não veste o fato
Jorge Jesus no benfica monte de merda
Jorge não é só Jesus, é Deus

 

Em suma, para quê perder tempo com quem discute mediante a mudança de maré?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:59

Realidade paralela

por Trinco, em 19.08.15

Sem-título13.jpg

 

Num dia tão importante para o Sporting Clube de Portugal, com a sua equipa a disputar a entrada na fase de grupos da Liga dos Campeões, o Presidente do Clube, seu representante máximo, ao invés de dar o devido ênfase a este importante acontecimento, preferiu responder a um subalterno, dando destaque a um acto miserável e desnorteado de um clube onde os próprios sócios estão "demissionários".

Tudo parece valer nesta guerra do faz de conta. Aí todos gostamos de passar por verdadeiros campeões.

Mas dentro de campo é que a coisa se ganha ou perde, e neste capítulo, o contendor da "verborreia diária” sucumbiu.

A Supertaça foi perdida, e bem perdida, para o Sporting Clube de Portugal.

Fomos superiores em tudo e o primeiro título da época veio para Alvalade.

Seria bom que definitivamente todas as pessoas percebessem que ninguém, nem de dentro deveria desestabilizar o Sporting Clube de Portugal, que , nem de dentro deveria desestabilizar os profissionais que trabalham no Sporting Clube de Portugal e que ninguém, nem de dentro, deveria retira o Sporting Clube de Portugal do rumo histórico que lhe está destinado desta data de fundação!

Qualquer semelhança com a realidade é, no texto acima, pura coincidência!.

E com isto, uma vitória que por mais escassa que seja foi bravamente conquistada e nos abre perspectivas de aceder à prova maior, permitindo-nos muito provavelmente atacar a temporada e o que falta de mercado de maneira diferente e colocando-nos bem mais perto de ter condições efectivas para lutar pelo objectivo máximo, é secundarizada

E não se trata de assistência de razão, ou defesa de honra. Trata-se conduta e princípios de organização. Um presidente não responde a um director de comunicação! Ponto! Há lá um Carneiro para isso! E se se considera que a defesa do Treinador tem que ser feita de maneira mais abrangente, ele deveria ser feita, pela SAD de maneira inquestionável. Assim, só se acrescenta ruído, por mais que haja quem goste do foguetório e ache que assim se ganha alguma coisa! Estava tão bem calado!

A bola é que conta!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:14

Medir o Sportinguismo

por Lizardo, em 18.08.15

Sporting - Portugal.jpg

 

Nos últimos anos temos assistido nos mais diversos meios e espaços um confronto, por vezes pouco saudável, entre Sportinguistas no que toca à medição de Sportinguismo.

Uns defendem-se com os anos de Sócio e o número de Gamebox´s renovadas, outros porque lutaram para acabar com a dinastia Roquettista, outros ainda porque criticam tudo o que mexe e respira, apoiando-se em saudosismos de outros tempos e de outros ares que se respiravam em Portugal.

Hoje o Sporting vai jogar o seu jogo mais importante da época. Não tenham qualquer dúvida sobre isso. Se o Sporting se apurar para a Champions vamos ter garantidamente um melhor plantel e níveis de motivação mais elevados para encarar todas as competições em disputa.

Se correr mal, se cairmos na Liga Europa, vamos vender jogadores, como já afirmou o Presidente, vamos cair animicamente, vamos ter um plantel mais fraco.

Posto isto, e voltando à medição de Sportinguismo, basta ao Sócio ou ao Adepto comum sair de casa, ir ao Estádio e apoiar a equipa.

Temos um dos melhores Estádios da Europa, com uma lotação de 50.000 lugares e merecemos ter casa cheia. De nada vale andar a defender direções ou estratégias se depois não saímos do conforto do sofá ou não tiramos a barriga do balcão no café do bairro.

Hoje é o dia de medir o Sportinguismo. Muitos falam, muitos apontam, muitos medem até o sexo, mas quando somos chamados a participar não podemos medir as alternativas do dia.

 

Hoje não dá, joga o Sporting!

Em suma, só eu sei porque não fico em casa, casa cheia, é o que se pede. Seria interessante ter mais assistência hoje no nosso Estádio, num importante jogo das competições europeias, que os nossos rivais tiveram nos seus campos na jornada inaugural da Primeira Liga.

 

É aqui que se mede a grandeza e a militância Sportinguista.

Como nos casamentos, venham hoje, ou calem-se para sempre e desapareçam das redes sociais.

Mais ação e menos ruído soldadinhos!!!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:22

Crise...

por Trinco, em 18.08.15

20131015153935_24hpoker-champions.jpg

 

Propõe-se o Clube, vender o bilhete mais barato para sócio, para o jogo com o Paços de Ferreira a 15€.

15€ são, no meu caso, meio dia de trabalho. Levando a familia, seriam 2 dias de trabalho.

São 12.5L de gasóleo, são 200km de autonomia, para quem faz 50km diários. São pelo menos duas refeições. São meio livro de escola. São meia factura de luz ou água. São, no contexto sócio-económico do país, uma verba considerável.

Poderão dizer que com a Gamebox, cada jogo fica a 7€ ou 8€. Sim, mas a Gamebox corresponde a 15% dum mês de ordenado, e as contas acima teriam que voltar a ser feitas.

Poderão dizer que é o 1º jogo e que estamos em Agosto, época de forte presença da emigração. Mas eles não estarão cá num jogo da Taça da Liga, a uma qualquer terça-feira às 20.00 de um dia chuvoso de fevereiro. Aliás, ainda no ano passado, uma parte do Universo Sportinguista se ergueu contra o provedor do adepto da LPFP, pelos mesmos exactos motivos, mas na condição de visitante, criticando essa mesma justificação por se considerar, e bem, que ela não protegia os interesses daqueles por quem deveria zelar.

Poderão dizer que o investimento feito pela SAD foi grande e isso tem que se reflectir nos custos. Mas não se reflecte nos meus ganhos, nem nos ganhos da maior parte dos Sportinguistas. Percebo que os capitais próprios da SAD, declarados como sendo a fonte usada para estes investimentos, terão que ser criados e/ou repostos, mas não acredito que o proveito presumível, assente nesta politica de preços, seja a melhor maneira de o conseguir. Mesmo sabendo que, provavelmente, o jogo no sábado terá uma boa casa, a médio prazo, não acredito que seja sustentável.

Esta politica de preços, não é obviamente, problema exclusivo do Clube. Todo o futebol nacional vive alienado e acima da realidade do país. Seja na politica de preços de bilhetes, seja na politica de custos com planteis. E vive assim, ignorando, que mata o seu próprio negócio e se mata a si mesmo. A Liga, impõe tectos máximos no preço dos bilhetes consoante a competição e a categoria do estádio (75€ no nosso caso para a Liga NOS), mas esquece-se de impor a existência de bilhetes a preços mínimos. Num país com taxa de desemprego de 12%, salário mínimo de 550€, carga fiscal de 35% e uma cada vez mais empobrecida classe média

O futebol vive das pessoas. O futebol não pode ser considerado um produto de luxo. O futebol não pode ser apenas para aqueles com uma capacidade financeira acima da média, sob pena de os problemas de desertificação se agravarem. É que meio estádio a 15€ (e sei que não é disso que se tratará neste jogo) é ainda assim menos que um estádio cheio a 8€. E quando a procura fica tão aquém da oferta...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:45

Onde andam os donos do Sporting?

por Lizardo, em 11.08.15

Pop_Countdown_GAMEBOX.jpg

Saiu hoje a notícia, que é uma má notícia, mas oferecida ao leitor como uma grande vitória.

“Estamos perto das 21 mil Gamebox vendidas.”

Um número assustador e que nos leva a pensar, com toda a credibilidade, quantos sócios pagantes existem atualmente?

Um número que desde a inauguração do Estádio tem vindo a descer de forma assustadora.

Porque não consegue o Sporting cativar os seus associados?

O que aconteceu de tão diferente nos dias de hoje que tenha retirado quase 20.000 adeptos do Estádio?

No velhinho Alvalade, a lutar pelo quarto lugar, metíamos 40.000 a jogar contra o Famalicão às 20h de uma noite de domingo, no inverno, num Estádio antigo e sem cobertura, com o jogo a ser transmitido em canal aberto, ao vivo e a cores para todo o continente e ilhas!!!!

São vários os fatores que levaram a esta quebra monumental de assistência.

A organização da Liga, em primeiro lugar é miserável. Tem pouco glamour e não valoriza como deveria valorizar a competição.

Os canais Pay Per View, a BTV e a Sporttv vieram também retirar adeptos aos estádios, pois o exercício financeiro de pagar 30 euros por mês não se pode somar ao custo de comprar sistematicamente um bilhete e ainda pagar a quota mensal. E não vou entrar na problemática familiar, pois aqui o problema multiplica-se por três ou quatro.

E depois os Clubes não sabem gerir a paixão dos seus sócios e adeptos.

Falemos do nosso Sporting. Pois é o único Clube que nos interessa.

Já uma vez aqui escrevi “Quanto custa ser do Sporting?”

Quem compra uma Gamebox e paga quotas, junta o valor do combustível, portagens, ou bilhetes de transportes, alimentação e outras loucuras, e rapidamente chegamos aos 1000 euros por época. Não é uma conta difícil de chegar.

Posto isto, numa fase onde o futebol português está, muito provavelmente a viver os piores anos da sua história, recheado de casos de corrupção, tráfico de influências, amadorismo em toda a escala dirigente, más arbitragens, com artistas da bola de qualidades muito duvidosas, como podem os Clubes contrariar este cenário?

Têm que retribuir!


Todos estes episódios têm afastado adeptos do Estádio.

O Sporting está a perder uma importante e fundamental faixa etária do seu público, e essa deveria ser a grande questão a merecer uma solução. Não temos uma média muito superior aos 30.000 por jogo em Alvalade, onde a maioria dos adeptos são jovens ou adultos até aos 35/40 anos.

O Sporting atualmente não oferece nada aos seus Associados. Não retribui.

As vantagens para comprar um novo equipamento são tostões.
As vantagens para comprar o que seja na Loja Verde praticamente não existem ou são valores insignificantes.
O merchandising existente é de pouca qualidade e a preços proibitivos.
O Jornal Sporting deveria andar na mão de todos os sócios. Talvez nem 2.000 exemplares consigam vender atualmente.
O Site não oferece serviços praticamente nenhuns. Aguardamos pelo novo, impacientes!
O Sporting não tem uma Aplicação Digital capaz e diferenciadora que ofereça segurança e garantias aos utilizadores.
O Canal Sporting, que bem sabemos é um projeto dispendioso, comemora agora um ano de vida, mas é um Canal sem qualidade e que poderia ser gerido de uma forma muito mais profissional. Pois o que existe atualmente não se coaduna com a grandeza e com a história do Sporting.

O país mudou e continua em mudança. Os sócios são cada vez mais racionais, procuram conforto, querem ter mais envolvimento com o Clube, querem-se sentir com mais utilidade e participar no dia-a-dia do Sporting. Nada disso existe.

Hoje já não basta pedir. É preciso retribuir! E o Sporting tem obrigatoriamente que retribuir aos seus Sócios. Não basta gritar com a mão no peito “É nosso!”, é preciso cativar e oferecer. E desde Sousa Cintra, que estamos a perder adeptos nas bancadas. Desde o Queijo Castelões que andamos a pensar se vale a pena gastar 80 euros numa camisola ou se compro um cachecol por 10 ou 20 euros que rapidamente vou encontrar igual no Clube rival mas com as suas cores.

Se o Sporting quer realmente ser tão grande como os maiores da Europa, não precisa inventar a roda, basta abrir os olhos para a realidade.

O tempo de pedir, comer e calar, acabou!

O Sporting é das Marcas com mais potencial em Portugal mais mal trabalhada, há décadas que vai sobrevivendo à conta da irracionalidade e do pouco trabalho. O Amadorismo!

A Marca Sporting trabalhada e assente numa estratégia a longo prazo seria, sem dúvidas, uma grande e importante fonte de receitas.

O que temos hoje é só e somente só um sinal, mais um, de amadorismo. E quando acordamos de manhã e começamos a assistir às principais ligas europeias, a vontade de viver a realidade portuguesa é muito pouca. É um downgrade em toda a escala, qualidade de jogo, qualidade de instalações, qualidade, qualidade, qualidade….

Haja Coragem, nem que seja para assumir o desnorte!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30

Pág. 1/2



Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D