Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O que faz falta...

por Trinco, em 26.04.17

falta-de-consideracao.html.jpg

O que faz falta é coerência, o que faz falta é responsabilidade, o que faz falta é respeito, o que faz falta é bom senso, o que faz falta é consciência, integridade e noção.

 

O que faz falta é perceber que este caminho não é sustentável e que levará inevitavelmente à ruína daquilo que (n)os alimenta.

 

O que faz falta é entendimento que um clima de guerra conduz a um clima de terror que leva a um afastamento que leva à falência das estruturas e modelos.

 

O que faz falta é alcançar que os limites já foram ultrapassados.

 

O que faz falta é fazer coincidir o que de vez em quando, quando estrategicamente é vantajoso, se afirma, com a acção que se pratica.

 

O que faz falta é perceber o que somos e não promover a constante descaracterização.

 

O que faz falta é falar verdade e não vaguear constantemente em narrativas e cenários de propaganda comunicacional, sem conteúdo ou interesse que apenas formam uma barreira de ruído.

 

O que faz falta é olhar para dentro e ser exigente e rigoroso.

 

O que faz falta é ser escrupuloso, honesto, honrado e compreender que não vale tudo.

 

O que faz falta constatar o que é o ser Sporting e agir de acordo.

 

O que faz falta é fazer e acrescentar.

 

Infelizmente, para demasiados, o que faz falta é "animar" a malta e "agitar" a malta para a manter entretida e para que esta não veja o que realmente está a acontecer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:52

2 anos

por Trinco, em 24.04.17

Imagem 021.png

 

N'O começo, há dois anos, o 6º Violino escrevia:

 

A 24 de Abril de 2015, nasce o "Dia do Clube", cantinho que queremos que seja vosso, também.

Aqui debateremos o dia-a-dia do Nosso querido Clube, sem complexos, sem agendas, apenas com o objectivo de tornar um Clube cada vez maior. Porque queremos um debate tão abrangente quanto possível, tentaremos não nos focalizar apenas no futebol, tratando as Modalidades e a gestão de Clube e SAD da mesma forma.

Não estaremos ao serviço de ninguém, nem de quem lidera o Clube, nem de quem, eventualmente, o queira liderar. Sempre com opinião, nunca como caixa de ressonância de ninguém.

"Queremos um Clube tão grande como os maiores da Europa"

 

Retrospectivamente, cumprimos o que nos propusemos. Retrospectivamente, volto ao que escrevi, o que escrevemos, e verifico, dispensando falsas modéstias, a pertinência e precisão do que fomos publicando, a maior parte das vezes fortemente sustentado em factos.

 

Assim continuaremos, com maior ou menor assiduidade, dependendo das disponibilidades pessoais de cada um e, no meu caso da motivação para tratar e abordar o que vão fazendo do Clube. Algo que neste momento, confesso, me custa fazer dada a torrente descaracterizadora que o inunda e o ambiente criado e constantemente exponenciado, quer no Clube, quer no contexto desportivo, onde vejo aqueles que deveriam ter mais postura e reserva a contribuírem de maneira perfeitamente irresponsável para um rumo de violência e morte do qual dificilmente sairá algo de positivo para quem quer que seja.

 

Estão a matar, mais que o futebol, o desporto. E depois disso, os Clubes deixarão de fazer sentido.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:35

O estrume e o escaravelho.

por Lizardo, em 21.04.17

725119.jpg

 

 

Estamos a poucas horas de começar o jogo maior de todos os jogos em Portugal. Um Sporting vs Benfica é o maior e mais apetecido encontro do nosso campeonato, independentemente da classificação e dos objetivos que estejam ainda em luta entre estes dois monstros do nosso futebol nacional.

 

Os últimos tempos não têm sido favoráveis no que toca à saúde do fenómeno desportivo em Portugal. Os dirigentes e os comentadores desportivos, que nos últimos tempos se auto-intitularam estrelas maiores do futebol, minam e envergonham quem defende os valores do desporto.



Os últimos temas são disso exemplo, de e-mails a pedidos de bilhetes, a cânticos brejeiros até à ruína intelectual de Dolbeth, Braz, Pina e Guerra, entre tantos outros, não consigo desenhar na minha opinião, pior cenário e tão raso e boçal estado de coisas como a atualidade.



A esta gente deve-se oferecer o devido desprezo. Vivem frustrações profissionais, procuram os “quinhentinhos” que lhes metem comida na mesa e espaço mediático para continuarem a lograr ambicionar um lugar ao sol quando se pavoneiam pelas ruas do nosso país. São uns tristes, pobres desgraçados, uma vergonha diária que se dissemina pelos telejornais e pelas redes sociais.



Mas estes pobres lambe prepúcios não são mais que o eco de quem os alimenta. Os Clubes e as suas equipas de comunicação são a ração desta raça que vai impondo e evangelizando uma opinião.



Não podemos andar a defender a verdade desportiva e a fazer dessa causa uma grande bandeira, quando no silêncio da noite e no recato de um jantar, se juntam todos à mesa a receber os briefings e os temas que devem e como devem ser comentados. Todos o fazem, se assim não fosse, que necessidade teriam os Clubes em pagar a Diretores de Comunicação e a cada vez maiores equipas desta disciplina?



Em suma, não é portanto surpresa que o futebol português esteja a definhar e a viver uma das mais miserabilistas épocas da sua história. Numa época em que fomos Campeões da Europa, aposta-se cada vez menos no jogador português, a formação é cada vez mais um embuste para boi marrar e lançar areia para os olhos, e claro, os órgão de comunicação social não vendem, pois não há notícias, não há novidade, há sim estratégias e agendas concertadas e bem afinadas que sustentam e proporcionam que estas casas não fechem portas e desapareçam das bancas.



Sábado é importante esquecer tudo isto, é importante olhar para o relvado e ver os nossos Campeões da Europa jogar e honrar a nossa camisola, assistir à capacidade goleadora de Bas Dost, ver um adversário ao nosso nível e uma arbitragem das melhores. E depois de tudo isto, que ganhe o Sporting. Assim, com tanto equilíbrio, dignidade, caráter, verdade, é assim que se saboreiam as grandes vitórias, onde os atletas e o publico devem ser os principais intervenientes.

Depois do jogo veremos se assim poderá ter sido ou como será. Mas adivinha-se mais do mesmo, discursos inflamados, ataques, o “eu qualquer dia digo”, e claro, o baixo nível a que estamos já habituados e que é já definição de “português” por este mundo fora.

Cada vez mais afastado deste futebol. E cada vez mais gente se irá afastar. Os culpados estão à vista de todos. Continuar a alimentar esta espécie e continuar a alimentar um vírus que está a consumir o nosso grande amor, o Sporting e o Futebol Português. 

Todo este clima é a "porcaria" que muito escaravelho junta para se alimentar. Queremos continuar a alimentar esta porcaria?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:59

Em bicos de pés

por Trinco, em 11.04.17

protocolo_trafic_4_0.jpg

 

Soube-se ontem que o Tribunal Arbitral do Desporto (TAS) confirmou a interdição da propriedade por parte de terceiros (TPO ou Third Part Ownership) dos passes dos futebolistas decretada pela FIFA, no âmbito do litígio entre esta e o clube belga RFC Seraing.

 

Acto continuo, Azevedo de Carvalho assume a decisão como uma vitória, mais que do Clube, sua, pessoal, mais uma vez ajudado pelos "malandros" da Comunicação Social que propositadamente tentam correlacionar o caso com o diferendo Sporting/Doyen.

 

Acontece que o caso, pouco ou nada tem a ver com o caso Doyen.

 

Na verdade, o que esta decisão confirma é a sanção ao clube belga imposto pela FIFA em Setembro de 2015 pelo incumprimento da regra que interdita o TPO, aprovada e entrada em vigor a 1 de Maio de 2015. Nesta deliberação de Maio a FIFA estabelece que "A interdição entrará em vigor a 01 de maio de 2015", sendo que "os acordos já existentes devem ser mantidos até à sua expiração contratual" e que "os novos acordos assinados entre 01 de Janeiro e 30 de Abril de 2015" estarão limitados à duração máxima de um ano.

 

Ou seja o caso com a Doyen, não só não está coberto por esta norma, como também não tem absolutamente nada a ver com a guerra contra os fundos mas apenas e só com o incumprimento e quebra de contratos e obrigações estabelecidas pelos mesmos. E nesse caso, já foi proferida sentença, da qual não há recurso, na qual fomos condenados a pagar além das custas do processo, o valor em falta acrescido de juros, tendo por isso a UEFA cativado as nossas receitas das participações nas suas provas. Acontece também que a conta continua a avolumar-se por ainda não ter sido dada a ordem de liquidação da divida.

 

Obviamente, que todos concordaremos que, da maneira que estavam a acontecer, os TPO eram um cancro para o futebol, muitas vezes desvirtuando a verdade desportiva. E nunca foi por defender isso que Azevedo de Carvalho foi criticado. Mesmo que inflado de uma importância que nunca teve e assumindo o transporte vanguardista de uma bandeira que nunca foi sua (a FIFA já discutia o TPO há anos), nunca foi a critica ao modelo dos TPO que provocou as reacções de desaprovação ao que se fez no das Doyen. Foi sempre a quebra das responsabilidades e obrigações societárias do Clube. Inverter isto, é apenas mais uma das pós-verdades que foram repetidas à exaustão pela tropa.

 

Mas, ainda assim, convém perceber a fragilidade dos princípios de Azevedo de Carvalho que em Dezembro de 2016 assina protocolo com a Traffic (de que a foto acima é prova), empresa que esteve no centro do escândalo de corrupção da FIFA, investigada, e em alguns casos já sentenciada, sobre fraude, lavagem de dinheiro e corrupção nos últimos 24 anos e que tinha na sua estratégia fundamental de negócio o TPO, sendo percussora também nos novos esquemas para contornar esta proibição e que passam pela posse ou controle de Clubes e/ou SAD's, desenvolvendo aí o mesmo tipo de negócios em rodízio (semelhante ao que acontece neste momento com Bruno Paulista que ninguém percebe a quem efectivamente pertence)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:47

Se vai mudar? Tenho as minhas dúvidas!.

por Lizardo, em 05.04.17

AAEAAQAAAAAAAAVjAAAAJDVmMTEyODU2LTJjYTYtNDkyYy05NG

 

 

Dado os resultados das últimas eleições, achei por bem e por respeito democrático não dar voz a este espaço até hoje. O plateia leonina demonstrou nas ultimas eleições uma força e uma vitalidade que não é de todo novidade, sempre assim foi, e sempre assim será. Somos grandes, somos um Clube que sempre se conseguiu impor e afirmar grandeza nos momentos mais complicados.

 

Os Sócios decidiram oferecer a Azevedo de Carvalho mais quatro anos. Um novo mandato, um voto de confiança, na minha leitura, na luta contra os poderes instalados e para tentar mudar a realidade do futebol nacional.



Entre muitos amigos que votaram na Lista A, muitos não se revêm na imagem do Presidente, consideravam Pedro Madeira um “curioso” e esperam que, com a experiência do cargo do atual, existisse mudanças.



Recentemente num encontro de grandes leões, na sua maioria votantes de Azevedo de Carvalho, o descontentamento já está de novo presente.


Ou seja, este voto de confiança não foi usado para ganhar força e outros caminhos de ação e atuação, mas sim para afirmar de forma cada vez mais envergonhada uma estratégia de comunicação e de ruído no universo do futebol.



Estes sete processos levantados contra o Benfica são de um lirismo completo. Como foi a entrevista de Bruno Azevedo de Carvalho à TVI. Estrategicamente pensada, sai para a opinião publica o nome Sporting numa fase onde somente Porto e Benfica lutam por títulos, tentando demonstrar uma falsa vitalidade do nosso Clube.

 

Estes primeiros tempos do segundo mandato não revelam qualquer mudança de paradigma. Os erros dos últimos anos que nos tornaram altamente despesitas, com orçamentos faraónicos e sem títulos, parece ser o caminho a seguir. E claro, a comunicação, que de dia para dia bate recordes de estupidez, reduzindo um Clube centenário a discussões com figuras mediáticas das revistas cor-de-rosa.

 

É realmente triste continuar a constatar a evidência, é triste assistir a um aumentar da ferida, é demasiado doloroso assistir ao debate Sporting e ao debate Futebol Português com os nossos comentadores nos mais diversos órgãos de comunicação social de Portugal.

A próxima época será decisiva. Não só para Bruno como para Jorge Jesus. Agora é tempo de lua de mel, tudo está bem, num cenário de guerra de completa destruição, onde vamos vencer zero títulos no futebol, e outros tantos nas modalidades ditas amadoras, onde somente temos esperança e muita no Futsal.

 

De Futsal, com o regresso de Cardinal e do grande Diva cada vez mais certo, a próxima época indica que será um novo “all in” em todas as modalidades. No Andebol espera-se a confirmação de um novo Treinador e no Hóquei, bem, aqui, é lutar com todas as forças para que a modalidade não perca cada vez mais representação no espectro europeu, tão pobre e com tão poucos adeptos como agora.

 

Que acabe rápido esta época, tão pobre, tão vazia, tão desprestigiante em tantos campos, conferências de imprensa, comentários, processos, eliminações precoces e perseguições. Que este novo elenco diretivo, e com o regresso de tantos ilustres ao Conselho Leonino, algo mude, e que mude no sentido de ter um novo posicionamento, um tom diferente, uma estratégia a longo prazo e a capacidade de resolver o presente.


Se vai mudar? Tenho as minhas dúvidas!.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:02

Em 30 dias

por Trinco, em 04.04.17

desafio-30-dias.jpg

 

O presidente anuncia o começo de uma nova era, afirmando que "quem fizer mal, é meu inimigo e darei a vida pelo Sporting se for preciso", mandando literalmente bardamerda todos os que não fossem do Sporting, "que os rivais estremeçam porque o Sporting está aqui para liderar" e que "temos de ser campeões em todas a modalidades e, neste mandato, mais do que uma vez".

 

O director de comunicação sai em defesa do presidente por causa do bardamerda.

 

O presidente fala de virgens ofendidas que gostam de descontextualizar.

 

O treinador continua a falar, dois anos depois, que "estamos a criar estrutura e equipa fortes para fazer face aos rivais" e que "não fomos campeões por falta de estrutura".

 

José Eduardo, acabado de ser eleito conselheiro leonino nas listas do presidente, é condenado por difamação a um elemento da estrutura do futebol do Clube, sem que este tome qualquer posição que seja.

 

O Tribunal Judicial de Lisboa rejeitou o recurso do Sporting, que exigia ao Benfica a devolução da indemnização paga pelos leões pelo incêndio causado no Estádio da Luz.

 

O primo João sai da B e a B começa a ganhar.

 

O treinador afirma Bruno Paixão como "um dos bons árbitros portugueses".

 

Depois do director, é dispensado o treinador de hóquei, aposta forte desta época. O Sporting é goleado no Dragão Caixa.

 

Paulista, sem que se perceba de quem efectivamente é, num dos mais estranhos e obscuros processos, regressa a Alcochete, falhado que foi o empréstimo.

 

Spalvis idem, mas por problemas físicos.

 

Carlos Vieira reforça que "contamos ser campeões noutras modalidades. No futebol temos de preparar a próxima temporada e ver o que se pode fazer de interessante este ano".

 

Na tomada de posse o presidente coloca a fasquia da "conquista de dois títulos nacionais neste mandato.", onde deu a entender que se recandidatará em 4 anos ao abordar a recompra das VMOCs.

 

Marta Soares fala do Sporting como "alvo de inveja".

 

Azevedo de Carvalho, afirma, em aparente contradição com Vieira que "já estamos a preparar em força a próxima época".

 

Tribunal Arbitral do Desporto não dá razão ao Sporting no caso dos vouchers dando provimento ao arquivamento do processo.

 

No seguimento de uma participação sobre o "bardamerda", Azevedo de Carvalho proclama o Benfica como "campeão nacional das queixinhas". O treinador diz que o presidente "esteve à altura dos queixinhas".

 

Acompanhado da noiva, Azevedo de Carvalho inaugura academia na Costa Rica, afirmando que "desde que cheguei à Costa Rica já ganhei dois pontos aos rivais, se fico cá três semanas...ainda temos outra classificação". Aparece em fotos românticas na praia.

 

Na mesma viagem afirma que "em 110 anos não vi um presidente preocupado com a nossa identidade".

 

O Sporting participou ao Conselho de Disciplina da FPF do teor do comunicado emitido pelo Benfica.

 

Comentadores de "jet set" criticam a vida pessoal de Azevedo de Carvalho e a exposição que este faz da mesma.

 

O director de comunicação sai em defesa do presidente por causa dos comentadores do "jet set".

 

Azevedo de Carvalho diz que só vende "ao nível da Premier League ou de Espanha".

 

O Pavilhão, que era para estar acabado em Dezembro, inaugurado em Março, que na semana das eleições só faltaria mais uma ou duas semanas será aberto ao público apenas em Maio.

 

Azevedo de Carvalho afirma que "não há dúvidas de que hoje somos um clube muito mais unido do que há 4 anos".

 

Por causa do processo do túnel, envolvendo Carlos Pinho, Azevedo de Carvalho afirma que Vieira teria sido apanhado em (supostas) "imagens quase a agredir uma pessoa da arbitragem" e que Vieira "nem na vida pessoal pode ter a cabeça tranquila, quanto mais no futebol".

 

De volta da Costa Rica afirma que diz que "há 4 anos que o Sporting é o mais prejudicado de todos".

 

Bruno Mascarenhas promete Sporting campeão, já no próximo ano.

 

Fernando Mendes, paineleiro, acusa outros paineleiros de serem avençados de outros clubes.

 

Azevedo de Carvalho é suspenso por 113 dias e multado por queixa do Benfica. Otávio Machado idem mas menos tempo e menos dinheiro.

 

O director de comunicação sai em defesa do presidente por causa do castigo.

 

Azevedo de Carvalho fala de censura, de constituição e liberdade de expressão, ameaçando até com o Tribunal Europeu, confundindo no entanto que nada disso lhe dá o direito de colocar em causa a honra de outros.

 

Azevedo de Carvalho não se cala e no próprio dia dá entrevista. Nesta volta a afirmar que "queremos ser campeões pelo menos duas vezes neste mandato". Também nesta lança suspeita sobre Vítor Pereira afirmando "o que estará para acontecer a Vítor Pereira? Vai reaparecer? Veremos..."

 

As queixas do Sporting contra Luisão, Rui Costa e Gomes da Silva são arquivadas.

 

Bacelar Gouveia, ex-Presidente do CFeD afirma que "não podia continuar com a minha lealdade sob suspeita", falando de ambiente pidesco e que "a direcção quis ficar com o poder disciplinar do Sporting".

 

Acompanhado da noiva e de um jogador em competição, Azevedo de Carvalho inaugura academia em Angola.

 

Azevedo de Carvalho lembra Bosman e diz que não irá aos estádios enquanto durar o castigo.

 

Respondendo em tribunal sobre a Operação Fénix, Azevedo de Carvalho diz que não sabe quem contratou guarda-costas em visita ao Norte.

 

CD dá razão ao Benfica na polémica da Supertaça de Futsal.

 

O treinador afirma que "com os jogadores que perdi, tinha uma equipa para disputar a Champions".

 

Azevedo de Carvalho reage a vídeo da Fundação Benfica.

 

O Sporting queixas contra Jonas e Samaris sobre factos sucedidos em jogo em que não participou e contra Rui Vitória, Domingos Almeida Lima e Luís Bernardo por declarações.

 

Azevedo de Carvalho abordando a aproximação a Benfica e FC Porto com o empate no clássico afirma que "enquanto há vida há esperança" afirmando na mesma entrevista a uma televisão angolana que a sua estratégia "foi a de criar fama de maluco, agora é só manter".

 

Sobre a proposta para a aquisição do William pelo City, afirma que "por 30 milhões mando a bota e sem pitons".

 

Quintela vai produzindo manifestos em forma de editóriais no Jornal do Clube onde regista a narrativa que o presidente nem fala assim tanto.

 

Isto é apenas uma pequena parte e Francisco Geraldes continua sem jogar.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:34

Foto do dia

por O 6º Violino, em 03.04.17

17632482_1289683204447318_1272751033635045051_o.jp

"Escuso de dizer o que penso do presidente desse clube e sua família que lá labuta."

AdC, aos jornalistas, sobre o presidente do Arouca, antes da partida para Angola.

 

Questão simples : A senhora da foto ainda é funcionária do Clube?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:38

Bombeiros e incendiários

por O 6º Violino, em 28.03.17

uid_147fcbd6d9b_640_0.jpg

Já muito foi dito e escrito sobre alguns factos que se passaram no último sábado no Estádio da Luz a propósito do jogo da selecção nacional com a congénere húngara.

Friso desde já que sou completamente contra todo o tipo de ofensa física gratuita. Mas também não lido bem com a ofensa verbal "só porque sim".

De uma coisa estaremos todos de acordo. O ambiente do futebol português nunca esteve tão mau.

E se as coisas entre adeptos sempre foram resolvidas em conversas de café e de trabalho, grave é ver os dirigentes do futebol português a matarem o seu próprio negócio.

De algumas décadas a esta parte assistimos a alianças mais ou menos óbvias entre dois dos três crónicos candidatos ao titulo. Na prática quem vai na frente enfrenta sempre uma aliança "bicéfala" dos dois que vão atrás. Até aqui nada de novo.

Mesmo nos anos dos títulos (poucos) ganhos pelo Sporting, o ambiente nunca atingiu tais proporções. 

Em 2013 Azevedo de Carvalho vence as eleições e assume a ruptura com um passado que se dizia cinzento (em grande parte verdadeiro) e demasiado passivo do Sporting relativamente aos restantes rivais pelo titulo.

Mas nem sempre isto foi verdade. Dias da Cunha e Soares Franco assumiram a ruptura com o sistema vigente e souberam romper com falsas alianças. Não preciso recordar quem denunciou os rostos do "sistema". Nem quero voltar mais atrás e falar de Santana Lopes aquando da história do "Canal Caveira". Até Godinho Lopes (ou Paulo Pereira Cristovão) assumiram um "bater de porta" aquando do celebre "incêndio" da Luz. É preciso ir a Sousa Cintra para falar nos casos de Paulo Sousa e Pacheco?

A história das alianças e cortes de relações é tudo menos novidade. A única novidade é o baixar de nível a que chegámos. Não trazemos os outros dois para cima. Afundamos-nos no que de mais baixo existe no futebol. Interna e externamente.

Vejo de forma incrédula a surpresa da recepção a Marta Soares, Presidente da Mesa da Assembleia Geral do Sporting. E porquê?

Os sócios do Sporting aprovaram, na sua maioria, a continuação de uma actuação belicista por parte de Azevedo de Carvalho.

Os sócios do Sporting não se podem mostrar indignados do efeito "boomerang" dessa actuação.

Os sócios do Sporting que aprovaram este estado de coisas não sabem os nomes dos Presidentes de Assembleia Geral dos outros rivais. Não dá que pensar que este Marta Soares tem demasiado palco e protagonismo, e ao ser caixa de ressonância do presidente se mete a jeito?

Este tipo de protagonismo até parece que dá jeito para disfarçar a pobreza franciscana de uma temporada futebolística desastrosa em que se gastou dinheiro como nunca.

Este protagonismo que faz com que figuras como Azevedo, Saraiva, Pina, os Eduardos, o Dias Ferreira, recentemente o Fernando Mendes, entre outros, sejam portadores de "latas de gasolina" para apagar incêndios? Sim, são todos cor-responsáveis, juntamente com os Guerras, o Gil e os Orelhas cá do burgo. Chafurdam todos na mesma lama que lhes dá de comer. Ninguém é vitima deste estado actual do futebol.

Alguém se preocupa com as familias que vão aos jogos? Acham mesmo que basta tratarem as pessoas como gado às entradas dos estádios para fazerem revistas em que ficam as bolachas à porta e passam os petardos?

É este o futebol preconizado por esta gente? 

O que eu sei é que é este o estado de coisas que lhes dá imenso jeito. Já reparar que a defesa do Sporting tem mais golos sofridos do que os outros dois rivais juntos, "tá quieto".

Mudando de agulha. Em Arouca os adeptos do Sporting vão pagar 25 euros. O presidente vai fugir para Angola nesse dia. Pura coincidência, claro.

Com o Benfica, os sócios do Sporting vão pagar no mínimo 35 euros, os que não têm gameboxe. Como diria o pateta presidente do Setúbal, quem é o "abono de família" de quem?

Nota breve e final para as claques. A da selecção foi criada para ganhar umas massas, como as outras. No fundo são todos amigos e vendem bilhetes entre elas, mesmo nos jogos em que são todos intervenientes. Não foi assim que há pouco tempo entraram cerca de 300 "casuais" do Benfica para a central de Alvalade num Sporting-Benfica?

SL

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 15:06

Os limites

por Trinco, em 22.03.17

infinito.jpg

 

Num misto de falta de disponibilidade e falta de pachorra para este Sporting, tenho-me higienicamente afastado de abordar o que vou entrelendo e entreouvindo nas noticias.

 

Isso não é contudo suficiente para me impedir de perceber que os limites continuam a ser pulverizados. Foram os desportivos, foram os da fabulação, foram os da lábia, foram os do enxovalho e agora são os do disparate (vamos lá usar um adjectivo mais redondinho para não ferir susceptibilidades)

 

Da distante Costa Rica, onde inaugura mais uma academia numa cidade com uma população que não enche o nosso Estádio, Azevedo de Carvalho disse:

 

Desde que aqui cheguei que já ganhei dois pontos face aos rivais, por isso tenho de ficar mais duas semanas para chegar a outra classificação

 

Ou seja, Azevedo de Carvalho ganha pontos, o Sporting perde-os. Fica-se também a saber que os jogos com Arouca e Boavista poderão não valer os normais 3 pontos.

 

Não contente, afirmou ainda:

 

Em 110 anos não vi um presidente preocupado com a nossa identidade

 

Ou seja, os fundadores e todo o passado de glória é, mais uma vez, esmagado perante a presença de tão grande vulto Sportinguista, guardião e patrono de toda a essência fundamental e reinventada do Clube. Um pouco, um pouco não, muito, muito mais decoro por favor.

 

Por cá, embalado porventura pela narrativa da 1ª citação, um avençadus superioris (que difere do avençadus regularis por ter acesso a determinados círculos mais reservados de briefing) com tempo de antena no canal do Clube, onde, protegido e despudoradamente funciona como caixa de ressonância e correia de transmissão das mensagens dos seus superiores, acusa de forma falsa e grave, sem que até agora se tenha retractado, terceiros, com aliás também faz num blog igualmente patrocinado e onde exerce as mesmas exactas directivas, consegue com cara angelical dizer que:

 

Este campeonato ainda falta muito para decidir e eu, apesar de estarmos a 10 pontos da liderança, ainda alimento uma pontinha de esperança...e o que me faz alimentar a esperança é que sinto que estamos a crescer em rendimento.

 

Já outro avençadus, neste caso um avençadus supremus, que exerce papel de relevo na estrutura do Clube, resolve baralhar o profissional com o pessoal e recusando o mandato, assume as dores e oferece-se para o frete de responder a (...drumroll please...) cronistas sociais. Que se alimentam exactamente destas questiúnculas inúteis. No fundo, inter pares, um troll a alimentar outros trolls.

 

Como se não bastasse, e até prévio a isto tudo, os responsáveis do Sporting, após terem publicamente entregue o titulo de campeão das queixinhas ao rival, resolvem reagir a um comunicado deste com (...drumroll again, please...) uma queixa.

 

A conversa da citação do Einstein que Azevedo de Carvalho tanto gosta? Pois...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

As eleições 2021 e as VMOCs

por Trinco, em 16.03.17

11173691-Different-euro-banknotes-and-coins-Stock-

 

Pelo começo...

Ontem Azevedo de Carvalho foi empossado no seu 2º mandato que se estenderá até Março de 2021. No discurso de investidura, além das promessas de campeonatos

...o mais importante é sermos campeões nacionais e não apenas uma só vez nos próximos quatro anos...


algumas pós-verdades

...os títulos conquistados nos últimos quatro anos, que superam a média dos últimos 50...

 

e realidades paralelas

...vamos manter e reforçar a aposta na formação...

 

 

falando sobre a problemática das VMOCs, afirmou desde já a sua recandidatura

...vamos reforçar a nossa conta reserva para que seja possível no próximo mandato - repito, no próximo mandato, é que eu já estou neste - recuperar as VMOCS necessárias para garantir a manutenção desta maioria de capital...

 

Assim, que fique bem claro quem deu o tiro de partida para um a disputa eleitoral a 4 anos de distancia e que ninguém se queixe que eventuais alternativas se comecem a preparar e que não fiquem silenciosas.

 

Mas sobre as VMOCs, algo que veio à baila na ultima semana de campanha das passadas eleições o qual eu, por manifesta falta de tempo, não abordei convém registar alguns comentários.

 

Com a publicação do R&C semestral, foi sabido e plantado na Comunicação Social a existência de contas reserva para o efeito, afirmando-se de maneira criativa na escrita que até Junho seria possível esta ter €10M, necessários para comprar 32% das VMOCs (afirmados como necessários para garantir o Capital da SAD - na realidade seriam 32% do lote de VMOCs necessários para garantir o mesmo capital), falando depois de um prazo de 8 anos para comprar o restante (os tais 68% do mesmo lote)

 

Acontece que, estas contas, que rondam neste momento os €3.1M, em 6 meses cresceram €0.7M, sendo que é suposto acreditar que nos 6 meses seguintes crescerão cerca de €7M. Mesmo com os desfasamentos dos fluxos de caixa, é algo demasiado optimista.

 

Por extrapolação de valores, ficou-se também a saber que o valor considerado para a manutenção da maioria do capital da SAD é de €31.25M (considerando o valor das acções para o calculo que é de aproximadamente €0.63), sendo importante no entanto perceber e lembrar a contingência deste valor (que pode ser artificialmente volatilizado) para o calculo de algo que pode ser na realidade de €44M.

 

Outro facto interessante é o de estas reservas estarem nas contas da SAD, sendo que quem tem o opção sobre as VMOCs é o Clube.

 

Mas há mais nas VMOCs. É que existem as VMOCs A, no valor de €55M, que vencem no mesmo prazo (após o seu prolongamento) que as VMOCs B e que podem obrigar até à sua compra total (são desconhecidos os termos do eventual direito de preferência) ou no melhor cenário €27M. Ou seja, em 2026, poderá ser necessário o Clube (e friso o Clube, pois não é factor sem importância ser este a deter o direito de preferência) ter perto de €60M para garantir a maioria do capital da SAD.

 

E existe a possibilidade da emissão de novo lote de VMOCs, conforme previsto na reestruturação para absorver as A, sendo no entanto de assinalar que a sua autorização foi dada em determinados pressupostos que pessoalmente me parecem ultrapassados, sendo necessária nova aprovação caso se enverede por esta via para não falar da data limite do seu lançamento a Janeiro de 2016.

 

Caso ainda assim, os sócios (e posteriormente os accionistas) aprovem nova emissão de VMOCs, as VMOCs C para absorver as A em 2026, estaremos mais 10 anos (o prazo previsível) com a espada das VMOCs na cabeça pelo seu prazo de validade, sendo que, tal como agora acontece, todos os Dezembros, só o cumprimento de outras obrigações paralelas, como a cativação de percentagens de algumas receitas e a definição de valores mínimos a disponibilizar para o pagamento da divida (e a pouca vontade da banca entrar no capital social da SAD) evitará a "decapitação" antecipada.

 

Ou seja, nem os pressupostos das contas reservas são suficientes, nem muito provavelmente deixaremos de estar, daqui a 9 anos, nas mãos da banca e dos credores. O que mudou mesmo?...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:41


Pesquisar

  Pesquisar no Blog

Sobre

Sobre o Sporting, com verdade, exigência e espírito critico. Sem reverencias nem paciência para seitas!






Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D